Quantificação do teor de metais em águas engarrafadas comercializadas no município de Belém através de espectrometria de emissão ótica / Quantification of metal content in bottled waters commercialized in the municipality of Belém through spectrometry of optical emission

Clauderi Rodrigues de Almeida, Augusto Fernando Souza de Oliveira, Simone de Fátima Pinheiro Pereira, Kellen Heloizy Garcia Freitas, Davis Castro dos Santos, Hemilton Cardoso da Costa, Thiago de Melo e Silva, Ronaldo Magno Rocha

Abstract


Nos últimos anos tem sido verificado um crescimento considerável no consumo de águas engarrafadas no Brasil, aumentando de 0,3 para 18,5 L per capita/ano. Para atender essa demanda, as indústrias aumentaram a produção, novas empresas surgiram e, consequentemente, surge a necessidade do monitoramento da qualidade dessas águas no mercado. O objetivo deste trabalho foi a quantificação do teor de metais em águas engarrafadas, de cinco marcas comercializadas em supermercados na cidade de Belém-PA. Foram utilizadas 120 (cento e vinte) amostras provenientes de oito locais da cidade. A determinação de metais foi feita utilizando um ICP-OES modelo VISTA PRO.  Os resultados obtidos foram comparados com os valores máximos permitidos (VMP) de acordo com a Portaria de Consolidação N°5/17 do Ministério da Saúde. Os teores médios de Al, Fe, Na e Ba estiveram abaixo do máximo permitido na referida Portaria (0,2 mg/L e 0,7 mg/L, respectivamente) não apresentando, portanto, nenhum tipo de contaminação por metais tóxicos. Os metais mais abundantes foram: Na (1,7594 mg/L), Mg (0,3156 mg/L), K (0,2756 mg/L) e Ca (0,1644 mg/L). estando apenas uma amostra com teor de bário fora dos padrões da referida Portaria, indicando uma provável contaminação pontual durante a captação, envase ou devido à possível adição de sais de bário nessas águas.


Keywords


Parâmetros Químicos, Controle de qualidade, Saúde.

References


ALVES, L. M. C.; QUINDELER, N. S.; MACHADO, A. V. M. Avaliação do serviço de abastecimento de água de mata fria, Conceição do Castelo – ES e possíveis intervenções. Braz. J. of Develop., v.5, n.11, p.26417-26428, 2019.

BARANDAS, A. P. M. G.; SOUZA, C. F.; DUARTE, M. A. I. Avaliação da presença de elementos traçadores isotópicos para monitoramento de fontes hidrominerais. XIII Congresso Brasileiro de Geoquímica (Anais). Gramado (RS), 2011.

BEATO, D. A. C.; VIANA, H. S.; DAVIS, E. G. Avaliação e Diagnóstico Hidrogeológico dos Aqüíferos de Águas Minerais do Barreiro do Araxá, MG - Brasil. 1st Joint World Congress on Groundwater (Anais). v.1, p.1-18, 2000.

BRITO, N. M.; AMARANTE J.; O. P.; POLESE, L.; RIBEIRO, M. L. Validação de métodos analíticos: estratégia e discussão. Pesticidas: Revista de Ecotoxicologia e Meio Ambiente, v.13, p.129-146, 2003.

FERNANDES, F. R. C.; LIMA, M. H. M.; TEIXEIRA, N. S. A Grande Mina e a Comunidade: Estudo de Caso da Grande Mina de Ouro de Crixás em Goiás. Série Estudos e Documentos n. 74. CETEM/MCT, Rio de Janeiro, 2007.

FORMIGA, A. C. S.; FIGUEIREDO, C. F. V.; SOUSA, G. M.; ISMAEL, D. A. M.; OLIVEIRA, F. F. D.; SANTANA, F. C. C. Avaliação da qualidade da água para consumo humano, sob os aspectos físico-químicos da cidade de Juazeiro do Norte – CE. Braz. J. of Develop., v.6, n.3, p.12035-12048, 2020.

IKEM, A.; ODUEYUNGBO, S.; EGIEBOR, N. O.; NYAVOR, K. Chemical quality of bottled waters from three cities in eastern Alabama. Sci. Total Environ., v. 285, n. 1-3, p. 4-10, 2002.

MACHADO, A. D.; CRUZ, D. L.; LIBERA, D. D.; OLIVON, E. V.; ARAÚJO, E. L.; NOGUEIRA, L. R.; MATIAS, A. C. G. Avaliação dos rótulos e fatores de motivação de compra de águas minerais no município de São Paulo. Rev. Simbio-Logias, v.6, n.9, p.73-84, 2013.

MACÊDO, J. A. B. de. Águas & águas. 2ª Ed. São Paulo, Editora Varela, 2001.

MME - Ministério de Minas e Energia. Projeto Estudos Hidrogeológicos da Região Metropolitana de Belém e Adjacências. Companhia de Pesquisa de Recursos Minerais - CPRM. Belém (PA), 2002.

MOURA, L. R. C.; PORTO, G. D.; CUNHA, N. R. S.; MOURA, L. E. L.; VEIGA, R. T. O comportamento de compra e a percepção dos atributos da água mineral pelos consumidores. Pers. Erechim., v. 35, n. 130, p. 97-112, 2011.

PALHETA, E. S. M. Estudo da Compartimentação e Arcabouço Neotectônico da Ilha de Mosqueiro - Pará Empregado na Prospecção Hídrica Subterrânea. Tese (Doutorado em Geologia). Universidade Federal do Pará, Programa de Pós-Graduação em Geologia e Geoquímica. Belém (PA), 2008.

REIS, M. M. Fontes naturais: vantagens de uma captação correta. Rev. Engar. Mod., v. 60, p. 53-56, 1998.

ROBLES, E.; RAMIREZ, P.; GONZALEZ, E.; SAINZ, G.; MARTINEZ, B.; DURAN, A.; MARINEZ, E. Bottled-water quality in metropolitan Mexico City. Water Air Soil Pollut. v. 113, p. 217-226, 1999.

SANTOS, A. C. Noções de hidroquímica. In: Feitosa A. C.; Manoel Filho, J. (Eds.). Hidrogeologia: conceitos e aplicações. Fortaleza: CPRM, LABHID-UFPE, 2008.

SAVAZZI, E. A. Determinação da Presença de Bário, Chumbo e Crômio em amostras de água subterrânea coletadas no Aquífero Bauru. Dissertação (Mestrado em Ciências Farmacêuticas). Universidade de São Paulo. Ribeirão Preto (SP), 2008.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv6n6-513

Refbacks

  • There are currently no refbacks.