Avaliação microbiológica de água para consumo em instituições de ensino fundamental de rede pública / Microbiological evaluation of water for consumption in public network fundamental education institutions

Tatiana Maria de Freitas Gomes Lima, Danielle Alves da Silva Rios

Abstract


A água designada para consumo humano deve preencher condições mínimas para ser utilizada. A necessidade de uma fonte de boa qualidade e sua utilização prudente são de suma importância para a economia e conservação da saúde da população. Nos países como o Brasil, a expansão populacional vem gerando maior busca pelo recurso e impactando em sua qualidade, principalmente nas zonas periféricas das áreas urbanas que carecem de serviços essenciais para atender a demanda. O presente trabalho foi realizado com o objetivo de avaliar da qualidade microbiológica da água distribuída nas instituições de ensino, bem como colaborar com o monitoramento da qualidade da mesma. Este estudo foi realizado em instituições de ensino fundamental acompanhados pelo distrito educacional VI, durante o mês de Novembro de 2017, na cidade de Fortaleza-CE. Os procedimentos analíticos aplicados obedeceram às instruções recomendadas pela American Public Health Association (APHA) para realização do ensaio presuntivo utilizando o Teste Presença-Ausência, considerando o padrão de potabilidade determinado na legislação vigente. Os resultados obtidos demonstraram que 93,33% das amostram se encontram dentro do que determina a Portaria nº 2914/11, porém, 33% e 6.66% apresentaram contagem para coliformes totais e termotolerantes respectivamente, em desacordo com a legislação. Sendo assim, ressalta-se a importância do controle periódico de todo percurso da água até a chegada dos bebedouros das escolas, evitando que ocorram doenças transmitidas por ela.


Keywords


coliformes; escolas; potabilidade da água.

References


Aleixo, B.; Rezende. S.; Pena, J. L.; Zapata, G.; Heller, L. Direito humano em perspectiva: desigualdades no acesso à água em uma comunidade rural do nordeste Brasileiro. Revista Ambiente & Sociedade, v. 19, n. 1, p. 63-82, 2016.

Araújo, G. F. R; Tonani, K. A. A.; Ragazzi, M. F.; Julião, F. C.; Sampaio, C. F.; Cardoso, O. O. Qualidade físico-química e microbiológica da água para o consumo humano e a relação com a saúde: estudo em uma comunidade rural no estado de São Paulo. O Mundo da Saúde, v. 35, 2011.

Bomfim, M. V. J. et al. Avaliação físico-química e microbiológica da água de abastecimento do laboratório de bromatologia da UERJ. Revista Higiene Alimentar, São Paulo, v. 21, n. 152, p. 99-103, jun. 2007.

Brasil. Portaria Nº 2914. Dispõe sobre os procedimentos de controle e de vigilância da qualidade da água para consumo humano e seu padrão de potabilidade. Ministério da Saúde, 2011.

Carvalho, D. R. et al. Avaliação da qualidade físico-química e microbiológica da água de um campus universitário de Ipatinga – MG. Ipatinga, Brasil, 2010.

Ferreira Júnior, G. C. et al. Qualidade microbiológica da água consumida por crianças de pré-escolas do município de Rio Largo – Alagoas. SaBios: Revista de Saúde e Biologia, v. 10, n. 3, p. 43-48, dez. 2015.

Franco, B. D. G. M & Landgraf, M. Microbiologia dos alimentos. São Paulo: Atheneu, 2008.

Lima, S. C. A., Santos C. A. B. Educação e saúde pública: Determinação de cloro e Escherichia coli, na água utilizada para consumo no IFPE. Campus Afogados da Ingazeira/PE, Afogados da Ingazeira, Brasil, 2016.

Mendes, P. P. M. Processo erosivo em área urbana: condomínio Privê, cidade satélite Ceilândia, D.F. VII Congresso Brasileiro de Geógrafos. Vitória ES. 2014.

Morais, W. A. et al. Sanitary quality of drinking water distributed for public supply in Rio Verde, State of Goiás, Brazil (Qualidade sanitária de água potável distribuída para abastecimento público em Rio Verde, Estado de Goipas, Brasil). Cadernos Saúde Coletiva, v. 24, n. 3, p. 361-367, 2016.

Moreira, A. E. O. & Torres, A. M.. O direito à água: dever do estado e a contaminação do Rio Doce/The righttowater: state of dutyand Rio Doce contamination. Revista de Direito da Administração Pública Law Journal of Public Administration, v. 1, n. 1, 2017.

Nascimento, M. S. V. et al, Análise bacteriológica da água no estado do Piauí nos anos de 2003 e 2004. Revista Higiene Alimentar, São Paulo, v. 21, n. 151, p. 99-103, maio 2007.

Nascimento, D. C.; Ribas-Silva, R. C.; Pavanelli, M. F. Pesquisa de coliformes em água consumida em bebedouros de escolas estaduais de Campo Mourão, Paraná. SaBios: Revista de Saúde e Biologia, Campo Mourão, v. 8, n. 1 p. 21- 26, jan/abr. 2013.

OPAS (Organização Panamericana de Saúde). La salud y el ambiente em el desarrollos ostenible. Publicación Científica, n. 572. Washington, D.C.: OPS (OrganizaciónPanamericana de La Salud), 2000. 298 p.

Silva, N.; Junqueira, V. C. A. Métodos de Análises Microbiológicas de Alimentos. Campinas: Ital, 1995.

Soto, F. R. M.; Fonseca, Y. S. K.; Antunes, D. V.; Risseto, M. R.; Amaku, M.; Arine, M. L. B. Avaliação microbiológica da água de abastecimento público em escolas no município de Ibiúna – SP: estudo comparativo da qualidade da água no cavalete e pós-cavalete. Revista Inst. Adolfo Lutz, 64 (1): 128-31, 2005.

Vanderzant, C.; Splittstoesser, D. F. Compendium of methods for the microbiological examination of foods. 3. Ed. Washington: American Public Health Association, 1992. 1219 p. In: Silva, N.; Junqueira, V. C. A. Manual de métodos de análise microbiológica de alimentos. 2. Ed. São Paulo: Livraria Varela, 2001, p. 32-36.

Wang, H.; Masters, S.; Edwards, M. A.; Falkinham III, J. O.; Pruden, A. Effect of disinfectant, water age, and pipe material son bacterial and eukaryotic community structure in drinking water biofilm. Environmental Science & Technology, v. 48, n. 3, p. 1426-1435, 2014.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv6n6-240

Refbacks

  • There are currently no refbacks.