Compostagem: alternativa de aproveitamento dos resíduos sólidos utilizando diferentes modelos de composteiras / Composting: alternative for using waste using different models of composting machines

Kênia Alves Pereira Lacerda, João Victor de Queiroz Moraes, Yasmin Gomes Silva, Sílvio Lacerda de Oliveira

Abstract


Uma das formas de reciclagem de resíduos sólidos orgânicos domiciliares é a compostagem, um processo biológico onde microrganismos e mesofauna convertem materiais orgânicos em um material húmico a ser utilizado como adubo. O presente trabalho teve como objetivo analisar a viabilidade da compostagem em pequena escala a partir de resíduos orgânicos selecionados provenientes de residências de colaboradores e jardim do Câmpus IFG/ Jataí, comparando dois modelos de composteiras e seus respectivos produtos a partir de características físico-químicas (pH, temperatura, relação Carbono/Nitrogênio, macronutrientes). Foram montadas duas composteiras, a composteira 1(modelo comercial de 161 litros) e a composteira 2 (modelo alternativo confeccionado a partir de baldes de margarina com 15 litros de capacidade). A deposição de resíduos foi gradual e durou 8 meses, durante todo o processo de compostagem. A proporção final de Carbono/Nitrogênio foi de 9,55-9,75:1, considerado ótimo quando comparado com o padrão de 10:1, o pH final foi de 8,3-8,4 demonstrando maturação do composto, o elemento Ca foi o macronutriente mais abundante 4,32-4,55%, todos os parâmetros físico-químicos dos compostos estavam dentro do padrão. Conclui-se que ambos os modelos são equivalentes e a qualidade dos compostos sintetizados foi considerada satisfatória, apresentando fonte de matéria orgânica, com nutrientes essenciais. O modelo 2 alternativo de composteira, se mostrou viável para o processo de compostagem dos resíduos domiciliares orgânicos, viabilizando o aproveitamento de resíduos gerados.


Keywords


Compostagem, Modelos de composteiras, Tratamento de resíduos orgânicos.

References


ATAIDE, L. M. S.; LOPES, S. R.; TAVARES, K. G; CATA PRETA, C. A. A. Estudo da Presença de Vetores em Leiras de Composto Orgânico Produzido na Central de Tratamento de Resíduos Sólidos De Belo Horizonte, MG. Anais 24ºCongresso Brasileiro de Engenharia Sanitária e Ambiental - ABES, 2007. p. 19-24.

BRASIL. Lei Nº 12.305, de 2 de agosto de 2010. Política Nacional de Resíduos Sólidos. Disponível em . Acesso em 27 de agosto de 2019.

BERNAL, M. P.; SÁNCHEZ–MONEDERO, M. A.; PAREDES, C.; ROIG, A. Carbono mineralization from organic wastes at different composting stages during their incubation with soil. Agriculture Ecosystems & Environment, v. 69, p. 175-189, 1998a.

CAPRA, F. A Teia da Vida. São Paulo: Pensamento, 2004.

FUNDAÇÃO JORGE DUPRAT FIGUEREDO DE SEGURANÇA E MEDICINA DO TRABALHO – FUNDACENTRO. Compostagem doméstica de lixo. São Paulo: Universidade Estadual Paulista – UNERSP, Botucatu. 2002, 40 p. Acesso: em 01 de Jun de 2019. Disponível em:http://compostagem-domestica-de-lixo.

JIMÉNEZ, E. I. e GARCÍA, V. P. Instituto de Productos Naturales y Agrobiología de Canarias CSIC, Avda. Spain (1989).

KIEHL, E. J. Manual de Compostagem: maturação e qualidade do composto. Piracicaba, 1998.

MASSUKADO, L.M; Compostagem: nada se cria, nada se perde; tudo se transforma. Brasília: Editora IFB, 2016.

MINISTÉRIO DA AGRICULTURA E DO ABASTECIMENTO - MAPA. Instrução Normativa SDA no 25, de 23 de julho de 2009. Anexos I e III. Acesso em 02 Jun de 2019.Disponível:http://extranet.agricultura.gov.br

MINISTÉRIO O MEIO AMBIENTE (MMA). Compostagem. Brasília. Disponível em: http://www.mma.gov.br; cesso em 07/06/2019.

NÓBREGA, C.C. et al. Análise preliminar física e físico-químicas dos resíduos sólidos domiciliares de pedras de fogo – Paraíba, João Pessoa. Anais 2º Congresso de Pesquisa e Inovação da Rede Norte Nordeste de Educação Tecnológica, 2007. p. 9-14.

NOGUERA, J. O.C.; Compostagem como prática de valorização dos resíduos alimentares com foco interdisciplinar na educação ambiental. Revista Eletrônica em Gestão, Educação e Tecnologia Ambiental. REGET- Universidade Federal de Santa Maria. v (3), n°3, p. 316 – 325, 2011.

PEIXOTO, J. O. Destinação final de resíduos, nem sempre uma opção econômica. Engenharia Sanitária, (1): 15-18, 1981.

SILIA, H. N., Estudos sobre compostagem com lodo de ETE com vistas à aplicação em solo agrícola. Santo André, 2015, disponível em acesso em 21 de jul de 2019.

SOUZA, F.A. de; AQUINO, A.M. de; RICCI, M. dos S.F.; FEIDEN, A. Compostagem. Seropédida: Brasília - Embrapa Agrobiologia,2001. 11 p. (Boletim Técnico, nº 50).

TRAUTMANN, N.; OLYNCIW, E. Compost Microorganisms. In: CORNELL Composting, Science & Engineering. Disponível em: . Acesso em: 18 jul. 2019.

TEIXEIRA, L.B. et al. Processo de compostagem, a partir de lixo orgânico urbano, em leira estática com ventilação natural. Belém: Embrapa, 2004, 8 p. (Circular Técnica, 33).

ZANNATA F.; ZIERO, H. D. D.; BERTANI, T. C.; ANDRADES – FILHO. C. O.; TUBINO, R.M.C.; TRAMONTINA. A.C.; Resíduo sólido industrial na Serra Gaúcha: Geração, tipologia e destinação. Brazilian. Journal. of Development., Curitiba, v. 6, n.6, p.32805-32821 jun. 2020.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv6n6-567

Refbacks

  • There are currently no refbacks.