Rosácea granulomatosa: um relato de caso / Granulomatous rosacea: a case report

Dyana Melkys Borges Da Silva, Ana Paula Mota Franco, Amélia Santos Leal, Rayssa Avelar Côrte Real, Ádria Rodrigues da Silva, André Barbosa Pimentel dos Santos, Luiz Rodrigo de Souza Papacosta

Abstract


A rosácea trata-se de uma doença dermatológica inflamatória, de caráter crônico e progressivo, que afeta principalmente adultos após 30 anos. A rosácea granulomatosa é a única variante reconhecida pelo comitê norte-americano, caracterizada pela presença de pápulas amarelo-acastanhadas, ou avermelhadas ou pequenos nódulos com base eritematosa e infiltrada, surgindo geralmente na superfície lateral da face e no pescoço. Assim, este estudo objetivou relatar a doença de uma paciente portadora de Rosácea Granulomatosa, que após inúmeros casos de crise e piora clínica, apresenta boa evolução, controle e bom prognóstico. Foi realizado um estudo descritivo do tipo Relato de Caso, utilizando informações retrospectivas, obtidas diretamente no prontuário do paciente sujeito deste caso, assim como dados obtidos nos resultados de exames e relatórios que se encontram com ele. Um Termo de Consentimento Livre e Esclarecido foi assinado, seguido todas as exigências éticas preconizadas. Portanto, é descrita a doença em uma mulher de 40 anos de idade, com exame histopatológico apresentando derme com infiltrado linfóide de padrão nodular, com centros germinativos evidentes e frequentes macrófagos de corpos tingíveis levantando a hipótese de Pseudolinfoma, entretanto sem evolução clínica compatível e sem confirmação imuno-histoquímica tornando a Rosácea granulomatosa o diagnóstico definitivo. Está sendo tratada com prednisona, associada a pulsos de ivermectina e tetraciclina, o qual visa à diminuição dos sintomas e das lesões inflamatórias, menor número de crises e maior espaçamento entre elas, além da melhora do aspecto estético do paciente, pois não há cura para rosácea.

 

 


Keywords


Rosácea, Granulomatosa., Tratamento.

References


AZULAY, R.D. et al. Dermatologia. 6. ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2015. p. 699-700.

BARBOSA, H.L.M. A rosácea e a sua compreensão: etiopatogenia e clínica. 2016. 70 F. Tese (Mestrado em Medicina). Coimbra: Faculdade de Medicina – Universidade de Coimbra.

GOLÇALVEZ, M.M.B.M.M. Cuidados dermocósméticos na rosácea. 2016. 41F. Monografia (Mestrado em Ciências Farmacêuticas). Coimbra: Faculdade de Farmácia – Universidade de Coimbra.

LIMA, R.B. Rosácea (acne rosácea). Disponível em http://www.dermatologia.net/cat-doencas-da-pele/rosacea/. Acessado em 14 maio 2018.

MATES, P. Rosácea. 2011. 44 F. Curitiba: Universidade Tuiuti do Paraná.

MONTEIRO, E. O. Rosácea: mais que um rosto vermelho. Rev. Br. Med., v. 70, n.4, p. 29-32, out. 2013.

NationalRosaceaSociety Expert CommitteeontheClassificationandStagingofRosacea. J. Am. Acad. Dermatol., v. 50, n.4, p. 584-587, abril. 2002.

NETO, P.B.T.; LIMA, J.B.; SILVA. A.C.O. et al. Rosácea granulomatosa: relato de caso – com enfoque terapêutico. AnBrasDermatol., v. 81, p. 320-323, 2006.

RIVITTI, E. A. Manual de dermatologia clínica de Sampaio e Rivitti. 1. ed. São Paulo: Artes Medicas, 2014. p. 176-178.

Sociedade Brasileira de Dermatologia. Rosácea. Disponível em http://www.sbd.org.br/dermatologia/pele/doencas-e-problemas/rosacea/62/. Acessado em 13 maio 2018.

WILKIN, J. et al. Standard classificationofrosacea: Reportofthe




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv6n6-323

Refbacks

  • There are currently no refbacks.