Silagem ácida e biológica de resíduos de peixes produzidos na Amazônia ocidental – Acre / Acid and biological silage of fish residues produced in the western Amazon - Acre

Julyane Lopes de Lima, Fabio Augusto Gomes, Leandro Viana Barreto, Bruna Laurindo Rosa, Leonardo Paula de Souza, Josimar Batista Ferreira, Henrique Jorge de Freitas

Abstract


Existem uma grande quantidade de resíduos gerados pelas indústrias beneficiadoras de pescado, sendo o seu descarte um grande problema de poluição ambiental. Uma alternativa é transformar esses resíduos em silagem, possibilitando a bioconversão do material, trazendo vantagens econômicas para a indústria, além de permitir o manejo do resíduo. O estudo teve por objetivo elaborar e avaliar o valor nutritivo das silagens ácida e biológica de resíduos de Pintado e Pirapitinga, as silagens foram preparadas mediante a moagem dos resíduos e adicionados 10% de ácido acético para silagem ácida, e 6% de iogurte natural e 10% de açúcar comercial para biológica. Foram armazenadas em baldes em temperatura ambiente durante 45 dias. O pH e temperatura foram monitorados em dias intercalados. Foram realizadas análises microbiológicas para fungos e leveduras, microrganismos mesófilos totais e coliformes totais a 35°C. Os dados foram submetidos à análise de variância e comparadas pelo teste de Tukey a nível de 5% de probabilidade. As silagens ácidas apresentaram os menores níveis de pH em média de 3,96 (Pintado) e 3,71 (Pirapitinga). Nas análises microbiológicas observou a ausência de coliformes totais a 35°C, fungos e leveduras, microrganismos mesofilos totais. As análises revelaram diferenças significativas entre as silagens sendo os valores expressivos para proteína bruta na silagem biológica de Pintado (42,13%) e Pirapitinga (42,92%), e energia bruta na silagem biológica de Pintado (3907 Kcal/Kg) e Pirapitinga (3776 Kcal/Kg) e que evidenciaria de forma mais desejável a relação Proteína/Energia gerando um produto de qualidade com potencial para uma possível formulação de ração.

 

 


Keywords


Aproveitamento. pintado. Pirapitinga.

References


ACRE. Zoneamento ecológico-econômico do Acre fase II escala 1: 250.000: documento síntese. Rio branco, AC: Secretaria de Estado de Planejamento: Secretaria de Estado de Meio Ambiente, 2010.

AMANCIO, A. L. de L. et al. Valor Nutricional Da Silagem De Pescado E Utilização Na Alimentação Animal. Bol. Téc. Cient. Cepnor, v. 10, n. 1, p. 79-93, 2010.

ASSOCIATION OF OFFICIAL ANALYTICAL CHEMISTS. Official methods of analysis. Washington: AOAC, 2000.

BACKHOFF, H. P. Some chemical change in fish silage. J. Fd Technol11, 353-363, 1976

BATALHA O. de S. Silagem ácida de resíduos de pirarucu (Arapaima gigas, Schinz 1822) na alimentação de poedeiras comerciais leves. Dissertação de Mestrado. Manaus. 2017.

BELLO, R. A. Experiencias con ensilado de pescado en Venezuela. FAO ANIMAL PRODUCTION AND HEALTH PAPER, p. 1-14, 1997.

BORGHESI, R. Avaliação físico-química, nutricional e biológica das silagens ácida, biológica e enzimática elaboradas com descarte e resíduo do beneficiamento da Tilápia do Nilo (Oreochromis niloticus). Dissertação de Mestrado. São Paulo. 2004.

BORGHESI, R.; ARRUDA, L. F de.; OETTERER, M. A silagem de pescado na alimentação de organismos aquáticos. Boletim do Centro de Pesquisa de Processamento de Alimentos. Curitiba v. 25, n. 2, p. 329-339 jul./dez. 2007

BOSCOLO, W. R. et al. Avaliação microbiológica e bromatológica da silagem ácida obtida de resíduos da indústria de filetagem de tilápia do Nilo (Oreochromis niloticus). Semina: Ciências Agrárias, v. 31, n. 2, 2010.

CARMO, J. R. Qualidade de silagens ácidas de resíduos de filetagem de tilápia (Oreochromis niloticus) elaborados com ácidos orgânicos. Dissertação de Mestrado. Minas Gerais. 2009.

DISNEY, J. G.; TATTERSON, I.N.; OLLEY, J. Recent developments in fish silage. In: Conference on the handling, processing and marketing of tropical fish, London, 1976, Proceedings. London: Ministry of Oversea Development, p.321-340. 1977.

ESPE, M.; RAA, J.; NJAA, L.R. Nutritional value of stored fish silage as a protein source for Young rats. Journal of the Science of Food and Agriculture, v.49, p.259-270.1989.

FAO. El estado mundial de la pesca y la acuicultura. Contribución a la seguridad alimentaria y la nutrición para todos. Roma. 224 pp. 2016.

FAO. El estado mundial de la pesca y la acuicultura. Cumplir los objetivos de desarrollo sostenible. Roma. 250 pp. 2018.

FERREIRA, D. F. SISVAR – sistema de análise de variância para dados balanceados. Lavras: UFLA, 2014.

GUIMARÃES, C. C. Processamento, caracterização físico-química e digestibilidade da silagem biológica de resíduos de tambaqui na alimentação de poedeiras comerciais. Dissertação de Mestrado. Manaus. 2018.

