Percepção de beneficiários do Programa Cisternas: manuseio de águas em Ibaretama, Ceará / Perception of beneficiaries of the Cisterns Program: water handling in Ibaretama, Ceará

Maria Elanny Damasceno Silva, Juan Carlos Alvarado Alcócer, Olienaide Ribeiro de Oliveira Pinto, Ciro de Miranda Pinto, Aluísio Marques da Fonseca

Abstract


As cisternas trouxeram a possibilidade de conviver harmonicamente com os desafios de habitar na Caatinga, contudo, se não houver higienização adequada em todas as etapas de coleta, manuseio da água e armazenamento na cisterna há riscos de contaminação, comprometendo a proposta do Programa Cisternas de levar água apropriada ao consumo humano às famílias rurais de baixa renda do Semiárido Brasileiro. Por conta dos baixos índices de abastecimento de água tratada nas residências e com significativo número de população carente o município de Ibaretama, localizado no Sertão Central do Ceará foi escolhido para o cenário deste estudo. A análise verificou como as famílias ibaretamenses estavam manuseando a água pluvial captada e armazenada no interior das tecnologias sociais. Objetivou-se analisar os procedimentos de captação de águas pluviais em relação à higienização das cisternas e águas armazenadas por usuários de Ibaretama, de acordo com as recomendações das capacitações oferecidas pelo Programa Cisternas, para garantir a efetividade da política hídrica. O estudo restringe testes microbiológicos de potabilidade da água, estando voltado aos aspectos habituais dos beneficiários. Referente aos procedimentos metodológicos a pesquisa de campo possui abordagem mista com predomínio qualitativo, de natureza aplicada e classificada em descritiva-exploratória. Fez-se uso de questionário como instrumento de coleta de informações para entrevistar 71 famílias ibaretamenses. Os resultados apontaram a existência de dois principais aspectos a serem reforçados na manutenção de higiene das águas de chuvas: 1) a utilização da bomba manual e 2) os tratamentos pós coleta de água, capazes de inibir bactérias patógenas ao longo dos meses. Conclui-se que a efetividade do programa será satisfatoriamente atingida quando houver consciência da importância de seguir as recomendações de limpeza e tratamentos adequados apresentados nas reuniões do Programa Cisternas, além da auto responsabilidade das famílias em preservar seus reservatórios e a água armazenada.

 

 


Keywords


Semiárido brasileiro, famílias rurais, água de chuva, política hídrica.

References


ARSKY, I. DA C.; SANTANA, V. L. Demanda hídrica. In: CONTI, I. L.; SCHROEDER, E.; MADAGLIA, V. R. (Orgs.). Construindo saberes, cisternas e cidadania: formação para a convivência com o semiárido brasileiro. Brasília-DF: Editora IABS, p. 192. 2014. ISBN 978-85-64478-29-9. Disponível em: http://plataforma.redesan.ufrgs.br/biblioteca/pdf_bib.php?COD_ARQUIVO=18178. Acesso em: 25 mai. 2020.

ATLAS BRASIL. Atlas do Desenvolvimento Humano no Brasil. Ibaretama-CE. 2013. Disponível em: http://www.atlasbrasil.org.br/2013/pt/perfil_m/ibaretama_ce. Acesso em: 13 dez. 2019.

BAPTISTA, N. D. Q.; CAMPOS, C. H.. Caracterização do Semiárido Brasileiro. In: CONTI, I. L.; SCHROEDER, E.; MADAGLIA, V. R. (Orgs.). Construindo saberes, cisternas e cidadania: formação para a convivência com o semiárido brasileiro. Brasília-DF: IABS, p. 47-48. 2014. ISBN 978-85-64478-29-9. Disponível em: http://plataforma.redesan.ufrgs.br/biblioteca/pdf_bib.php?COD_ARQUIVO=18178. Acesso em: 25 mai. 2020.

