A representação da deficiência em clássicos da literatura brasileira / The representation of disability in classics in brazilian literature

Marleno Chaves Menezes, Lucélia Cardoso Cavalcante Rabelo

Abstract


O presente tem a finalidade de apresentar um estudo sobre o universo que compõe as necessidade existentes e devem embasar os livros que são disponibilizados à leitura dos alunos deficientes. Essa investigação se justifica pela importância que o professor-mediador de língua materna, da educação básica, seja pública ou privada, desempenha no processo ensino-aprendizagem dos deficientes, no Brasil (dificuldades, incompreensões, estereótipos e desafios) e relacionar tais considerações a alguns personagens que fazem parte da Literatura Brasileira. Nesse contexto, procura-se descortinar impressões, discursos dominantes e valores intrínsecos da sociedade, sobretudo, no século XIX. Para isso, faz-se uma analogia com algumas obras europeias que foram veiculadas antes da Primeira Guerra Mundial e o que foi mudando nos contextos subsequentes, quanto â maneira de se abordar os deficientes. O estudo baseia-se nos estudos de Dowker, Figueira, Dalcastagnè e Barros, quanto à parte específica; nas produções de Assis, Guimarães e Rosa, quanto às obras literárias utilizadas e, ainda, nos estudos de Heidegger, quanto ao poder da leitura. Esta empreitada se deu, primeiramente, pela curiosidade de ler as obras com um olhar específico:  a forma que os deficientes são apresentados no meio literário e, depois, pelos milhares de brasileiros nessas circunstâncias, sejam crianças, jovens e adultos.

 

 


Keywords


Deficiência. Representação. Literatura.

References


ASSIS, Machado de. Obra Completa. 1994. Disponível em: < http://www.dominiopublico.gov.br/download/texto/bv000215.pdf>. Acesso em: 20/09/2018.

BARROS. Alessandra. Quarenta anos retratando a deficiência. Revista Brasileira de Educação. Salvador, v.20, n.60, p. 167 – 193, jan./fevereiro 2015.

DALCASTAGNÉ. Regina. A auto-representação de grupos marginalizados: tensões e estratégias na narrativa contemporânea. Letras de Hoje. Porto Alegre, v. 42, n. 4, p. 18 – 31, dezembro 2007.

DOWKER. Ann. A Representação da Deficiência em Livros Infantis: séculos XIX e XX. Educação & Realidade. Porto Alegre, v. 38, n. 4, p. 1053 – 1068, out./dezembro 2013. Disponível em: . Acesso em: 20/09/2018.

FIGUEIRA. Emílio. As pessoas com deficiência no contexto da literatura infanto-juvenil e didática. Mimesis, Bauru, v. 21, n. 1, p. 39 – 52, 2000.

GUIMARÃES. Bernardo. A Escrava Isaura. São Paulo: Companhia Editora Nacional, 2004.

HEIDEGGER, Martin. Ser e Tempo. 13 ed. Rio de Janeiro: Editora Vozes, 2004.

ROSA, Guimarães. Manuelzão e Miguilim; (Corpo de Baile). 11 ed. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2001.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv6n6-325

Refbacks

  • There are currently no refbacks.