Relações entre tabagismo, fatores associados e densidade mineral óssea em mulheres de meia-idade / Relationship between smoking, associated factors and bone mineral density in middle women

Mirian Dias Moreira Silva, Izabel Maria Oliveira, Anselmo Cordeiro de Souza, Sérgio Rosa Vieira Pasqualinoto, Jussara Dias Queiroz Brito, Claudia Kumpel, Joás Soares Lauriano, Ana Catarina de Moraes Souza, Elias Ferreira Porto

Abstract


O objetivo deste estudo foi avaliar as relações entre tabagismo e fatores associados na densidade mineral óssea em mulheres de meia-idade não tabagistas, ex-tabagistas e tabagistas. Trata-se de investigação não experimental de método e procedimentos próprios da pesquisa epidemiológica analítica. Participaram desta investigação 78 mulheres com idade entre 45 a 75 anos, distribuídas em três grupos: indivíduos não tabagistas (41), ex-tabagistas (18) e tabagistas (21). Àquelas que concordaram em participar do estudo assinando o Termo de Consentimento Livre e Esclarecido foi aplicado o teste de Fagerström, para avaliar a dependência nicotínica. Foi realizado, ainda, exame de densitometria por emissão de raios X de dupla energia, que avaliou a densidade mineral óssea do fêmur total. Foi considerado p≤0,05 como significância estatística. O escore médio 3,21±1,14 representou grau baixo de dependência nicotínica para o grupo em geral. Em relação ao segmento fêmur total, o tabagismo foi determinante na explicação da osteoporose, com diferenças estatisticamente significantes. Não tabagistas ainda apresentaram melhores condições gerais de saúde. Além disso, os tabagistas avaliados apresentaram maiores perdas percentuais de densidade mineral óssea em todos os segmentos investigados do que as prevalências em não tabagistas no cenário nacional. No entanto, o tamanho de nossa amostra e a coleta de dados em apenas um centro de referência clínica limitaram as conclusões, abrindo no horizonte extensa agenda de investigações desejáveis à consolidação do entendimento entre tabagismo e massa óssea.


Keywords


Tabagismo, densidade óssea, promoção da saúde.

References


ALGHADIR, A. H.; GABR, S. A.; AL-EISA, E. Physical activity and lifestyle effects on bone mineral density among young adults: sociodemographic and biochemical analysis. Journal of Physical Therapy Science, v. 27, n. 7, p. 2261-2270, 2015.

BACCARO, L. F. et al. The epidemiology and management of postmenopausal osteoporosis: a viewpoint from Brazil. Clinical Interventions in Aging, v. 10, p. 583-591, 2015.

BASS, M. et al. Variables for the prediction of femoral bone mineral status in American women. Southern Medical Journal, v. 99, n. 2, p. 115-123, 2006.

BONNICK, S. L. Densitometria óssea na prática clínica: aplicação e interpretação. Tradução Telma Lúcia de Azevedo Hennemann. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2012.

BUTTROS, D. D. A. B. et al. Fatores de risco para osteoporose em mulheres na pós-menopausa do sudeste brasileiro. Revista Brasileira de Ginecologia e Obstetrícia, v. 33, n. 6, p. 295-302, 2011.

CAMARGO, M. B. R. et al. Bone mineral density and osteoporosis among a predominantly Caucasian elderly population in the city of São Paulo, Brazil. Osteoporosis International, v. 16, n. 11, p. 1451-1460, 2005.

CHOI, H. S. et al. Strong familial association of bone mineral density between parents and offspring: KNHANES 2008–2011. Osteoporosis International, v. 28, n. 3, p. 955-964, 2017.

CLARKE, B. Normal bone anatomy and physiology. Clinical Journal of the American Society of Nephrology, v. 3, n. sup. 3, p. S131-S139, 2008.

CONSELHO NACIONAL DE SAÚDE (CNS). Resolução 510, de 7 de abril de 2016. Brasília, DF: Diário Oficial da União; 2016. Disponível em: . Acesso em: 17 Jun. 2020.

CURTIS, E. et al. Determinants of muscle and bone aging. Journal of cellular physiology, v. 230, n. 11, p. 2618-2625, 2015.

COSTA-E-SILVA, V. L.; KOIFMAN, S. Smoking in Latin America: a major public health problem. Cadernos de Saúde Pública, v. 14, Sup. 3, p.S109-S115, 1998.

CUSANO, N. E. Skeletal effects of smoking. Current Osteoporosis Reports, v. 13, n. 5, p. 302-309, 2015.

FASOLINO, T.; WHITRIGHT, T. A pilot study to identify modifiable and nonmodifiable variables associated with osteopenia and osteoporosis in men. Orthopaedic Nursing, v. 34, n. 5, p. 289-293, 2015.

FERREIRA, P. L. et al. Teste de dependência à nicotina: validação linguística e psicométrica do teste de Fagerström. Revista Portuguesa de Saúde Pública, v. 27, n. 2, 37-56, 2009.

FIELD, A. Discovering statistics using IBM SPSS statistics. California: Sage, 2013.

