Desafios da inclusão no ensino de ciências: Uruguaiana/RS / Challenges of inclusion in science teaching: Uruguaiana/RS

Rose Cristina Nunes, Carlos Maximiliano Dutra

Abstract


O presente estudo buscou subsídios para identificar o atual contexto inclusivo vivenciado pelos professores de Ciências do Ensino Fundamental II da Rede Municipal de Uruguaiana. A pesquisa foi desenvolvida inicialmente dentro de uma abordagem quantitativa, com coleta de informações junto ao setor de Dados e Estatísticas Educacionais, e aplicação de um questionário aberto a um grupo de professores da disciplina de Ciências, durante uma reunião mensal de formação continuada. Entre os anos letivos de 2018 e 2019 o número total de alunos matriculados no Ensino Fundamental II teve uma queda de 3,8%, já o número de alunos incluídos com laudo médico manteve-se com média de 3,4%. As 13 escolas municipais possuem Salas de Recursos Multifuncionais (SRM), com Atendimento Educacional Especializado (AEE), oferecendo atendimento para os alunos incluídos no turno inverso das aulas regulares consecutivamente das aulas de Ciências. Os índices foram levantados visando demonstrar a realidade de que todas as escolas municipais possuem alunos incluídos e assim proporcionar a reflexão quanto as articulações de como este processo ocorre, e, a partir de então subsidiar cada vez melhor os professores de Ciências.  Nas respostas dos questionários os professores de Ciências evidenciaram a falta de formação voltada à Educação Inclusiva, relataram seus anseios e dificuldades em desenvolver metodologias diferenciadas que atendam as várias necessidades educacionais especiais encontradas em suas turmas, a falta de auxiliar de inclusão nas aulas regulares e o pouco ou nenhum contato com o professor de Atendimento Educacional Especializado.


Keywords


Educação Inclusiva. Ensino em Ciências. Práticas docentes.

References


BAGETTI, A. et al. Metodologia do ensino de ciências naturais e suas tecnologias. 1. Ed. Santa Maria: Universidade Federal de Santa Maria, 2005.

BARBOSA, E. T.; SOUZA, V. L.T. A vivência de um professor sobre o processo de inclusão: um estudo da perspectiva da psicologia histórico-cultural. Revista Psicopedagogia, v.27, n.84, p.352-62, 2010.

BARDIN, L. Análise de conteúdo. Lisboa: Edições 70, 1977.

BRASIL. A inclusão escolar de alunos com necessidades educacionais especiais: Deficiência Física. Brasília: MEC/SEE, 2006.

BRASIL. Base Nacional Comum Curricular. Brasília: MEC/Secretaria de Educação Básica, 2017.

BRASIL. Decreto nº 6.571, de 17 de setembro de 2008. Dispõe sobre o Atendimento Educacional Especializado. Brasília: Diário Oficial da União, 2008.

BRASIL. Ministério da Educação. Diretrizes Operacionais da Educação Especial para o Atendimento Educacional Especializado (AEE) na Educação Básica. Brasília: MEC/SEESP, 2008.

BRASIL. Ministério da Educação. Lei nº 13.146, de 6 de julho de 2015. Institui a Lei Brasileira de Inclusão da Pessoa com Deficiência. Brasília: Diário Oficial da União, 2015.

BRASIL. Nota Técnica nº 4/2014. Orientação quanto a documentos comprobatórios de alunos com deficiência, transtornos globais do desenvolvimento e altas habilidades/superdotação no Censo Escolar. Brasília: MEC / SECADI / DPEE, 2014.

BRASIL. Ministério da Educação. Parâmetros Curriculares Nacionais: Ciências Naturais. Secretaria de Educação Fundamental. Brasília: MEC /SEF, 1998.

BRASIL. Ministério da Educação. Política Nacional de Educação Especial na Perspectiva da Educação Inclusiva. Brasília: MEC/SEESP, 2008.

BRASIL. Portaria normativa nº 13, de 24 de abril de 2007. Dispõe sobre a criação do

Programa de Implantação de Salas de Recursos Multifuncionais. Brasília: Diário Oficial da União, 2007.

BRASIL. Resumo Técnico do Censo da Educação Básica 2017. Brasília: INEP/MEC, 2018.

BRASIL. Resumo Técnico do Censo Escolar de 2018. Brasília: INEP/MEC, 2018.

CAMARGO, E. P.; LIPPE, E. M. O.; NARDI, R. (Org.). O ensino de ciências e seus desafios para a inclusão: o papel do professor especialista. Ensino de ciências e matemática, I: temas sobre a formação de professores [online]. São Paulo: Editora UNESP; São Paulo: Cultura Acadêmica, 2009

CARVALHO, A. M. P. de (et al). Ciências no ensino fundamental: o conhecimento físico. São Paulo: Scipione, 1998.

CHASSOT, A. Alfabetização científica: questões e desafios para a educação. 2.ed. Ijuí: Unijuí, 2002.

COSTA, L. G.; NEVES, M. C. D.; BARONE, D. A. C. O ensino de Física para deficientes visuais a partir de uma perspectiva fenomenológica. Revista Ciência e Educação, v. 12, n. 2, p. 143-153, 2006.

DELIZOICOV, D.; ANGOTTI, J. A.; PERNAMBUCO, M. M. Ensino de Ciências Fundamentos e Métodos. 4. ed. São Paulo: Cortez, 2011.

IMBERNÓN, F. Formação Docente e Profissional: formar-se para a mudança e a incerteza. 9.ed. São Paulo: Cortez, 2011.

PÊSSOA, K.; FAVALLI, L. Novo Pitanguá: Ciências. 1. ed. São Paulo: Moderna, 2017.

REILY, L. H. Estratégias pedagógicas na escola inclusiva. Campinas: Papirus Editora, 2001.

RIO GRANDE DO SUL. Secretaria de Estado da Educação. Referencial Curricular Gaúcho: Ciências da Natureza. V1, Porto Alegre, 2018.

SANTOS, S. O. Educação inclusiva: representações de professores de uma escola pública do estado de São Paulo. São Paulo: UNICID, 2009.

SILVA, R. L. F.; TRIVELATO, S.F. Ensino de Ciências. Coleção ideias em ação. São Paulo: Cengage Learning, 2016.

SILUK, A. C.P. et al. Formação de Professores para o Atendimento Educacional Especializado. Santa Maria: Universidade Federal de Santa Maria, 2011.

TONINI, A. et al. Psicologia das relações educacionais. 1.ed. Santa Maria: Universidade Federal de Santa Maria, 2005.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv6n6-426

Refbacks

  • There are currently no refbacks.