A educação brasileira na década de 1940 / Brazilian education in the 1940s

Bruna Alice Taveira de Lima, Maize Sousa Virgolino de Araújo, Rômulo Alexandre Silva, Vera Regina Silva Wanderley

Abstract


O presente artigo buscou retratar o contexto histórico da década de 1940, apresentando ainda como a ducação esteve inserida e se desenvolveu naquele período.  Esse momento foi marcado por fortes turbulências políticas, econômicas e sociais, resultantes de um processo de desarticulação da economia mundial, que culminou com a II Guerra Mundial. Assim como no cenário mundial, essa fase teve grande repercussão no contexto político e socioeconômico brasileiro. Em virtude dos bloqueios militares, como ações estratégicas da guerra, as importações feitas anteriormente pelo Brasil foram paralisadas. Esse quadro impulsionou a industrialização e o comércio agrícola nacionais a cresceram e indústrias se consolidaram. Nesse ínterim, a educação foi um artefato político importante, pois o processo de industrialização brasileira demandou mais mão-de-obra qualificada no intuito de devolver às empresas operários habilitados para as atividades fabris. A Reforma Capanema foi o grande agente motriz para as reestruturação educacionais brasileiras na época e tornou-se responsável também pela expansão e consolidação da educação técnica-profissionalizante. No mesmo contexto, nasce o Sistema S, no qual o SENAI ganha espaço ao responsabilizar-se por profissionalizar operários de estabelecimentos privados que possuíssem mais de 500 empregados. Ademais, destacou-se no período o problema do alto índice de analfabetismo, que foi determinante na tomada de decisões na educação nacional com ênfase na redução desse indicativo. Identificamos que a própria disputa interna pelo poder, como ocorreu entre o Ministério da Saúde e Educação e o Ministério do Trabalho, Indústria e Comércio, fragilizaram o Estado e criaram espaços para a ação de outros órgãos com interesses estritamente mercadológicos, desvirtuando o verdadeiro propósito da educação. Esse quadro se apresenta, ainda hoje, no cenário brasileiro e mundial, de forma muito contundente. 


Keywords


Educação profissional, Industrialização, legislação educacional.

References


ANDREOTTI, A. L. Leis Orgânicas do Ensino de 1942 e 1946 (As). Disponível em: . Acesso em 13 Abril 2017.

______. Governo Vargas e o Equilibrio entre Pedagogia Tradicional e a Pedagogia Nova. 2006. Publicado em Navegando na História da Educação Brasileira: http://www.histedbr.fae.unicamp.br/navegando/index.html. Acesso em 13 de abril de 2017.

AQUINO, L. C. Ensino Agrícola e Formação Disciplinar para Meninos: Aspectos da Prática Pedagógica do Patronato Agrícola “Vidal De Negreiros” Em Bananeiras/PB (1924-1934). Revista Lugares de Educação [RLE], Bananeiras/PB, v. 3, n. 7, p. 164-178. Edição Especial. Dez., 2013 ISSN 2237-1451 Disponível em .

BARRETO, Pedro Henrique. Reportagem: História - Bretton Woods. Revista Desafios do Desenvolvimento. Edição 50. Ano 6. 2009. Disponível em Acesso em 22 de abril de 2017.

ARANHA, M. L. de A. História da educação e da pedagogia: geral e Brasil. 3. ed. – rev. e ampl. – São Paulo: Moderna 2006.

BEZERRA, A. C. D. da R. O ensino industrial no estado novo (1939-1942). IV Congresso Brasileiro de História da Educação. Caxambu. MG. 1999. Disponível em Acesso em 12 de abril de 2017.

BRASIL. Câmara dos Deputados. Década de 40. 19?? Disponível em: . Acesso: 28 março 2017.

__________. Constituição dos Estados Unidos do Brasil, de 18 de setembro de 1946. 1946a. Disponível: . Acesso: 29 Março 2017.

__________. Decreto-Lei nº 4.048, de 22 de Janeiro de 1942. 1942. Disponível em: . Acesso: 23 Abril 2017.

__________. Decreto-Lei nº 8.621, de 10 de Janeiro de 1946. 1946a. Disponível: . Acesso: 23 Abril 2017.

__________. Decreto-Lei nº 9.403, de 25 de Junho de 1946. 1946b. Disponível: . Acesso: 23 Abril 2017.

__________. Decreto-Lei nº 9.853, de 10 de Janeiro de 1946. 1946c. Disponível: . Acesso: 23 Abril 2017.

__________. Senado Federal. Decreto-Lei n. 2.072, de 8 de Março de 1940. Disponível em: . Acesso: 29 Março 2017.

BRITO, Silvia Helena Andrade de. A educação no projeto nacionalista do primeiro governo Vargas (1930-1945). Disponível em . Acesso em 13 de abril de 2017.

