Homeschooling: análise do julgamento do recurso extraordinário 888.815 e a metódica concretista de Friedrich Müller / Homeschooling: an analysis of the judgment of the extraordinary appeal 888.815 and the conduct method of Friedrich Müller

Daiane de Queiroz

Abstract


A prática da educação domiciliar, conhecida como Homeschooling, desenvolvida nos Estados Unidos, pelos anos de 1970, vem se difundindo no país. Apresenta-se, assim, no presente trabalho, os argumentos favoráveis e desfavoráveis a aplicação do método na educação básica, voltada para ensino e aprendizagem, de crianças e adolescentes. Adota-se por referência, no presente estudo, a Constituição Federal de 1988, o Estatuto da Criança e do Adolescente – Lei 8.069/90, demais legislação infraconstitucional sobre educação, em vigor no Brasil. Entende-se por educação domiciliar aquela realizada no ambiente doméstico dirigida às crianças e os adolescentes por seus pais ou responsáveis legais.  O presente artigo tem como objetivo verificar sua imediata utilização, sob a égide da metódica concretista de Friedrich Müller, bem como confrontá-la com o atual entendimento do Supremo Tribunal Federal – STF, exposto na decisão do Recurso Extraordinário de n. 888815. Justifica-se a pesquisa pela relevância da repercussão geral que reconhece a lacuna legislativa na regulamentação da educação domiciliar, em decorrência da existência de famílias que adotam esse método de ensino-aprendizagem, no Brasil, e de controvérsias sobre a questão. Como metodologia de trabalho, propõe-se uma pesquisa bibliográfica e documental, cuja abordagem tem caráter descritivo analítico. Fundamentou-se, para tanto, em livros e artigos das bases Ebscohost, Scielo e Vlex sobre o assunto. Como resultado esperados a análise demonstra que a decisão do STF baseou-se no posicionamento tradicional da doutrina, apesar de haver possibilidade de utilização como base na metódica concretista mülleriana para julgar o Recurso Extraordinário n. 888815 do estado do Rio Grande do Sul. Adotou, dessa forma, uma posição intermediária com fito de impelir o Legislativo a regulamentar a matéria, no Brasil.


Keywords


Homeschooling,Hermenêutica, Friedrich Müller, RE 888815.

References


ADOLFO, Luiz Gonzaga Silva. Proteção integral e a política pública de Educação para a salvaguarda da própria imagem na sociedade da informação. Revista de Estudos Constitucionais, Hermenêutica e Teoria do Direito, [s.l.], v. 10, n. 3, p.338-347, 30 dez. 2018. UNISINOS - Universidade do Vale do Rio Dos Sinos. http://dx.doi.org/10.4013/rechtd.2018.103.10. Disponível em: . Acesso em: 11 maio 2019.

ASSOCIAÇÃO NACIONAL DE EDUCAÇÃO DOMICILIAR – ANED. O que é Educação Domiciliar? Disponível em: < http://www.aned.org.br/portal/index.php/ensino-domiciliar>. Acesso em: 01 dez. 2018.

BRASIL, Congresso Nacional. Constituição da República Federativa do Brasil. 05 de outubro de 1988. Brasília: DF. Disponível em: . Acesso em: 05 dez. 2018.

BRASIL. Lei nº 9.394 de 20 de dezembro de 1996 ( Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional). Disponível em: < http://portal.mec.gov.br/arquivos/pdf/ldb.pdf>. Acesso em: 01 dez. 2015.

BRASIL. Lei nº 13.005, de 25 de junho de 2014 (Plano Nacional de Educação – PNE). Disponível em: < http://www.planalto.gov.br/CCIVIL_03/_Ato2011-2014/2014/Lei/L13005.htm>. Acesso em: 05 fev. 2019.

BRASIL. Ministério da Educação – MEC; Conselho Nacional de Educação – CNE. Diretrizes Curriculares Nacionais Gerais da Educação Básica. Brasília: MEC, SEB, DICEI, 2013.

BRASIL. Ministério da educação (MEC). Planejando a Próxima Década: conhecendo as 20 metas do Plano Nacional de Educação. Brasília: Ministério da Educação/Secretaria de Articulação com os Sistemas de Ensino (MEC/SASE), 2014.

CARDOSO, Nardejane Martins. O direito de optar pela educação domiciliar no Brasil. 2016. Dissertação (Mestrado em Direito Constitucional e Teoria Política). PPGD, Universidade de Fortaleza, 2016.

CARVALHO, Ermani Rodrigues. Em busca da judicialização da política no Brasil: apontamentos para uma nova abordagem. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/rsocp/n23/24626.pdf. Acesso em: 14 abr. 2019.

MENEGAT, Jardelino. SARNENTO, Dirléia Fanfa. RANGEL, Mary. Comunidades educadoras: perspectivas para a defesa do direito a educação. Braz. J. of Develop., Curitiba, v. 5, n. 9, p. 14082-14098 sep. 2019 ISSN 2525-8761. Acesso em 08 jun 2010.

MIRANDA, Ana Elisabeth Bastos de. Hermenêutica constitucional concretista: implicações para a efetividade do direito à educação. Revista Opinião Jurídica, n.09, 2007.

MÜLLER, Friedrich. Entrevista com Friedrich Müller. Revista Sequência, nº 51, p. 9-30 dez. 2005. Disponível em:< https://periodicos.ufsc.br/index.php/sequencia/article/viewFile/15169/13795> Acesso em: 09 dez. 2018.

MÜLLER, Friedrich. Métodos de trabalho do direito constitucional. 3. ed. Tradução Peter Naumann. Rio de Janeiro: Renovar, 2005.

MÜLLER, Friedrich. O novo paradigma do direito: introdução à teoria e metódica estruturantes. 3 ed. São Paulo: Editora Revista dos Tribunais, 2013.

SANTOS, Marcelo Paiva dos. A democracia brasileira no contexto da periferia latino-americana: o problema da jurisdição e o contributo possível da reflexão metodológica. Rio de Janeiro: Editora Lumen Juris, 2013.

SILVA, Camila Oliveira. Artigo apresentada à PUC-Minas. Funcionamento da Educação Domiciliar (Homeschooling): análise de sua situação no Brasil, 2013.

SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL. Recurso Extraordinário (RE) 888815 do Rio Grande do Sul, Relator: Min. Roberto Barroso, publicado em 04.06.2015. Disponível em:. Acesso em 18 nov. 2018.

SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL. Recurso Extraordinário (RE) 888815. Disponível em: http://stf.jus.br/portal/cms/verNoticiaDetalhe.asp?idConteudo=389496> Acesso em 18 nov. 2018.

VASCONCELOS, Maria Celi Chaves. A educação doméstica no Brasil de oitocentos. Revista Educação em Questão, Natal, v. 28, n. 14, p. 25, jan./jun. 2007.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv6n6-614

Refbacks

  • There are currently no refbacks.