Necessidade de se irrigar a fase inicial de floresta de Mogno-Africado no cerrado / Need to irrigate initial phase of Mogno-African forest in cerrado

Phaulo Maciel Santos, José Alves Júnior, Carolina Carvalho Sena, Marcus Vinícius Honorato Domingos, Adão Wagner Pego Evangelista, Derblai Casaroli, Rafael Battisti, João Maurício Fernandes Sousa

Abstract


O objetivo deste trabalho foi avaliar o crescimento de plantas jovens de mogno-africano, após a interrupção de diferentes manejos de irrigação dos primeiros anos do ciclo. O trabalho foi desenvolvido em Bonfinópolis-GO, em Latossolo Vermelho Distroférrico, em março de 2012. O delineamento experimental adotado foi em blocos completos casualizados, com três repetições e 10 tratamentos (15 plantas por parcela), em arranjo bifatorial com 3 quantidades de gotejadores por planta (01, 02 e 03 gotejadores por planta) e 3 vazões de gotejadores (2 L.h-1, 4 L.h-1 e 8 L.h-1), e a testemunha sem irrigação. Após dois anos de cultivo irrigado todos os tratamentos foram interrompidos (novembro de 2013). Cinco anos depois (novembro de 2018) não foi observado diferença significativa para as variáveis altura de planta, altura de fuste e diâmetro a altura do peito (DAP). O incremento médio da altura de plantas de mogno-africano após cessar a irrigação foi de 15,6m, da altura de fuste foi de 13m e do DAP foi 0,14m. Os resultados mostraram que é dispensável o uso de irrigação para o cultivo de mogno-africano, uma vez que as diferenças em altura de planta, fuste e DAP foram significativas apenas nos dois primeiros anos de cultivo e não se mantiveram nos anos seguintes.


Keywords


Khaya ivorensis, Madeira nobre, Floresta irrigada

References


ALBUQUERQUE, M.P.F.; MORAES, F.K.C.; SANTOS, R.I.N.; CASTRO, G.L.S.; RAMOS, E.M.L.S.; PINHEIRO, H.A. Ecofisiologia de plantas jovens de mogno‑africano submetidas a deficit hídrico e reidratação. Pesquisa Agropecuária Brasileira, Brasília, v.48, n.1, p.9-16, 2013.

ALLEN, R.G.; PEREIRA, L.S.; RAES, D.; SMITH, M. Crop evapotranspiration: guidelines for computing crop water requirements. Rome: FAO, 1998. 300 p. (Irrigation and Drainage Paper, 56), 1998.

AMARAL, A.M. Fluxo de seiva e transpiração de plantas jovens de mogno brasileiro (Swietenia Macrophylla King) sob regime variável de água no solo. 2019. 77f. Tese de Doutorado em Ciências Agrárias. Instituto Federal Goiano, Rio Verde. 2019

ALVES JUNIOR, J.; BARBOSA, L.H.A.; CASAROLI, D.; EVANGELISTA, A.W.P.; COSTA, F.R. Crescimento de mogno africano submetido a diferentes níveis de irrigação por microaspersão. Irriga, Botucatu, v.21, n.3, p.466-480, 2016.

ALVES JÚNIOR, J.; BARBOSA, L.H.A.; ROSA, F.O.; CASAROLI, D.; EVANGELISTA, A.W.P.; VELLAME, L.M. African mahogany submitted to drip irrigation and fertilization. Revista Árvore, Viçosa, v.41, n.1, p.1-9, 2017.

CAMARGO, M.A.B.; MARENCO, R.A. Growth, leaf and stomatal traits of crabwood (Carapa guianensis Aubl.) in central Amazonia. Revista Árvore, Viçosa, v.36, n.1, p.7-16, 2012.

CASAROLI, D.; ROSA, F.O.; ALVES JÚNIOR, J.; EVANGELISTA, A.W.P. Phenology of African mahogany plants submitted to irrigation. Comunicata Scientiae, Bom Jesus, v.8, n.2, p.239-246, 2017.

