Quebradeiras de coco e movimentos sociais: luta, resistência e construção identitária / Coconut breakers and social movements: struggle, resistance and identity construction

Ana Cláudia Batista da Silva, Maria Léia da Silva dos Reis, Gleiciane Brandão Carvalho, Ricarte Tavares, Aziel Alves de Arruda, Cristiane Dias Martins da Costa

Abstract


Este artigo visa analisar o Movimento Interestadual das quebradeiras de coco babaçu (MIQCB) e de que forma ele tem contribuído para a construção identitária de mulheres quebradeiras de coco no estado do Maranhão. O movimento acima citado foi criado em 1991/1995 nos estados do Maranhão, Piauí, Tocantins e Pará3 e é liderado por mulheres extrativistas da quebra do coco que passam e passaram por diversas lutas no decorrer de suas histórias para alcançar seus ideais. Partindo dessa premissa, o trabalho contou com uma pesquisa bibliográfica, que perpassa alguns autores que vem discutindo acerca do movimento de mulheres quebradeiras de coco como um todo, entre eles Andrade (2007) e Silva (2017) e de modo particular autores que abordam sobre as mulheres quebradeiras de coco no estado do maranhão, como Barbosa (2008 e 2013) e Rebelo (2012). Nessa perspectiva, a pesquisa foi baseada em algumas indagações: Como as quebradeiras de coco se posicionaram quanto as restrições impostas sobre o extrativismo do babaçu? De que forma a quebra do coco auxilia na construção da identidade das mulheres? Qual o impacto do MIQCB na construção identitária das mulheres quebradeiras de coco? Posterior a essa análise, foi possível constatar que o Movimento de quebradeiras de coco, auxilia as mulheres que trabalham com a quebra do coco a se perceberem como sujeitos ativos na construção social, rompendo com isso estereótipos de submissão e inferioridade a que ficaram alicerçadas durante muito tempo, devido ao sistema patriarcado existente no país.

 


Keywords


Quebradeiras de Coco, MIQCB, Lutas, identidade.

References


AMARAL, Mayka Danielle Brito. Reforma Agrária e Reconhecimento: o caminho da autonomia e liberdade das camponesas -quebradeiras de coco babaçu na região do Bico do Papagaio. 2017. 392 f. Tese (Doutorado) - Curso de Geografia Humana, Geografia, Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da Universidade de São Paulo, São Paulo, 2017.

ANDRADE, M. D. P. Conflitos Agrários e memória de mulheres camponesas. Estudos feministas, Florianópolis, v. 15, n. 2, p. 445-451, ago./2007.

ARAÚJO JUNIOR, Miguel Etinger de; DMITRUK, Erika Juliana; MOURA, João Carlos da Cunha. A Lei do Babaçu Livre: uma estratégia para a regulamentação e a proteção da atividade das quebradeiras de coco no Estado do Maranhão. Seqüência, Florianópolis, v. 1, n. 68, p.129-157, 01 mar. 2014. Disponível em: http://dx.doi.org/10.5007/2177- 7055.2013v35n68p129. Acesso em: 10 ago. 2019.

AYRES JUNIOR, José Costa. A organização das quebradeiras de coco babaçu e a refuncionalização de um espaço regional na microrregião do médio Mearin Maranhense. 2007. 176 f. Dissertação (Mestrado) - Curso de Pós-graduação em Geografia, Desenvolvimento Regional Urbano, Universidade Federal de Santa Catarina, Florianopolissc, 2007. BARBOSA, Viviane de Oliveira. TRABALHO, CONFLITOS E IDENTIDADES NUMA TERRA DE BABAÇU. História Social, Campinas – SP, n. 14/15, p.255-275, 12 ago. 2008

BARBOSA, Viviane de Oliveira. Mulheres do Babaçu: Gênero, materialismo e movimentos sociais no Maranhão. 2013. 267 f. Tese (Doutorado) - Curso de Pós-graduação em História, História Geral, Universidade Federal Fluminense, Niterói, 2013.

CECCHIN, Hareli Fernanda Garcia; SILVA, Alex Pizzio da. O movimento das Quebradeiras de Coco na região do Bico do Papagaio: reflexões sobre redistribuição e reconhecimento. In: XXVIII SIMPÓSIO NACIONAL DE HISTÓRIA, Não use números Romanos ou letras, use somente números Arábicos., 2015, Florianopolis-sc. Anais...Florianópolis: [s.n], 2015. v. 1, p. 1 - 15.

COMISSÃO PASTORAL DA TERRA-MASSACRES NO CAMPO. Do coco babaçu à emancipação: o poder das quebradeiras do Maranhão. Disponível em: https://cptnacional.org.br/publicacoes-2/destaque/4439-do-coco-babacu-a-emancipacao-opoder-das-quebradeiras-do-maranhao. Acesso em: 4 ago. 2019.

FIGUEIREDO, Luciana Dias. Empates nos babaçuais do espaço doméstico ao público: lutas de quebradeiras de coco babaçu no Maranhão. 199f. 2005. Dissertação (Mestrado em Agriculturas Familiares e Desenvolvimento sustentável). Curso de Pós-graduação em Agriculturas Familiares e Desenvolvimento sustentável. Universidade Federal do Pará. Belém, 2005.

GONÇALVES, Thaís; MOURA, Paula Nascimento da Silva. Literatura Infantil e Identidade: Análise da obra "O cabelo de Lelê". Revista Científica da FHO|UNIARARAS , Araras -SP, v. 4, n. 1, p. 1-9, set. /2016. Disponível em: http://www.uniararas.br/revistacientifica. Acesso em: 15 jun. 2019

HAGINO, C Ra Hisa e Monteiro da Silva. Quebradeiras De Coco Babaçu: Identidade, Conflito Socio-Ambiental E Subsistência. In: ENCONTRO ANUAL DA ANPOCS, 31., 2007, Caxambu - Mg. Anais... Caxambu - Mg: [s.n], 2007. p. 1 - 22.

JUNIOR, Agnaldo Mesquita de Lima; TAUCHEN, Gionara. O Cabelo De Lelê: Reflexões Sobre Educação, Cultura e Identidade. Momento: diálogos em educação, Rio grande do Sul, v. 26, n. 2, p. 129-145, jun./2017.

REBELO, Maria de Narazé de Oliveira. Representações sociais, cotidiano e práticas políticas de mulheres quebradeiras de coco babaçu no maranhão. 2012. 172 f. Dissertação (Mestrado) - Curso de Pós-graduação em Direito, Direitos Humanos, Universidade Federal do Pará, Belém-pa, 2012.

RÊGO, J. L.; ANDRADE, M. P. História De Mulheres: Breve comentário sobre o Território e a Identidade das Quebradeiras de coco Babaçu no Maranhão. Agrária, São Paulo, v. 1, n. 3, p. 47- 57, ago/2006.

REPORTÉR BRASIL. Quebradeiras de coco babaçu. Disponível em: https://reporterbrasil.org.br/comunidadestradicionais/quebradeiras-de-coco-babacu/. Acesso em: 4 ago. 2019.

SILVA, L. A. E. Mulheres quebradeiras de coco babaçu e movimentos sociais. P2P & INOVAÇÃO, Rio de Janeiro, v. 3, n. 2, p. 161-176, set./2017.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv6n7-030

Refbacks

  • There are currently no refbacks.