CUNHA, C. da. Educação e autoritarismo no Estado Novo. São Paulo: Cortez, Autores Associados, 1981.

CUNHA, L. A. O ensino de ofícios nos primórdios da industrialização. 2 ed. São Paulo: Unesp, 2005.

EVANGELISTA, O.; MORAIS, M. C M. de; SHIROMA, E. O. et al. Política educacional. Rio de Janeiro: DP&A, 2000.

Fundação IBGE, Séries Estatísticas Retrospectivas, 1970

INEP/MEC: Revista Brasileira de Estudos Pedagógicos, n. 101.

GADOTTI, M. História das ideias pedagógicas. – 8 ed. – São Paulo: Ática, 2006.

GHIRALDELLI JR, P. História da educação Brasileira. – 4. ed. – São Paulo: Cortez, 2009.

LIBÂNEO, J. C. Democratização da escola Pública- a Pedagogia crítico-social dos conteúdos. 8ª edição. Coleção educar 1. Edições Loyola, São Paulo, Brasil, 1989.

LOURDES, L. F. C. de. Antônio Boaventura da Silva e a educação física: o intelectual e seu pensamento na década de 1940. IV Congresso Brasileiro de História da Educação. Caxambu.MG.1999.Disponívelem Acesso em 24 de abril de 2017.

MOURA DE SÁ, Jean Magno. O Público e o Privado no Ensino Agrícola no Maranhão: do Início Ao Ruralismo Pedagógico. IFMA - Campus São Luís – Maracanã. 2015.

http://www.histedbr.fe.unicamp.br/acer_histedbr/jornada/jornada9/_files/ptGlPUEN.docOLIVEIRA, P. P. de. As Traduções de Rachel de Queiroz na Década de 40 do Século XX. Monografia, Faculdade de Letras, Universidade Federal de Juiz de Fora. Juiz de Fora, 2007. Disponível: . Acesso: 27 março 2017.

PILETTI, C. e PILETTI, N. História da Educação: de Confúcio a Paulo Freire. 1. Ed. 2ª reimpressão. São Paulo. Contexto. 2014.

RIBEIRO, M. L. S. História da educação brasileira: A organização escolar. 15. ed. Campinas, SP: Autores Associados, 1998.

SAVIANI, D. História das ideias pedagógicas no Brasil. – 2 ed. rev. e ampl. Campinas, SP: Autores Associados, 2008.

___________. Escola e Democracia. São Paulo, Cortez, 1985.

SOBRAL, F. J. M. Retrospectiva histórica do Ensino Agrícola no Brasil. Revista Brasileira da Educação Profissional e Tecnológica. Ministério da Educação, Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica n. 11, (2), p. 78-95. MEC, SETEC, 2009.

SOBRAL, Francisco José Montório. A formação do técnico em agropecuária no contexto da agricultura familiar do oeste catarinense. Campinas-SP: UNICAMP, 2005. Tese (Doutorado em Educação) – Universidade Estadual de Campinas.

TOMMASI, L. de; WARDE, M; HADDAD, S. (Org.). O Banco Mundial e as políticas educacionais. 5. ed. São Paulo: Cortez, 2007.

VENTURA, J. P. Educação de Jovens e Adultos Trabalhadores no Brasil: revendo alguns marcos históricos. Rio de Janeiro: 2001. Disponível em: . Acesso: 29 Março 2017.

VIEIRA, A. M. D. P. As condições de produção do discurso em Getúlio Vargas e a cultura escolar. Revista Diálogo Educacional, Curitiba, v. 5, n.14, p.191-205, jan./abr. 2005. Disponível em < www2.pucpr.br/reol/index.php/DIALOGO?dd1=685&dd99=pdf>. Acesso em Acesso em 12 de abril de 2017.

XAVIER, M. E. S. P. Capitalismo e escola no Brasil: a constituição do liberalismo em ideologia educacional e as reformas do ensino (1931-1961). Campinas: Papirus, 1990.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv6n6-254

Refbacks

  • There are currently no refbacks.