Tipologia de Tecnologias em Saúde presentes nas maternidades segundo perspectivas dos profissionais gestores e enfermeiros / Typology of Health Technologies present in the maternity hospitals according to the perspectives of the professional managers and nurses

Talisson Boaventura, Laryssa De Col Dalazoana Baier, Milene Gonçalves da Silva, Alessandra Rodrigues Martins, Pollyanna Kássia de Oliveira Borges

Abstract


As tecnologias estão presentes no cotidiano da população e dentro do setor saúde são classificadas como tecnologia leve, leve-dura e dura. O objetivo deste estudo foi analisar e compreender as estruturas das maternidades segundo a tipologia de tecnologias em saúde, na perspectiva dos profissionais gestores e enfermeiros. Estudo qualitativo, realizado através de análises comparativas com dados coletados nas maternidades do município, no período de agosto de 2017 a agosto de 2018, com 27 sujeitos que trabalharam nas maternidades. Emergiram dos discursos oito categorias de unidade de registro sendo elas: comunicação entre equipe, comunicação profissional e usuário, comunicação entre os níveis de atenção à saúde, especialização, conhecimento, equipamentos, estrutura profissional e estrutura física. Os resultados desta pesquisa sugerem que o uso das tecnologias nas maternidades do município ainda se encontram em processo de desenvolvimento, abrangendo falhas principalmente nas tecnologias leves, em relação à comunicação.


Keywords


Tecnologias, Maternidades, Profissionais de saúde, Estrutura dos serviços.

References


BAIER, Laryssa de Col Dalazoana et al. Olhares da Gestão Hospitalar sobre a Mortalidade Perinatal: Contextualização e Perspectivas. Revista Gestão & Conexões, v. 8, n. 3, p. 31-51, 2019.

BAQUIÃO, Larissa Sales Martins et al. Práticas educativas a gestantes em situação de vulnerabilidade social/Educational practices to pregnant women in a situation of social vulnerability. Brazilian Journal of Development, v. 6, n. 4, p. 16903-16907, 2020.

BRASIL, Departamento de Informática do SUS. Estatísticas Vitais. Nascidos vivos. Brasil: Tabnet.2018; [Acesso em: 8 maio 2019]. Disponível em: http://www.saude.pr.gov.br/.

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Ciência, Tecnologia e Insumos Estratégicos. Departamento de Ciência e Tecnologia. Política Nacional de gestão de tecnologias em saúde. Brasília, DF: Ministério da Saúde.2011. (Série B. Textos básicos em saúde). [Acesso em: 22 de abril 2019]. Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/politica_nacional_gestao_tecnologias_saude.pdf.

BROCA, Priscilla Valladares; DE ASSUNÇÃO FERREIRA, Márcia. Processo de comunicação na equipe de enfermagem a fundamentado no diálogo entre Berlo e King. Escola Anna Nery Revista de Enfermagem, v. 19, n. 3, p. 467-474, 2015.

CORIOLANO-MARINUS, Maria Wanderleya de Lavor et al. Comunicação entre trabalhadores de saúde e usuários no cuidado à criança menor de dois anos no contexto de uma unidade de saúde da família. Interface-Comunicação, Saúde, Educação, v. 19, p. 311-324, 2015..

COSTA, Maria de Fatima dos Santos; GOMES JUNIOR, Saint Clair; MAGLUTA, Cynthia. Análise da distribuição dos nascimentos com marcadores de gravidade em maternidades com unidade de terapia intensiva neonatal no Sistema Único de Saúde. Cadernos Saúde Coletiva, v. 26, n. 2, p. 125-130, 2018.

DE SOUSA, Maria Joeli; JUNIOR, Edson Hélio Dias. As ações de enfermagem para assistência à gestante na gravidez tardia/Nursing actions to assist pregnant pregnant pregnancy. Brazilian Journal of Development, v. 6, n. 5, p. 30730-30748, 2020.

DUARTE, Maria de Lourdes Custódio; BOECK, Jocemara Neves. EL TRABAJO EN EQUIPO EN LA ENFERMERÍA Y LOS LÍMITES Y POSIBILIDADES DE LA ESTRATEGIA SALUD DE LA FAMILIA. Trabalho, Educação e Saúde, v. 13, n. 3, p. 709-720, 2015.

GALAVOTE, Heletícia Scabelo et al. A gestão do trabalho na estratégia saúde da família:(des) potencialidades no cotidiano do trabalho em saúde. Saúde e Sociedade, v. 25, p. 988-1002, 2016.

