Elaboração e avaliação fisico-química, microbiológia e sensorial de barra de cereal enriquecida com bacaba (oenocarpus distichus MART) / Physical and chemical elaboration and evaluation, microbiology and sensorial of cereal bar enriched with bacaba (oenocarpus distichus MART)

Fabiana de Oliveira Pereira, André Gustavo Lima de Almeida Martins, Carliane Lima Ribeiro, Raina Jansen Cutrim Propp Lima, Edivânia Melo Aguiar, Dayanne Pereira dos Santos

Abstract


As barras de cereais são classificadas como refeições leves ou substanciais. Esse tipo de alimento em função de sua praticidade está cada vez mais sendo consumido. O presente trabalho teve como objetivo a elaboração e avaliações físico-químicas, microbiológicas e sensoriais de barra de cereal enriquecida com bacaba (Oenocarpus distichus Mart.). Para a elaboração da barra os ingredientes foram misturados e posteriormente colocados em uma forma ao qual foram assados e posteriormente embalados e submetidos às análises microbiológicas, físico-químicas e sensoriais. Durante a avaliação da vida útil das barras de cereais todas as amostras resultaram em características microbiológicas e físico-químicas em conformidade com a legislação vigente. A barra de cereal sendo produzida sob condições satisfatórias e armazenamento adequado é capaz de atingir o período de 120 dias de vida útil. De forma geral a barra de cereal apresentou-se com resultados satisfatórios nas análises microbiológicas, físico-químicas e sensoriais, o que constata a aceitação da bacaba como opção de enriquecimento de barras de cereais. Verifica-se que a bacaba é um produto regional pouco explorado e que apresenta grande potencial para ser utilizada como fonte de enriquecimento em diversos outros alimentos, devido ser fonte em proteínas, lipídeos e fibras.


Keywords


Bacaba; processamento; análise sensorial.

References


Ambrósio, M. C. B., & RAMOS, A. C. H. (2012) Elaboração de barra de cereais com substituição parcial de aveia por farinha da casca de maracujá. Revista Tecnológica. 21(1), 69-76.

Araújo, L. M. (2014). Contagem de coliformes totais e termotolerantes e determinação de bolores e leveduras em barra de cereais (Trabalho de conclusão de curso) Universidade Tecnológica Federal do Paraná, Campo Mourão.

Association of Official Analytical Chemists – AOAC. Official methods of analysis of the association of the official analytical chemists. Arlington: AOAC, 2005.

Bower, I. A., & Whitten, R. (2000). Sensory characteristics and consumer liking for cereal bar snack foods. Journal of Sensory Studies, 15(3), 327-345.

Brasil, Agência Nacional de Vigilância Sanitária. (2001). Resolução RDC n°12 de 02 de janeiro de 2001. Regulamento Técnico sobre padrões microbiológicos para alimentos. Diário Oficial da República Federativa do Brasil.

Brasil, Agência Nacional de Vigilância Sanitária. (2005). Resolução RDC nº 263, de 23 de setembro de 2005. Regulamento Técnico para Produtos de Cereais, Amidos, Farinhas e Farelo. Diário Oficial da República Federativa do Brasil.

Brasil. Ministério da Saúde. (2002). Alimentos regionais brasileiros. Secretaria de Políticas de Saúde, Coordenação-Geral da Política de Alimentação e Nutrição. Diário Oficial da República Federativa do Brasil.

Brasil, Agência Nacional de Vigilância Sanitária. (1978). Resolução dos padrões de identidade e qualidade para os alimentos e bebidas. Diário Oficial da República Federativa do Brasil.

Carvalho, M. G., Silva, L. M. R., Maia, G. A., Sousa, H. M., Figueiredo, E. A. T., Costa, J. M. C.(2013). Composição química e estabilidade físico-química e microbiológica de barras de cereais com amêndoas nativas do meio-norte do Brasil e casca de abacaxi. Revista brasileira de pesquisa em alimentos, 4(1), 11-18.

DUTCOSKY, S. D. Analise Sensorial de Alimentos. Curitiba: Editora Universitária Champagnat, 1996.

Fonseca, R. S., Del Santo, V. R., Souza, G. B., Pereira, C. A. M. (2011). Elaboração de barra de cereais com casca de abacaxi. Archivos Latinoamericanos de Nutricion, 61(2), 216-223.

Furtado, M. T. (2011). Barras mistas de frutas desidratadas: formulação, qualidade e aceitabilidade. (Dissertação de mestrado). Universidade federal do Acre, Rio Branco

Instituto Adolfo Lutz. (2008). Métodos físico-químicos para análise de alimentos. Versão eletrônica. São Paulo: Instituto Adolfo Lutz.

Pinedo, A. A., Arevalo, Z. D.S., Beserra, N. L., Zuninga, G. Z., Coelho, A. F. S., Pinedo, R. A. (2013). Desenvolvimento de barra de cereais à base de farinha de amêndoa de babaçu (Orbygnia speciosa). Revista Brasileira de Produtos Agroindustriais, 15(4), 405-411.

Ribeiro, C. L. (2015). Composição centesimal, valor nutricional e aspectos fitoquímicos da Bacaba (Oenocarpus distichus Mart.). (Dissertação Mestrado) Universidade Federal do Tocantins, Palmas.

Roberto, B. S., SILVIA, L. P., Macagnan, F. T., Bizzani, M., Benders, A. B. B. (2015). Qualidade nutricional e aceitabilidade de barras de cereais formuladas com casca e semente de goiaba. Rev Inst Adolfo Lutz, 74(1), 39-41.

9.2. Silva, E.P., Siqueira, H. H., Damiani, C., Vilas Boas, E. V. B., (2016). Effect of adding flours from marolo fruit (Annona crassiflora Mart) and jerivá fruit (Syagrus romanzoffiana Cham Glassm) on the physicals and sensory characteristics of food bars. Food Science Technology, 36(1).

Vanderzant, C., Splittstoesser, D. F (2001). Compendium of methods for the microbiological examination of foods. Washington: American Public Health Association (APHA).




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv6n6-241

Refbacks

  • There are currently no refbacks.