BAPTISTA, N. D. Q.; CAMPOS, C. H.. A convivência com o Semiárido e suas potencialidades. In: CONTI, I. L.; SCHROEDER, E.; MEDAGLIA, V. R.. (Org.). Construindo saberes, cisternas e cidadania: formação para a convivência com o semiárido brasileiro. Brasília-DF: IABS, p. 49-50. 2014a. ISBN 978-85-64478-29-9. Disponível em: http://plataforma.redesan.ufrgs.br/biblioteca/pdf_bib.php?COD_ARQUIVO=18178. Acesso em: 25 mai. 2020.

CALIXTO JÚNIOR, F.; SILVA, A. C. D. Sustentabilidade e póliticas públicas de convivência com o Semiárido: um olhar sobre as tecnologias sociais no campo. Revista da Casa da Geografia de Sobral, Sobral/CE, v. 18, n. 1, p. 44-62, jul. 2016. ISSN 2316-8056. Disponível em: http://www.uvanet.br/rcgs/index.php/RCGS/article/view/285. Acesso em: 11 out. 2019.

COSTA, J. D. D.. Direito humano à água. In: CONTI, I. L.; SCHROEDER, E.; MEDAGLIA, V. R.. Contruindo saberes, Cisternas e cidadania: formação para a convivência com o Semiárido brasileiro. Brasília-DF: IABS, p. 66-67. 2014. ISBN 978-85-64478-29-9. Disponível em: http://plataforma.redesan.ufrgs.br/biblioteca/pdf_bib.php?COD_ARQUIVO=18178. Acesso em: 25 mai. 2020.

FRANÇA, F. M. C. et al. Cisternas de placas: construção, uso e conservação. Fortaleza: Secretaria de Recursos Hídricos do Ceará. Série Cartilhas temáticas – Tecnologias e práticas hidroambientais para convivência com o Semiárido. vol. 2. 33 p. 2010. Disponível em: https://url.gratis/OiFFG. Acesso em: 30 mar. 2020.

GNADLINGER, J.. Colheita de água de chuva em áreas rurais. Palestra. 2° Fórum Mundial da Água. Haia, Holanda, 2000. Disponível em: https://url.gratis/2sF0L. Acesso em: 11 mar. 2020.

GNADLINGER, J.. Água de chuva no manejo integrado dos recursos hídricos em localidades semiáridas: aspectos históricos, biofísicos, técnicos, econômicos e sociopolíticos. In: SANTOS, D. B. D., et al. Captação, manejo e uso de água de chuva. Campina Grande-PB: INSA, Cap. 3 seção I, p. 37-74. 2015. ISBN 978-85-64265-13-4. Disponível em: https://url.gratis/Z1Idg. Acesso em: 30 mai. 2020.

GOMES, U. A. F.; HELLER, H.. Acesso à água proporcionado pelo Programa de Formação e Mobilização Social para Convivência com o Semiárido: Um Milhão de Cisternas Rurais: combate à seca ou ruptura da vulnerabilidade? Engenharia Sanit. Ambiental, Belo Horizonte/MG, v. 21, n. 3, p. 623-633, jul/set. 2016. Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/esa/v21n3/1809-4457-esa-21-03-00623.pdf. Acesso em: 30 mai. 2020.

GUIMARÃES, P. R. B.. Métodos quantitativos estatísticos. 1ª. ed. Curitiba: IESDE Brasil, 252 p. 2012. Disponível em: https://url.gratis/ovc2j. Acesso em: 30 mai. 2020.

IBGE. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Cidades. Ibaretama. 2018. Disponível em: https://cidades.ibge.gov.br/brasil/ce/ibaretama/panorama. Acesso em: 25 nov. 2018.

IPECE. Instituto de Pesquisa e Estratégia Econômica do Ceará. Índice de Desenvolvimento Municipal (IDM) Ceará-2014. Fortaleza-CE: [s.n.]. v. 1. 92 p. 2014. Disponível em: https://url.gratis/MEjoh. Acesso em: 29 mai. 2020.

______. Índice de Desenvolvimento Municipal (IDM) Ceará-2016. Fortaleza-CE: [s.n.]. v. 1. 106 p. 2016. Disponível em: https://url.gratis/q8l9x. Acesso em: 29 mai. 2020.

