Efeitos da massagem desportiva na temperatura corporal e na agilidade em mulheres praticantes de handebol / Effects for massage sports at boby temperature and agility in women handball praticers

Izabela Cristine Martins de Souza, Danniella Rosa, Guilherme da Silva Gasparotto, Lívia Pimenta Renó Gasparotto

Abstract


 A massagem aumenta o fluxo sanguíneo por meio da vasodilatação e hiperemia. Tais funções, pelo viés da prática desportiva, podem favorecer a performance no esporte e amenizar a sobrecarga musuculoesquelética. As câmeras termográficas são capazes de gerar imagens através da detecção de luz infravermelha, mensurando de maneira qualitativa e quantitativa o calor dissipado pelo corpo na sua superfície. O handebol é uma modalidade coletiva, acíclica, de natureza intermitente, composto por movimentos de baixa, média e alta intensidade. O trabalho tem por objetivo analisar os efeitos da massagem desportiva na temperatura muscular e na agilidade em praticantes de handebol. O estudo contou com 11 mulheres praticantes de handebol, com idades entre 25 e 55 anos. Realizou-se uma sessão de massagem desportiva e outra de aquecimento. Antes e após registrou-se a temperatura corporal assim como após os dois momentos realizou-se o teste de agilidade. Os dados foram analisados pela estatística comparando a temperatura atingida nos momentos do aquecimento e da massagem desportiva. Foi identificada diferença significativa nas regiões de coxa anterior e coxa posterior com aumento da temperatura superficial após a massagem desportiva, enquanto no pós-aquecimento percebeu-se redução na temperatura superficial. O resultado do teste de agilidade mostrou-se semelhante nos momentos pós-aquecimento e pós-massagem indicando que os dois processos colaboram de forma similar no alcance da agilidade. Sugere-se a massagem desportiva como propulsora do aquecimento corporal favorecendo o aquecimento pré-treino e colaborando na manutenção dos níveis de agilidade em atletas femininas de handebol.


Keywords


Massagem; Termografia; Esportes; Mulheres.

References


Archer PA. Massagem terapêutica esportiva. 1ª ed. brasileira. São Paulo: Manole, 2008.

CassarMP.Manual de massagem terapêutica: um guia completo de massoterapia para o estudante e para o terapeuta. São Paulo: Manole, 2001.

FritzS. Fundamentos da massagem terapêutica. São Paulo: Manole, 2002.

BraunMB, Simonson SJ. Introdução à massoterapia. Manole: Barueri-SP. 2007.

Côrte ACR, Hernandez AJ. Termografia médica infravermelha aplicada à medicina do esporte. RevBrasMed Esporte. 2016;22(4):315-9.

Hildebrandt C,RaschnerC,Ammer K. An overview of recent application of medical infrared thermography in sports medicine in Austria.Sensors. 2010;10(5): 4700–15.

BrioschiML, Abramavicus S, Corrêa CF.Valor da imagem infravermelha na avaliação da dor. RevSocBras Estudo da Dor. 2005;6(1):514-24.

Neves, E. B.; reis, V. M. Fundamentos da termografia para o acompanhamento do treinamento desportivo. Revista UNIANDRADE 2014; 15(2): 79-86.

Eleno TG, Barela JA,KokubunE. Tipos de esforço e qualidades físicas do handebol.

RevBrasCienc Esporte. 2002;24(1):83-98.

UNESCO. Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura. Cadernos de referência de esporte 2 - Fisiologia do exercício. Brasília: Fundação Vale, UNESCO, 2013.

Fritzen AR, Castro I,Vignochi N, NavarroF. Treinamento intermitente e as características morfológicas, metabólicas e fisiológicas no handebol. RevBrasde Prescrição e Fisiologia do Exercício. 2010:23(4):449-56.

Tenroller CA. Handebol: teoria e prática. 3ª ed. Rio de Janeiro: Sprint, 2008.

Carnaval PE.Medidas e avaliação em ciências do esporte. 4ªed. revisada e atualizada em 1998. Rio de Janeiro: Sprint, 2000.

Thomas JR, NelsonJ K,Silverman S J. Métodos de pesquisa em atividade física. 5ª ed. Porto Alegre-RS: Artmed, 2007.

Dantas EHM. A prática da preparação física. 2ª ed. Rio de Janeiro: Sprint, 1986.

McgillicuddyM. Massagem para o Desempenho Esportivo. Porto Alegre-RS: Artmed, 2012.

Bompa TO. Periodização: teoria e metodologia do treinamento.4ª ed. São Paulo: Phorte. 2002

SmithCA. The warm-up procedure: to stretch or not to stretch. A brief review.J Orthop Sports Phys Ther.1994 ;19(1):12-7.

TubinoMJG, Moreira SB. Metodologia científica do treinamento desportivo. 13ª ed. Rio de Janeiro: Shape, 2003.

Fernandes AA, Amorim, PRS, Gomes TNP, Quintana MS, Cuevas IF, et al. Avaliação da temperatura da pele durante o exercício através da termografia infravermelha: uma revisão sistemática. RevAndaluzadeMed Deporte. 2010;5(3):113-7.

CruzR A R S, Araújo V A, Sousa P A C, Arruda J R L. Perfil termográfico de atletas de Handebol após um jogo oficial. Rev Movimenta.2018;11(1)12-9.

Andrade EL, Matsudo SM,Matsudo VKR. Performanceneuromotora em mulheres ativas.RevBrasAtivFis Saúde. 1995;1(2):5-14




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv6n6-492

Refbacks

  • There are currently no refbacks.