Incidência de fungos fitopatogênicos em frutos e hortaliças comercializadas em Areia-Paraíba / Incidence of phytopathogenic fungi in fruits and vegetables marketed in Areia-Paraíba

Maria Silvana Nunes, Otília Ricardo de Farias, José Manoel Ferreira de Lima Cruz, Ingrid Gomes Duarte, Hilderlande Florêncio da Silva, Luciana Cordeiro do Nascimento

Abstract


O setor hortifruti apresenta grande relevância na economia brasileira, contribuindo consideravelmente com a sustentabilidade e o desenvolvimento local. Muitos são os danos nesses produtos agrícolas durante as etapas de armazenamento e comercialização, sendo fungos os principais agentes responsáveis, acarretando perdas significativas. O objetivo do trabalho foi identificar os principais fungos pós-colheita associados a frutas e hortaliças comercializados no município de Areia, Paraíba. Foram realizadas 12 coletas de frutas em feiras livre e hortaliças em feiras livre e orgânica no município de Areia – PB com sintomas típicos de doenças. As coletas foram realizadas em intervalos semanais, durante 90 dias. A identificação foi realizada com base nas características morfológicas das colônias fúngicas e observação em microscopia estereoscópica. Observou-se maior incidência de gêneros fúngicos para os frutos in natura do que para as hortaliças. Os gêneros identificados nas frutas foram Colletotrichum sp., Penicillium sp., Cladosporium sp.,  Aspergillus sp., Fusarium sp., Pestalotiopsis sp., Monilia sp., Alternaria sp., Curvularia sp., Trichoderma sp., Rhizoctonia sp. e Nigrospora sp. e nas hortaliças Aspergillus sp., Penicillium sp., Cladosporium sp., Colletotrichum sp., Trichoderma sp., Fusarium sp., Curvularia sp. e Alternaria sp.. Houve uma maior porcentagem de amostras infectadas em hortaliças comercializadas em feira livre do que em feira orgânica. Tais resultados indicam uma elevada incidência de fungos fitopatogênicos em produtos comercializados no município de Areia-PB, sugerindo a necessidade do emprego de medidas de controle mais efetivas durante as fases de produção e pós-colheita, visando o aumento da vida útil de frutas e hortaliças comercializadas.

 


Keywords


Pós-colheita, doenças de planta, levantamento fitopatológico.

References


ATISTA, D. C.; BARBOSA, M. A. G. Donças da mangueira. In: In: SIMPÓSIO Internacional de Vitivinicultura, 1.; Feira Nacional da Agricultura Irrigada - FENAGRI, 2008, Petrolina. Minicursos. Petrolina: Prefeitura Municipal: Anais... Embrapa Semiárido, 2008.

BENATO, E. A.; BELLETTI, T. C.; TERAO, D.; FRANCO, D. A. D. S. Essential oils and thermal treatment in the postharvest control of green mold in orange. Summa Phytopathologica, v. 44, n. 1, p. 65-71, 2018.

CAMARGO, R. B.; PEIXOTO, A. R.; TERAO, D.; ONO, E. O.; CAVALCANTI, L. S. Fungos causadores de podridões pós-colheita em uvas apirênicas no pólo agrícola de Juazeiro-BA e Petrolina-PE. Revista Caatinga, v. 24, n. 1, p. 15-19, 2011.

CECCATO, C.; BASSO, C. Avaliação das perdas de frutas, legumes e verduras em supermercado de Santa Maria-RS. Disciplinarum Scientia Saúde, v. 12, n. 1,p. 127-137, 2016.

CHITARRA, M. I. F.; CHITARRA, A. B. Pós-colheita de Frutos e Hortaliças. Fisiologia e Manuseio. 2 ed. Lavras: FAEPE, 2005.

FERREIRA, R.; SOUZA, P. A.; ANDRADE NETO, R. C.; MARACAJÁ, P. B.; NASCIMENTO, F. J. Manejo de doenças pós-colheita. Revista Verde, v.4, n.1, p. 00 –13. 2009.

FISCHER, I. H.; ALMEIDA, A. M.; ARRUDA, M. C.; BERTANI, R. M. A.; GARCIA, M. J. M.; AMORIM, L. Danos em pós-colheita de goiabas na região do centro-oeste paulista. Bragantia, v. 70, n. 3, p. 570-576, 2011.

JAIME, P. C.; FIGUEIREDO, I. C. R.; MOURA, E. C.; MALTA, D. C. Fatores associados ao consumo de frutas e hortaliças no Brasil. Revista Saúde Publica, v. 43, n. 2, p. 57-64, 2009.

MAHARACHCHIKUMBURA, S. S. N.; GUO, L. D.; CHUKEATIROTE, E.; BAHKALI, A. H.; HYDE, K. D. Pestalotiopsis—morphology, phylogeny, biochemistry and diversity. Fungal Diversity, Hong Kong, v. 50, n. 1, p. 167-187, 2011.

MELO, L. G. L.; CANDIDO E SILVA, L. K.; CAMPOS NETO, J. R. M.; LINS, S. R. O.; RODRIGUES, A. A. C.; OLIVEIRA, S. M. A.Indutores de resistência abióticos no controle da fusariose do abacaxi. Pesquisa Agropecuária Brasileira, v.51, n.10, p.1703-1709, 2016.

PRUSKY, D.; LICHTER, A. Activation of quiescent infections by postharvest Pathogens during transition from the biotrophic to the necrotrophic stage. FEMS Microbiology Letters, v. 268, p. 1-8, 2007.

SEIFERT, K.; MORGAN-JONES, G.; GAMS, W.; KENDRICK, B. The genera of Hyphomycetes. CBS-KNAW Fungal Biodiversity Centre, p. 866. 2011.

SENHOR, R. F.; SOUZA, P. A.; ANDRADE NETO, R. C.; MARACAJÁ, P. B.; NASCIMENTO, F. J. Manejo de doenças pós-colheita. Revista Verde, v. 4, n. 1, p. 1-13, 2009.

SOUZA, R. S. D.; ARBAGE, A. P.; NEUMANN, P. S.; FROEHLICH, J. M.; DIESEL, V.; SILVEIRA, P. R.; SILVA, A.; CORAZZA, C.; BAUMHARDT, E.; LISBOA, R. D. S. Comportamento de compra dos consumidores de frutas, legumes e verduras na região central do Rio Grande do Sul. Ciência Rural, v. 38, n. 2, p. 511-517, 2008.

SOUZA, W. C.; NASCIMENTO, L. C.; OLIVEIRA, M. D.; PORCINO, M. M.; SILVA, H. A. Genetic diversity of Fusarium spp. in pineapple ‘Pérola’cultivar. European Journal of Plant Pathology, v. 150, n. 4, n. 853-868, 2018.

SPAGNOL, W. A.; SILVEIRA JUNIOR, V.; PEREIRA, E.; GUIMARÃES FILHO, N. Redução de perdas nas cadeias de frutas e hortaliças pela análise da vida útil dinâmica. Brazilian Journal Food Technology, v. 21, e2016070, 2018.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv6n6-246

Refbacks

  • There are currently no refbacks.