As relações sociais decorrentes da guerra em esparta / Social relationships arising from sparta war

Lucas Luiz Oliveira Pereira

Abstract


A pólis grega de Esparta é o objeto de pesquisa, está cidade-Estado ficou conhecida pela mídia como uma sociedade guerreira. Através de análise bibliográfica, pretende-se neste trabalho desvendar como a guerra influenciava no Estado espartano. Nesta cidade-Estado, desde o nascimento, todos os cidadãos teriam de se preparar fisicamente com o objetivo de criar os melhores soldados. A mulher também tem o seu papel diferente do que teria em outras cidades-estados, já que elas “carregavam o futuro” de Esparta. Além da preparação do corpo, é necessário a existência de táticas de batalhas eficazes. Os resultados do sucesso de Esparta ficaram visíveis pelas suas vitórias na região do Peloponeso. As conquistas militares possibilitaram a captura de escravos utilizados pelo Estado, os Hilotas. Posteriormente ao seu enfraquecimento após a Guerra do Peloponeso Esparta é derrotada. A Macedônia conquista a região da Grécia Antiga através de uma nova falange criada por Felipe II e concretizada a vitória através de uma forte diplomacia. Após esta unificação da Grécia, a Macedônia se lança sobre o antigo inimigo em comum, o Império Persa, com a liderança do rei Alexandre, o Grande.


Keywords


Esparta, Guerra na Grécia Antiga, Hilotas, Alexandre, o Grande

References


ANDERSON, Perry. Passagens da Antiguidade ao Feudalismo. 5ª ed. São Paulo: Brasiliense. 2000.

BUENO, André da Silva. A Arte da Guerra: os treze capítulos originais. São Paulo: Jardim dos Livros, 2013.

CEGALLA, Domingos Paschoal. Dicionário Escolar da língua portuguesa. 2ª ed. São Paulo: companhia Editora Nacional. 2008.

COULANGES, Fustel de. A cidade Antiga: Estudo sobre o culto, o direito e as instituições da Grécia e de Roma. São Paulo: Martin Claret. 2009.

EYLER, Flávia Maria Schlee. História Antiga Grécia e Roma: A formação do Ocidente. 3ª ed. Petrópolis: Vozes. 2014.

FUNARI, Pedro Paulo. Grécia e Roma: Vida pública e vida privada, cultura, pensamento e mitologia, amor e sexualidade. Coleção Repensando a História. São Paulo: Contexto, 2002.

GUARINELLO, Norberto Luiz. História Antiga. São Paulo: Contexto. 2013.

______________. Imperialismo Greco-Romano. São Paulo: Ática. 1987.

MAESTRI, Mario. O escravismo antigo. 12ª ed. São Paulo: Atual. 1994.

MENDRAS, Henri. Princípios de Sociologia: Uma iniciação à análise sociológica. 2ª ed. Rio de Janeiro: Zahar. 1971.

NUNES, Carlos Alberto. Homero: Íliada. São Paulo: Ediouro. 1994.

SOUZA, Marco Alvito Pereira de. A Guerra na Grécia Antiga. São Paulo: Ática. 1988.

TREVISAN, Marcelo Chaves. Alexandre, o grande. São Paulo: Hunter Books. 2015.

VYGOTSKY, L. S. Concrete Human Psychology. In: Soviet Psychology. 1986.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv6n6-244

Refbacks

  • There are currently no refbacks.