Relatórios de sustentabilidade de empresas mineradoras no Brasil: Uma análise do seu alinhamento com a agenda de sustentabilidade global e especificidades locais / Sustainability reports of mining companies in Brazil: An analysis of their alignment with the global sustainability agenda and local specificities

Greiciele Macedo Morais, Henrique Cordeiro Martins, Valdeci Ferreira dos Santos

Abstract


A indústria de mineração desempenha um papel importante no desenvolvimento econômico do Brasil, mas também se mostra um desafio para a agenda de sustentabilidade, quanto à extração de recursos não renováveis e os respectivos impactos, ambientais e sociais. Nesse contexto, o objetivo deste artigo é analisar o conteúdo dos relatórios de sustentabilidade das empresas Samarco e Vale S.A referentes aos anos que antecedem as tragédias de Mariana e Brumadinho, a procura de possíveis lacunas entre o que as empresas mineradoras formalizam nesses documentos e a efetividade dessas ações. Os resultados demonstram que as práticas sustentáveis contempladas nos relatórios são coerentes com os fatores e dimensões abordadas pela literatura. As empresas, por meio dos relatórios, demonstram o interesse na manutenção do contínuo diálogo com a sociedade. Nos relatórios as empresas abordam iniciativas que se comprometem com redução de impactos ambientais negativos. Entende-se que não se trata, tão somente, dos gestores adotarem padrões ou soluções estabelecidas como ideais, mas sim construir estratégias e ações práticas nas operações que respeitem as particularidades locais. Além disso, o protagonismo da sociedade, na discussão e fiscalização da atividade minerária, tende a cooperar para a socialização das ações sustentáveis efetivamente implantadas, as métricas e os resultados delas para a população.


Keywords


Sustentabilidade Ambiental, Mineração, Desenvolvimento, Desastres, Relatórios.

References


ADIANSYAH, J. S.; HAQUE, N.; ROSANO, M.; BISWAS, W. Application of a life cycle assessment to compare environmental performance in coal mine tailings management. Journal of environmental management, v. 199, p. 181-191, 2017.

BATISTA, A.; FRANCISCO, A. Organizational sustainability practices: A study of the firms listed by the Corporate Sustainability Index. Sustainability, v. 10, n. 1, p. 226, 2018.

BELLANTUONO, N.; PONTRANDOLFO, P.; SCOZZI, B. Capturing the stakeholders’ view in sustainability reporting: a novel approach. Sustainability, v. 8, n. 4, p. 379, 2016.

BNDES. Desafios da mineração: desenvolvimento e inovação para redução dos impactos ambientais e sociais. Disponível: https://www.bndes.gov.br/wps/portal/site/ home/conhecimento/noticias/noticia/inovacao-tecnologia-mineracao-metais 27/04/19.

BOONS, F.; BOONS, F.; MONTALVO, C.; QUIST, J.; WAGNER, M. Sustainable innovation, business models and economic performance: an overview. Journal of Cleaner Production, v. 45, p. 1-8, 2013.

BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil. Brasília, 1988. 292 p.

CAMPOS, L. M. S. et al. Relatório de sustentabilidade: perfil das organizações brasileiras e estrangeiras segundo o padrão da Global Reporting Initiative. Gestão & Produção, v. 20, n. 4, p. 913-926, 2013.

CUNHA, A. C. R. Tempos de barbárie: da necessidade de uma nova ética ambiental. Griot: Revista de Filosofia, v. 16, n. 2, p. 67-80, 2017.

DAUB, C. Avaliando a qualidade dos relatórios de sustentabilidade: uma abordagem metodológica alternativa. Journal of Cleaner Production , v. 15, n. 1, p. 75-85, 2007.

DEFESA CIVIL. Informações: Desastre Barragem de rejeitos de Brumadinho. 2019. Disponível em: http://www.defesacivil.mg.gov.br. 24 abr 2019.

DELMAS, M.; BLASS, V. D. Measuring corporate environmental performance: the trade‐offs of sustainability ratings. Business Strategy and the Environment, v. 19, n. 4, p. 245-260, 2010.

DIALGA, I. A sustainability index of mining countries. Journal of cleaner production, 179, 278-291, 2018.

DNPM. Relatório de arrecadação da CFEM. Departamento Nacional de Produção Mineral. Disponível em: https://sistemas.dnpm.gov.br/arrecadacao/extra/Relatorios/ distribuicao_cfem.aspx. Acesso em: 27 abr 2019.

FALLE, S.; RAUTER, R.; ENGERT, S.; BAUMGARTNER, R. J. Sustainability management with the sustainability balanced scorecard in SMEs: Findings from an Austrian case study. Sustainability, v. 8, n. 6, p. 545, 2016.

FREITAS, C. M. de et al. Desastres em barragens de mineração: lições do passado para reduzir riscos atuais e futuros. Epidemiologia e Serviços de Saúde, v. 28, 2019.

GLOBAL REPORTING INITIATIVE (GRI). Sustainability reporting guidelines, 2019. Disponível: http://www.globalreporting.org/NR/rdonlyres/ED9E9B36-AB54-4DE1BF F2-5F7352 35CA44/0/G3_GuidelinesENU.pdf. Acesso 27 abr. 2019.