CASAROLI, D.; ROSA, F.O.; ALVES JÚNIOR, J.; EVANGELISTA, A.W.P.; BRITO, B.V.; PENA, D. Aptidão edafoclimática para o mogno-africano no Brasil. Ciência Florestal, Santa Maria, v.28, n.1, p.357-368, 2018.

CASAROLI, D.; SILVA, G.P.; VELLAME, L.M.; ALVES JÚNIOR, J.; EVANGELISTA, A.W.P.; SOUZA, P.H. Respostas do Mogno Africano cultivado sem restrição hídrica às condições micrometeorológicas de Goiânia-GO. Revista de Ciências Agrárias, Belém, v.59, n.1, p.66-73, 2016.

CASTRO, A.C.; LOURENÇO JUNIOR, J.B.; SANTOS, N.F.A.; MONTEIRO, E.M.M.; AVIZ, M.A.B.; GARCIA, A.R. Sistema silvipastoril na Amazônia: ferramenta para elevar o desempenho produtivo de búfalos. Ciência Rural, Santa Maria, v.38, n.8, p.2395-2402, 2008.

CORCIOLI, G.; BORGES, J.D.; JESUS, R.P. Deficiência de macro e micronutrientes em mudas maduras de Khaya ivorensis estudadas em viveiro. Cerne, Lavras, v.22, n.1, p.121–128, 2016.

COSTA, J.R.; MORAIS, R.R.M.; CAMPO, L.S. Cultivo e Manejo do Mogno (Swietenia macrophylla King). Embrapa Amazônia Ocidental Manaus, AM. 2013.

FERREIRA, D.F. Sisvar: a Guide for its Bootstrap procedures in multiple comparisons. Ciência Agrotecnologia, Lavras, v.38, n.2, pp. 109-112, 2014.

JUNG, L.H.; LOPES, A.S.; OLIVEIRA, G.Q.; OLIVEIRA, J.C.L.; FANAYA JÚNIOR, E.D.; BRITO, K.R.M. Irrigação no desenvolvimento inicial de Eucalyptus urophylla x Eucalyptus grandis e Eucalyptus grandis x Eucalyptus camaldulensis. Ciência Florestal, Santa Maria, v.27, n.2, p.655-667, 2017.

KRISNAWATI, H.; KALLIO, M.; KANNINEN, M. Swietenia macrophylla King: Ecology, silviculture and productivity. Center for International Forestry Research (CIFOR), Bogor, Indonesia, p. 14, 2011.

MOREIRA, J.M.M.P.; REIS, C.A.F.; SANTOS, A.M.; OLIVEIRA, E.B.; OLIVEIRA, V.L.E. Custo de produção do mogno-africano no estado de Goiás. Embrapa Florestas, Colombo, PR 2019.

PATANÉ, C.; COSENTINO, S.L. Effects of soil water deficit on yeld and quality of processing tomato under a Mediterranean climate. Agricultural Water Management, Amsterdam, v.97, n.1, p.31-138, 2010.

PINHEIRO, H.A.; DAMATTA, F.M.; CHAVES, A.R.M.; LOUREIRO, M.E.; DUCATTI, C. Drought tolerance is associated with rooting depth and stomatal control of water use in clones of Coffea canephora. Annals of Botany, London, v.96, n.1, p.101‑108, 2005.

SILVA, J.A.; BORGES, C.T. Cultivo do mogno-africano. Goiânia: Empresa Mudas Nobres, 2013. 91 p.

TAIZ, L.; ZEIGER, E. Fisiologia vegetal. Porto Alegre: Artmed, 3.ed., 2017.

TATAGIBA, S.D.; PEZZOPANE, J.E.M.; REIS, E.F. Avaliação do crescimento e produção de clones de Eucalyptus submetidos a diferentes manejos de irrigação. Cerne, Lavras, v. 13, n. 1, p. 1-9, 2007.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv6n6-615

Refbacks

  • There are currently no refbacks.