HAARD, M. F.; KARIEL, N.; HERZBERG, G. et al. Stabilization of protein and oil fish in silage for use as ruminant feed supplements. Journal of the Science of Food and Agriculture, v. 36, n.4, p.229-241. 1985.

HARDY, R. W.; SHEARER, K.P.; STONE, F. E. WIEG, D. H. Fish silage in aquaculture diets. Journal of World Mariculture Society, v.14, p.695-703, 1983.

HASSAN, T. E.; HEATH, J. L. Chemical and nutritive characteristics of fish silage produced by biological fermentation. Biological-Wastes Working, v. 20, n. 3, p. 187-201, 1987.

HISANO, H.; BORGHESI, R. Elaboração de silagem ácida de vísceras de surubin (Pseudoplatystoma sp.). Embrapa Agropecuária Oeste-Circular Técnica (INFOTECA-E), 2011.

HISANO, H.; ISHIKAWA, M. M.; PORTZ, L. Produção de silagem ácida a partir de vísceras de surubim (Pseudoplatystoma sp.) e avaliação da digestibilidade para tilápia-do-nilo. Revista Brasileira de Saúde e Produção Animal, v. 13, n. 3, p. 872-879, 2012.

JUNIOR, W.M.M.; SALES, R.O. Propriedades funcionais da obtenção da silagem ácida e biológica de resíduos de pescado. Uma revisão. Revista Brasileira de Higiene e Sanidade Animal, v. 7, n. 2, p. 126-156, 2013.

KOMPIANG, I.P. Fish Silage: its prospect and future in Indonesia. Indonesia Agricultura Research & Development Journal, v.3, p 1-13, 1981.

KUBITZA, F. Aquicultura no Brasil: principais espécies, áreas de cultivo, rações, fatores limitantes e desafios. Panorama da Aquicultura, Rio de Janeiro, v. 25, n. 150, jul./ago. 2015.

LIMA, L. K. F. Reaproveitamento de Resíduos Sólidos na Cadeia Agroindustrial do Pescado. Embrapa Pesca e Aquicultura, Palmas To 2013.

MORALES-ULLOA, D. F.; OETTERER, M. Bioconversão de resíduos da indústria pesqueira. Ciência e Tecnologia de Alimentos, v.15, n.3, p.206-214, 1995.

NUNES, M. L. Silagem de pescado. In: OGAWA, M.; E. L. Manual de pesca. São Paulo: livraria Varela, 1999. p.371-379.

OLIVEIRA, M.M. de et al. Silagem de resíduos da filetagem de tilápia do nilo (Oreochromis niloticus), com ácido fórmico-análise bromatológica, físico-química e microbiológica. Ciência e Agrotecnologia, v. 30, n. 6, p. 1218-1223, 2006.

PINTO; B. V. V. O resíduo de pescado e o uso sustentável na elaboração de coprodutos. Revista Mundi Meio Ambiente e Agrárias. Curitiba, PR, v.2, n.2, 15, jul./dez., 2017

RAA, J.; GILDBERG, A. Fish silage: a review. Journal of the Food Science and Nutrition, v.61, p.383-419, 1982.

RUFFINO, M. L.; ROUBACH, R. A pesca e aqüicultura na Amazônia brasileira. 2009.

RUSSELL, J. B. Another explanation for the toxicity of fermentation acids at low pH: anion accumulation versus uncoupling. Journal of Applied Bacteriology, Oxford, v. 73, n. 5, p. 363-370, Nov. 1992.

SANTANA-DELGADO, H.; AVILA, E.; STELO, A. Preparation of silage from Spanish mackerel (Scomberomorus maculatus) and its evalution in broiler diets. Animal Feed Science and Technology, Amsterdam, v. 141, n. ½, p. 129-140, Mar. 2008.

SARAH, M. G. M. et al. Aspectos da atividade de piscicultura praticada por produtores rurais no Município de Cruzeiro do Sul–Acre. Enciclopédia Biosfera, v. 9, p. 568, 2013.

SEIBEL, N. F.; SOUZA-SOARES, L.A. Produção de silagem química com resíduos do pescado marinho. Brazilian jornal of food technology. v.6, n.2, p. 333-337, jul./dez., 2003

SILVA, M. F. da. Elaboração e caracterização de silagem ácida de resíduos de tambaqui (Colossoma macropomum). Dissertação de Mestrado. Manaus. 2016.

SUFRAMA. Potencialidades regionais. Estudo de viabilidade econômica. Piscicultura. 2003.

TATTERSON, I. N.; WINDSOR, M. L. Fish Silage. J. Sci. Fd Agric. 1974, 25, 369-379

VALÉRIO, A. C. R. Elaboração de silagem enzimática de pescado como alternativa ao processo tradicional. 1994. 102p. Dissertação Mestrado em Ciência e Tecnologia de Alimentos) – Escola Superior de Agricultura “Luiz de Queiroz”, Universidade de São Paulo, Piracicaba, SP.

VASCONCELOS, M. M. M.; DE MESQUITA, M. S. C.; ALBUQUERQUE, S. P. Padrões físico-químicos e rendimento de silagem de peixe. Revista Brasileira de Engenharia de Pesca, v. 6, n. 1, p. 27-37, 2011




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv6n6-271

Refbacks

  • There are currently no refbacks.