______. Perfil Básico Municipal 2017 - Ibaretama. Ano 1 – jan. 2018. 18 p. 2017.

MORAIS, G. F. O. et al. Manejo, aspectos sanitários e qualidade da água de cisternas em comunidades do Semiárido Sergipano. Gaia Scientia, v. 11, n. 2, p. 2018-230, jul. 2017. ISSN 1981-1268. Disponível em: http://www.periodicos.ufpb.br/ojs/index.php/gaia/article/view/34885. Acesso em: 14 mai.. 2020.

PASSADOR, C. S.; PASSADOR, J. L.. Apontamentos sobre as políticas públicas de combate à seca no Brasil: cisternas e cidadania? Cadernos Gestão Pública e Cidadania, São Paulo, v. 15, n. 56, p. 65-86, 2010. ISSN 1806-2261. Disponível em: http://bibliotecadigital.fgv.br/ojs/index.php/cgpc/article/view/3203/2096. Acesso em: 16 out. 2019.

PEREIRA, H. E.; GUEDES, J. D. A.. Uso da cisternas de placas em comunidades rurais do município de José da Penha (RN). Revista InterEspaço, Grajaú/MA, v. 1, n. 3, p. 97-112, 2015. ISSN 2446-6549. Disponível em: http://www.periodicoseletronicos.ufma.br/index.php/interespaco/article/view/4437/2428. Acesso em: 14 dez. 2019.

RODRIGUES, S. J. S.; SIQUEIRA, V. M. D. Riscos biológicos associados à água de cisternas do município de Serra Talhada, PE. Revista Nordestina de Ciências Biológicas, v. 1, n. 1, p. 27-35, 2018. Disponível em: https://url.gratis/COXWX. Acesso em: 13 dez. 2019.

SILVA, M. E. D. Políticas públicas de acesso à água e produção de alimentos: os impactos das cisternas no município de Ibaretama, Sertão Central, Ceará. Dissertação. [Mestrado em Sociobiodiversidade e Tecnologias Sustentáveis]. Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-Brasileira. Redenção/CE. 113 p. 2018.

SILVA, C. T. D.; PESSOA, F. A.; SANTOS, M. A. F. D. Relação entre a implentação das cisternas de placas e as questões sociais de gênero na comunidade Tapera, município de Olho d'Áagua/PB. Revista Macambira, v. 1, n. 1, p. 36, jan./jun. 2017. ISSN 2594-4754. Disponível em: http://revista.lapprudes.net/index.php/01/article/download/104/110. Acesso em: 20 nov. 2019.

SILVEIRA, D. T.; CÓRDOVA, F. P.. A Pesquisa Científica. In: GERHARDT, T. E.; SILVEIRA, D. T.. Métodos de Pesquisa. Porto Alegre: Editora da UFRGS, v. 1ª edição, Cap. 2, p. 120. 2009. ISBN 978-85-386-0071-8. Disponível em: http://www.ufrgs.br/cursopgdr/downloadsSerie/derad005.pdf. Acesso em: 20 abr. 2019.

SANTOS, J. E. S.; BORJA, P. C. Captação e armazenamento de água de chuva para consumo humano no semiárido baiano no âmbito do P1MC: uma análise da viabilidade do uso da tecnologia no município de Abaré-BA/ Rain water collection and storage for human consumption in the bahian semi-arid. Brazilian Journal of Development, v. 6, n. ISSN: 2525-8761, p. 5259–5300, 2020. Disponível em:

http://www.brazilianjournals.com/index.php/BRJD/article/view/6585/5804. Acesso em: 28 mai. 2020.

SANTOS, M. J. dos; ARAÚJO, L. E.; OLIVEIRA, E. M.; SILVA, B. B.. Seca, Precipitação e captação de água de chuva no Semi-árido de Sergipe. Revista Eng. Ambiental – Espírito Santos do Pinhal, v. 6, n. 1, p. 55-73, jan/abr. 2009. Disponível em: http://ferramentas.unipinhal.edu.br/engenhariaambiental/viewarticle.php?id=178. Acesso em: 11 mar. 2019.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv6n6-361

Refbacks

  • There are currently no refbacks.