Análise microbiológica de água proveniente de fontes alternativas utilizadas pela população de Tumiritinga estado de Minas Gerais após o desastre da Samarco/ Microbiological analysis of water from alternative sources used by the population of Tumiritinga state of Minas Gerais after the Samarco disaster

Leviane Mota Nunes, Gisele Maria de Sousa, Heliara Maria Spina Canela, Maria Aparecida da Paixão, Belizane das Graças Oliveira Maia, Severino Joaquim Correia Neto, Carlos Alberto Dias, Lourimar Viana N. Franco de Sousa

Abstract


A água para consumo humano exige altos padrões de qualidade afim de controlar a transmissão de doenças quando utilizada no preparo de refeições, higienização de utensílios e para dessedentação. O presente artigo teve como objetivo analisar a qualidade microbiológica da água utilizada como fonte alternativa após o desastre da Samarco (2015) por residentes de Tumiritinga, estado de Minas Gerais, Brasil. Foram coletadas 9 amostras aleatórias de água proveniente de diversas fontes alternativas em uso, utilizando a técnica de tubos múltiplos para a Determinação de Número mais Provável (NMP). Foi analisado quanto à presença de coliformes totais, coliformes fecais e Escherichia coli. Das amostras analisadas somente 33,33% apresentaram próprias para consumo humano respeitando os padrões de potabilidade indicado pelo Ministério da Saúde através da portaria n° 2.914/2011, devido à ausência de E. coli, coliformes totais e fecais. Das fontes alternativas de água consumidas pela população local após o desastre da Samarco 66,66% das amostras analisadas se encontram inapropriadas para consumo humano, tanto para uso na dessedentação quanto preparo de refeições, o que pode vir ocasionar em possíveis infecções gastrintestinais pelos microrganismos presentes.


Keywords


Qualidade da Água, Análise microbiológica, Desastre industrial, Contaminação.

References


ALVES SGS, et al. Microbiológica de coliformes totais e termotolerantes em água de bebedouros de um parque público de Brasília, Distrito Federal. Rev. Cient. Sena Aires, n. 7, v. 1, 2018.

ASSIS MDO. Análise da qualidade de água de água de poços e nascentes da região de Itanhandu- MG. Revista Científica da Faculdade de Educação e Meio Ambiente, v. 3, n. 3, Mar. 2017.

ASSUNÇÃO GA. Qualidade de água de poço de abastecimento da cidade de Delta-MG. Anais do V Seminário de Pós-Graduação – V SIMPÓS. V.5, 2018.

BISOGNIN RP. Análise e divulgação da qualidade da água de nascentes, afluentes e ponto de captação do Arroio Lajeado Erval novo município de Três Passos/RS. Rev. Gest. Sust. Ambient., Florianópolis, v. 6, n. 2, p.44-55, jul./set. 2017.

BRASIL, MINISTERIO DO MEIO AMBIENTE. Resolução Conselho Nacional do Meio Ambiente nº 357, de 17 de março de 2005. Ministério do Desenvolvimento Urbano e Meio Ambiente. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 18 de março de 2005.

BRASIL. Ministério da Saúde. Portaria 2.914/GM em 12 de Dezembro de 2011. Dispõe sobre os procedimentos de controle e de vigilância da qualidade da água para consumo humano e seu padrão de potabilidade.

BRASIL, CONSELHO FEDERAL DE NUTRICIONISTA - CFN. Resolução CFN nº 600, 25 de fevereiro de 2018. Dispõe sobre a definição das áreas de atuação do nutricionista e suas atribuições, indica parâmetros numéricos mínimos de referência, por área de atuação, para a efetividade dos serviços prestados à sociedade e dá outras providências. Acesso: https://www.cfn.org.br/wp-content/uploads/resolucoes/Res_600_2018.htm.

BRITO I, et al. Análise microbiológica da água de poços rasos do bairro Canaã em Rio Branco, Acre,2018. DêCiência em Foco, v. 3, n. 1, 2018.

CAVALCANTI OS, et al. Pesquisa de bactérias coliformes totais e termotolerantes no Córrego Ouro Preto do município de Ouro Preto do oeste/RO. Revista Saberes UNIJIPA, Vol. 8, nº 1, Jan./Jun. 2018 ISSN 2359-3938.