GADDINI, G. W. et al. Alcohol: a simple nutrient with complex actions on bone in the adult skeleton. Alcoholism: Clinical and Experimental Research, v. 40, n. 4, p. 657-671, 2016.

GOUVEIA, E. R. et al. Multivariate analysis of lifestyle, constitutive and body composition factors influencing bone health in community-dwelling older adults from Madeira, Portugal. Archives of Gerontology and Geriatrics, v. 59, n. 1, p. 83-90, 2014.

HARVEY, N.; DENNISON, E.; COOPER, C. Osteoporosis: impact on health and economics. Nature Reviews Rheumatology, v. 6, n. 2, p. 99-105, 2010.

ISHIMI, Y. Osteoporosis and lifestyle. Journal of Nutritional Science and Vitaminology, v. 61, n. sup, p. S139-S141, 2015.

KÜMPEL, C. et al. Características clínicas relacionadas ao tabagismo de indivíduos idosos assistidos pelo Programa Saúde da Família. Rev Bras Med, v. 67, n. 6, p. 208-13, 2010.

KÜMPEL, C. et al. Aspectos sociais relacionados ao tabagismo em idosos assistidos pelo Programa de Saúde da Família. Kairós. Revista da Faculdade de Ciências Humanas e Saúde, v. 17, n. 3, p. 183-199, 2014.

LIRA, S. A.; CHAVES NETO, A. Coeficientes de correlação para variáveis ordinais e dicotômicas derivados do coeficiente linear de Pearson. Ciência & Engenharia, v. 15, n. 1/2, p. 45-53, 2006.

MARCONI, M. A.; LAKATOS, E. M. Fundamentos de metodologia científica. 7. ed. São Paulo: Atlas, 2017.

MARIE, N. G. et al. Smoking prevalence and cigarette consumption in 187 countries, 1980-2012. Journal of the American Medical Association, v. 311, n. 2, p. 183-192, 2014.

MARINHO, B. C. G. et al. The burden of osteoporosis in Brazil. Arquivos Brasileiros de Endocrinologia & Metabologia, v. 58, n. 5, p. 434-443, 2014.

MEDRONHO, R. A (ed.) et al. Epidemiologia. 2. ed. São Paulo: Atheneu, 2009.

MENESES-GAYA, I. C. et al. Psychometric properties of the Fagerström test for nicotine dependence. Jornal Brasileiro de Pneumologia, v. 35, n. 1, p. 73-82, 2009.

MORALES-TORRES, J. et al. The burden of osteoporosis in Latin America. Osteoporosis International, v. 15, n. 8, p. 625-632, 2004.

PINHEIRO, M. M. et al. Risk factors for osteoporotic fractures and low bone density in pre and postmenopausal women. Revista de Saúde Pública, v. 44, p. 479-485, 2010.

RAISZ, L. G. Pathogenesis of osteoporosis: concepts, conflicts, and prospects. The Journal of Clinical Investigation, v. 115, n. 12, p. 3318-3325, 2005.

RIBEIRO, R. R. M. et al. Análise da abordagem metodológica: um estudo das teses e dissertações em contabilidade gerencial. ConTexto - Revista do Programa de Pós-Graduação em Controladoria e Contabilidade da UFRGS, v. 13, n. 25, 2013.

ROMERO, L. C.; COSTA-E-SILVA, V. L. 23 Anos de Controle do tabaco no Brasil: a Atualidade do Programa Nacional de Combate ao Fumo de 1988. Revista Brasileira de Cancerologia, v. 57, n. 3, 305-314, 2011.

ROTHMAN, K.; GREENLAND, S.; LASH, T. Epidemiologia moderna. 3. ed. Porto Alegre: Artmed, 2011.

SOUZA, A. C. Relações entre tabagismo e estilo de vida na saúde óssea: revisão integrativa e estudo transversal. São Paulo, 2018. Dissertação (Mestrado Profissional em Promoção da Saúde) – Centro Universitário Adventista de São Paulo, São Paulo, 2018.

SOUZA, A. C. et al. Perfil da composição corporal e densidade mineral óssea de tabagistas em um centro de referência em reabilitação e assistência à saúde. Lifestyle Journal, v. 5, n. 1, p. 20-40, 2018.

WATTS, N. B. Insights from the global longitudinal study of osteoporosis in women (GLOW). Nature Reviews Endocrinology, v. 10, n. 7, p. 412-422, 2014.

WORLD HEALTH ORGANIZATION (WHO). WHO report on the global tobacco epidemic, 2017: monitoring tobacco use and prevention policies. Geneve: WHO, 2017. Disponível em: . Acesso em: 17 Jun. 2020.

WORLD HEALTH ORGANIZATION (WHO). WHO Global Report on Falls Prevention in Older Age. France: WHO, 2007. Disponível em: https://extranet.who.int/agefriendlyworld/wp-content/uploads/2014/06/WHo-Global-report-on-falls-prevention-in-older-age.pdf>. Acesso em: 17 Jun. 2020.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv6n7-023

Refbacks

  • There are currently no refbacks.