GORMAN, M. R.; DZOMBAK, D. A. A review of sustainable mining and resource management: Transitioning from the life cycle of the mine to the life cycle of the mineral. Resources, Conservation and Recycling, v. 137, p. 281-291, 2018.

HUSGAFVEL, R. et al. Social sustainability performance indicators experiences from process industry. Journal of Sustainable Engineering, v. 8, n. 1, p. 14-25, 2015.

IBAMA. Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e Recursos Naturais Renováveis. Disponível: http://www.ibama.gov.br/noticias/66-2015/205-onda-de-rejeitos-dasamar co-atingiu-663-km-de-rios-e-devastou-1-469-hectares-de-terras. 30 mar. 2019.

IBRAM. Instituto Brasileiro de Mineração. Eleições 2018: Políticas Públicas para a Indústria Mineral. Brasília, 2018.

KLEWITZ, J.; HANSEN, E. G. Sustainability-oriented innovation of SMEs: a systematic review. Journal of cleaner production, v. 65, p. 57-75, 2014.

KOLK, A. Trends in sustainability reporting by the Fortune Global 250. Business strategy and the environment, v. 12, n. 5, p. 279-291, 2003.

LONGONI, A.; CAGLIANO, R. Sustainable innovativeness and the triple bottom line: The role of organizational time perspective. Journal of Business Ethics, v. 151, n. 4, p. 1097-1120, 2018.

MARNIKA, E.; CHRISTODOULOU, E.; XENIDIS, A. Sustainable development indicators for mining sites in protected areas: tool development, ranking and scoring of potential environmental impacts and assessment of management scenarios. Journal of Cleaner Production, v. 101, p. 59-70, 2015.

MONEVA, J. M.; ORTAS, E. Corporate environmental and financial performance: a multivariate approach. Industrial Management & Data Systems, v. 110, n. 2, p. 193-210, 2010.

OLIVER, C. (1991). Strategic responses to institutional processes. Academy of management review, 16 (1), 145-179.

ONU. Meio Ambiente; United Nations Environment Programme (2019). Disponível em: https://www.unenvironment.org/explore-topics/sustainable-development-goals/why-do-sustainable-development-goals-matter. Acesso em: 17 Mai. 2020.

PFEFFER, J. Building sustainable organizations: The human factor. Academy of management perspectives, v. 24, n. 1, p. 34-45, 2010.

RANANGEN, H.; LINDMAN, A. A path towards sustainability for the Nordic mining industry. Journal of Cleaner Production, v. 151, p. 43-52, 2017.

REZENDE, V. L. A mineração em minas gerais: uma análise de sua expansão e os impactos ambientais e sociais causados por décadas de exploração. Sociedade & Natureza, v. 28, n. 3, 2016.

SAMARCO. A Samarco, 2020. Disponível em: https://www.samarco.com/a-samarco/. Acesso em: 10 abr. 2020.

SAMARCO. Relatório de Sustentabilidade de 2014. Samarco. Belo Horizonte, 2015. Disponível: https://www.samarco.com/wp-content/uploads/2016/08/2014-Relatorio-Anual-de-Sustentabilidade.pdf. Acesso em:03 abr 2019.

SANTIS, P.; ALBUQUERQUE, A.; LIZARELLI, F. Do sustainable companies have a better financial performance? A study on Brazilian public companies. Journal of Cleaner Production, v. 133, p. 735-745, 2016.

SANTOS, V. F.; MORAIS, G. M.; GONÇALVES, C. A.; DIAS, A. T. Catástrofes na indústria de mineração: comportamentos executivos e a relação de poder entre mineradoras, o estado e a sociedade como fatores disruptivos do caos. Brazilian Journal of Development, v. 6, n. 5, p. 31461-31478, 2020.

VALE. Fact-sheet, 2019. Disponível em: http://www.vale.com/canada/EN/investors/company/fact-sheet/Pages/default.aspx. Acesso em 09 abr. 2019.

VALE. Relatório de Sustentabilidade de 2017. Vale. Rio de Janeiro, 2018. Disponível: http://www.vale.com/PT/aboutvale/relatorio-de-sustentabilidade2017/Documents/v_VALE_RelatorioSustentabilidade_2017_v.pdf. Acesso em: 09 abr. 2019.

VIEIRA, E. A. A (in) sustentabilidade da indústria da mineração no Brasil. Estação Científica (UNIFAP), v. 1, n. 2, p. 1-15, 2011.

VILDASEN, S. S.; KEITSCH, M.; FET, A. M. Clarifying the epistemology of corporate sustainability. Ecological economics, v. 138, p. 40-46, 2017.

WORLD BANK. The Growing Role of Minerals and Metals for a Low Carbon Future, The World Bank Group. Washington, June 2017.

YAKOVLEVA, N.; KOTILAINEN, J.; TOIVAKKA, M. Reflections on the opportunities for mining companies to contribute to the united nations sustainable development goals in Sub–Saharan Africa. Extractive Industries and Society, v. 4, n. 3, 2017.

YELLISHETTY, M.; MUDD, G. M. Substance flow analysis of steel and long term sustainability of iron ore resourc+es in Australia, Brazil, China and India. Journal of cleaner production, v. 84, p. 400-410, 2014.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv6n6-445

Refbacks

  • There are currently no refbacks.