GUIMARÃES, Wilderi Sidney Gonçalves et al. Acesso e qualidade da atenção pré-natal na Estratégia Saúde da Família: infraestrutura, cuidado e gestão. Cadernos de Saúde Pública, v. 34, p. e00110417, 2018.

LIMA, Diana Pereira; LEITE, Maísa Tavares de Souza; CALDEIRA, Antônio Prates. Redes de Atenção à Saúde: a percepção dos médicos trabalhando em serviços de urgência. Saúde em Debate, v. 39, p. 65-75, 2015.

MARINHO, Pabliane Matias Lordelo et al. Prevalência da utilização de tecnologias leves pela equipe de enfermagem de um hospital estadual. Revista da Rede de Enfermagem do Nordeste, v. 18, n. 4, p. 445-452, 2017.

MATTOS, Luciana Bisio; DAHMER, Alessandra; MAGALHÃES, Cleidilene Ramos. Contribuição do curso de especialização em Atenção Primária à Saúde à prática de profissionais da saúde. ABCS Health Sciences, v. 40, n. 3, 2015.

MERHY, Emerson Elias. Saúde: a cartografia do trabalho vivo. In: Saúde: a cartografia do trabalho vivo. 2005.

MERHY, Emerson Elias; FEUERWERKER, Laura Camargo Macruz. Novo olhar sobre as tecnologias de saúde: uma necessidade contemporânea. Merhy EE, Baduy RS, Seixas CT, Almeida DES, Slomp Junior H, organizadores. Avaliação compartilhada do cuidado em saúde: surpreendendo o instituído nas redes. Rio de Janeiro: Hexis, v. 1, p. 59-72, 2016.

MOREIRA, Mayrene Dias de Sousa; GAIVA, Maria Aparecida Munhoz. < b> Comunicação do enfermeiro com a mãe/família na consulta de enfermagem à criança/Communication of the nurse with the mother/family in the nursing appointment to the child< b. Ciência, Cuidado e Saúde, v. 15, n. 4, p. 677-684, 2016.

PARANÁ, Secretaria Estadual de Saúde. Linha Guia Rede Mãe Paranaense. Paraná; 2018; 7: 37-41.

PEDUZZI, Marina; LEONELLO, Valeria Marli; CIAMPONE, Maria Helena Trench. Trabalho em equipe e prática colaborativa. KURCGANT, P. et al. Gerenciamento em Enfermagem, v. 3, 2016, p. 103-114.

POERSCH, Lisiane Gregis; ROCHA, Cristianne Maria Famer. Acolhimento sob a perspectiva dos profissionais da saúde da estratégia saúde da família. SANARE-Revista de Políticas Públicas, v. 15, n. 2, 2016.

SANTANA, Juliane Rodrigues Ferreira de et al.. Proposta de implantação de protocolo de precauções-padrão para profissionais de enfermagem da unidade de urgência de uma maternidade pública. Repositorio UFSC.2017; 1-23.

SILVA, Denise Conceição da; ALVIM, Neide Aparecida Titonelli; FIGUEIREDO, Paula Alvarenga de. Tecnologias leves em saúde e sua relação com o cuidado de enfermagem hospitalar. Escola Anna Nery, v. 12, n. 2, p. 291-298, 2008.

SILVA, Kamilla Santos et al. Percepção de gestores e enfermeiros sobre a organização do fluxo assistencial na rede de serviços de saúde. Revista Eletrônica de Comunicação, Informação e Inovação em Saúde, v. 11, n. 2, 2017.

SILVA, Maria Rejane Ferreira da et al. Continuidade Assistencial a mulheres com câncer de colo de útero em redes de atenção à saúde: estudo de caso, Pernambuco. Saúde em Debate, v. 40, p. 107-119, 2016.

SIQUEIRA, Fernanda Paula Cerântola et al. A capacitação dos profissionais de saúde que atuam na área do aleitamento materno. Investigación en Enfermería: Imagen y Desarrollo, v. 19, n. 1, p. 171-186, 2017.

TAVARES, Maria de Fátima Lobato et al. A promoção da saúde no ensino profissional: desafios na Saúde e a necessidade de alcançar outros setores. Ciência & Saúde Coletiva, v. 21, p. 1799-1808, 2016.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv6n6-459

Refbacks

  • There are currently no refbacks.