Notícias de estupro em websites Piauienses de informação / Rape news on Piaui’s information websites

Michelly Santos de Carvalho, Poliana de Morais Sampaio, Marjory Nathalia Alcobaca Carvalho, Aline de Menezes Santos

Abstract


Segundo Semíramis (2013) a expressão “cultura do estupro” tem sido muito utilizada como uma crítica a culpabilização de mulheres vítimas de estupro. Neste sentido, o presente estudo visa analisar a abordagem dos sites MeioNoite.com, 180 Graus, G1 –Piauí e CidadeVerde.com, nas notícias sobre o estupro coletivo de Pajeú do Piauí, no período de um ano. Assim, busca-se apresentar como a mídia, especialmente os sites analisados, promovem a cultura do estupro em suas narrativas. Para isso, utilizamos a metodologia da Análise de Conteúdo elencando algumas categorias de análise para responder questões como: termos utilizados para ilustrar o crime; desdobramento do caso; caracterização dos agressores e da vítima; e as fontes utilizadas na narrativa. A análise empreendida demonstrou que os sites abordam o crime superficialmente expondo a vítima e legitimando a cultura do estupro.  


Keywords


violência contra mulher; estupro coletivo; mídia; notícias.

References


ANUÁRIO BRASILEIRO DE SEGURANÇA PÚBLICA 2017. Ano 11, 2017. Disponível em < https://goo.gl/MW2WAF>. Acesso em 04 jun. 2020.

BARDIN, L. Análise de Conteúdo. Lisboa: Edições 70, 1977.

BRASIL. Lei 12.015/09. Disponível em . Acesso em 04 jun. 2020.

_______. Lei Nº 11.340. Disponível em:< https://goo.gl/vYSYnB>. Acesso em 12 mai. 2019.

______. Lei Nº 8.069/90: Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA). Disponível em < https://goo.gl/XUg76U>. Acesso em 14 mai. 2020.

CARDOSO, Y. “Mais de 30 engravidou” - a mulher como algoz de seu próprio crime: enquadramento das notícias do estupro coletivo ocorrido no Rio de Janeiro em maio de 2016. XXXIX Congresso Brasileiro de Ciências da Comunicação, São Paulo – SP, 2016.

CERQUEIRA, D., et al. Atlas da Violência 2018. Disponível em: . Acesso em 14 mai. 2020.

CERQUEIRA, D. et al. Atlas da Violência 2019. Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada; Fórum Brasileiro de Segurança Pública (Orgs). Brasília: Rio de Janeiro: São Paulo: Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada; Fórum Brasileiro de Segurança Pública. Disponível em: < https://bit.ly/2JYQDA1>. Acesso em 05 jun. 2020.

CARRIÇO, S.; TOMAZI, M. A representação social do estupro coletivo nas notícias e nos comentários dos jornais extra/globo. Colóquio de Estudos Linguísticos; Vitória-ES, v. 1, n. 1, 2016.

CARVALHO, D.; CARNEIRO, R.; MARTINS, H. ; SARTORATO, E. Pesquisa Bibliográfica. Goiânia, 16 jun. 2004. Disponível em: < https://goo.gl/wTT7pc>. Acesso 18 de mai. 2020.

CARVALHO, M; VIANA, M. M.; MORAIS, P.; ZEFERINO, T. Violência contra a mulher na mídia: estupros coletivos em sites piauienses In: Encontro Nacional Discurso, Identidade e Subjetividade. Teresina. Anais do Encontro Nacional Discurso, Identidade e Subjetividade: Mídia e Democracia. Teresina: Edufpi, 2017. v.1. p.262-27, 2017.

CHAUI, M. Conformismo e resistência: aspectos da

cultura popular no Brasil. São Paulo: Brasiliense, 1986.

GONÇALVES, G. O papel do jornalista investigativo versus ética profissional. Mogi das Cruzes: Universidade de Mogi das Cuzes, 2010. Disponível em < https://goo.gl/RM3xz7>. Acesso em 20 mai. 2020.

LAURETIS, T. Technologies of gender: essays on theory, film and fiction. Indiana: University Press, 1987.

LEITE, T. Cultura do estupro: jornais online e a reprodução da culpabilização da vítima em Rondônia. Anais do Seminário Internacional Fazendo Gênero 11 & 13th Women’s Worlds Congress, Florianópolis, 2017. Disponível em < https://goo.gl/qAid8q>. Acesso em 20 mai. 2020.

MACHADO, T. Representações da mulher vítima de violência sexual: abordagens midiáticas do estupro coletivo sob uma perspectiva discursiva, crítica e feminista. Seminário Internacional Fazendo Gênero 11 & 13th Women’s Worlds Congress (Anais Eletrônicos), Florianópolis, 2017.

MARTINS, E. Número de estupros cresce em 2017 e chega a 60 mil no país, mostra relatório sobre segurança, 2018. Disponível em < https://goo.gl/J2CdkC> Acesso em 18 abr. 2020.

ROST, M; VIEIRA, M. Convenções de gênero e violência sexual: a cultura do estupro no ciberespaço. Revista Contemporânea. vol. 13, n. 2, p. 261-276, 2015. Disponível em . Acesso em 10 mai. 2020.

SEMÍRAMIS, C. Sobre a cultura do estupro. Revista Fórum, 2013. Disponível em . Acesso em 19 mai. 2020.

SILVA, M. Discursos sobre a violência em relações afetivas e sexuais e engendramentos no jornal pequeno. Anais do Seminário Internacional Fazendo Gênero 10, Florianópolis, 2013. Disponível em < https://goo.gl/BiYV24>. Acesso em 30 mai. 2020.

SOUSA, A.; SIMAS, F.; LIMA, I. Nenhum passo atrás: a criminalização da juventude pobre e a efetivação dos direitos de jovens acusados da prática de ato infracional. Revista Proposta. Ano 37, n. 126, pp. 17-22, 2013.

SOUSA, R. Cultura do estupro: prática e incitação à violência sexual contra mulheres. Rev. Estud. Fem. [online].vol.25, n.1, pp.9-29, 2017. Disponível em < https://goo.gl/fwkXf6>. Acesso em 30 mai. 2020.

THINK-OLGA. Minimanual do Jornalismo Humanizado Parte I: Violência contra a mulher. 2016. Disponível em . Acesso em 30 mai. 2020.

VAN DIJK, T. A. Discurso, notícia e ideologia. Estudos na Análise Crítica do Discurso. Porto: Campo das Letras, 2005.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv6n6-473

Refbacks

  • There are currently no refbacks.