COHEN A, COLFORD MJ. Effects of Boiling Drinking Water on Diarrhea and Pathogen-Specific Infections in Low- and Middle-Income Countries: A Systematic Review and Meta-Analysis. Am. J. Trop. Med. Hyg., 97(5), pp. 1362–1377, 2017.

DANELUZ D, et al. Padrão físico-químico e microbiológico da água de nascentes e poços rasos de propriedades rurais da região sudoeste do Paraná. Arqueologia Inst. Biol., v.82, p. 1-5, Paraná, 2015.

FRANCO SE, et al. Validação de método analítico por ELL-CG-EM detecção de trialometanos decorrentes da cloração de águas contendo Microcystis. Eng Sanit Ambient. v.24, n.5 , set./out., 2019.

FONSECA RB. Análise Macroscópica e Parâmetros Microbiológicos de nascentes da área urbana de Cláudio, Minas Gerais, Brasil. Conexão Ci Formiga/ MG, Vol. 12 e Nº 3 p.17-33 2017.

JUNIOR RLF, PEREIRA JB. Análise microbiológica da água de diferentes fontes da Escola Estadual Agrotécnica Afonso Queiroz. PUBVET, v.13, n.10, p.1-6, Out., 2019.

MEDEIROS AC, LIMA MO, GUIMARAES, RM. Avaliação da qualidade da água de consumo por comunidades ribeirinhas em áreas de exposição a poluentes urbanos e industriais nos municípios de Abaetetuba e Barcarena no estado do Pará, Brasil. Ciênc. saúde coletiva, Rio de Janeiro, v. 21, n. 3, p. 695-708, Mar. 2016.

MORAES SM, et al. Avaliação microbiológica de fontes de águas de escolas públicas e privadas da cidade de Santa Rita (PB), Eng Sanit Ambient, v.23, n3, p. 431- 435, maio/jun.2018.

NASCIMENTO KA, et al. Análise e orientações sobre a qualidade microbiológica da água não tratada utilizada para consumo humano em propriedades da zona rural e periurbana e em escolas rurais Jatai e entorno. 2016. Resumo XXIV Jornada de Iniciação Científica da UNITINS.

OLIVEIRA MM, et al. Analise físico-quimica e microbiológica de águas de poços artesianos de uso independente. Rev. Gestão e Sustentabilidade Ambiental. v. 7, n. 3, p.624-639, jul/set. 2018.

POHLMANN PHM, et al. Tratamento de água para abastecimento humano: contribuições da metodologia Seis Sigma, Eng Sanit Ambient , v.20, n.3, jul./set. 2015.

ROCHA BF, FONSECA AR, SOUZA FF. Análise Macroscópica e Parâmetros Microbiológicos de nascentes da área urbana de Cláudio, Minas Gerais, Brasil. Conexão Ciência. Formiga/MG. Vol. 12 n. 3, p.17-33, 2017.

RODRIGUES AL, et al. Levantamento e análises das fontes alternativas de captação de água utilizadas no abastecimento de uma população rural de Visconde do Rio Branco – MG. Águas Subterrâneas - Seção Estudos de Caso e Notas Técnicas, 2019.

RUFINO R, et al., Surtos de diarreia na região Nordeste do Brasil em 2013, segundo a mídia e sistemas de informação de saúde – Vigilância de situações climáticas de risco e emergências em saúde. Rev. Ciência & Saúde Coletiva, v. 21, nº3, p: 777-788, RJ 2016.

SANTOS APR, MONTEIRO LRL. Determinação da qualidade microbiológica da água em nascente da unidade de conservação em Filadélfia Tocantins. Revista Desafios, v.5, n. Especial, 2018.

SILVA AC, et al. Monitoramento microbiológico da água de bicas em parques públicos de Curitiba (PR). Rev. Engenharia Sanitária Ambiental. v. 22, n.2, mar./abr. p: 271-275, 2017.

SILVA N, et al. Manual de métodos de análise microbiológica da água.1 ed. Campinas: ITAL / Núcleo de Microbiologia, 2000.

SOUSA CRNA, et al. Análise da qualidade da água de três propriedades rurais do município e Floriano, Piauí. Revista Brasileira de Agropecuária Sustentável (RBAS). v.9, n.2, p.17-23, Junho, 2019.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv6n6-266

Refbacks

  • There are currently no refbacks.