Efeito do fotoperíodo na sobrevivência de larvas da tilápia nilótica (Oreochromis Niloticus) submetidas a diferentes fotoperíodos / Effect of photoperious on survival of nilotic tilapia larvae (Oreochromis Niloticus) submitted to different photoperiouses

Márcia Dantas dos Santos, Bernadete de Oliveira Costa, Silvana da Silva Vicente, Raniele da Silva Ferreira, Thais Estefany Sinésio da Silva, Marino Eugênio de Almeida Neto, Ian Porto Gurgel do Amaral

Abstract


A tilápia tornou-se o peixe mais importante e significativo na produção de pescados do Brasil, observando tal importância, muito tem se pesquisado objetivando melhorar ainda mais o desempenho do animal. Neste sentido, o objetivo deste trabalho foi avaliar o efeito do fotopeíodo na sobrevivência de larvas de tilápia Nilótica (Oreochromis niloticus) submetidas a diferentes fotoperíodos (12/12h claro:escuro, 18/06h claro:escuro e 24h claro controlado, C:E, C1:E1, C:C, respectivamente) durante 7 dias de experimento. Para tanto, montou-se um sistema de recirculação com 9 caixas d`água de polietileno (1000l/cada), sendo 3 caixas para cada fotoperíodo, as quais continham 2 incubadoras de garrafa PET cada, sendo estas povoadas com 111 ovos. Tendo assim, um total 1.998 embriões. Os parâmetros de qualidade da água mantiveram-se dentro da normalidade. Para análise da sobrevivência realizou-se o teste do Qui-quadrado, a fim de verificar as frequências absoluta, relativa e possíveis diferenças entre os fotoperíodos e dias. Contudo, não observou-se diferença estatística entre os fotoperíodos C:E, C1:E1 e C:C (p<0,4990), mas entre os dias (p<0,0001), com uma alta taxa de mortalidade entre os dias, precisamente no 2º dia. Assim, não foi observado diferença estatisticamente significativa entre os fotoperíodos na sobrevivência das larvas durante uma semana de cultivo.


Keywords


luz; produção; tilápia; mortalidade

References


ARANA, L.V. Aqüicultura e Desenvolvimento Sustentável: subsídios para a formulação de politicas e de desenvolvimento da aquicultura brasileira. p.310. 1999.

BRASIL, Ministério do planejamento, desenvolvimento e gestão. Evolução da piscicultura no Brasil: diagnóstico e desenvolvimento da cadeia produtiva de tilápia. Rio de Janeiro. 2017.Disponíveem: .

BROMAGE, N. R.; ROBERTS, R. J. Broodstock management and egg and larval quality. Blackwell Science.

EMBRAPA. Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária. Pesca e aquicultura. 2017.

Disponível em: . Acesso em: 20 de setembro de 2019.

ENDAL, H.P., et al. Effects of continuous additional light on growth and sexual maturity in Atlantic salmon Salmo Salar, reared in sea cages. Aquaculture, v.191, p. 205–214. 2000.

FALCON, J. et al. Current knowledge on the melatonin system in teleost fish. General and Comparative Endocrinology, v.165, n. p.469-482, 2010.

FIRETTI, R.; GARCIA, S. M.; SALES, D. S. Planejamento estratégico e verificação de riscos na piscicultura. Pesquisa & Tecnologia, v.4, n.2. 2007.

KUBITZA, F. A evolução da tilapicultura no Brasil: produção e mercados. Panorama da Aquicultura, v.13, n.76, p.25-35, 2003.

LITTLE, D. C.; LIN, C. K.; TURNER W. A. Commercial scale tilapia fry production in Thailand. Journal of the World Aquaculture, v.26, n.4, p21-24 1995.

MAINARDES-PINTO, C. S. R. et al. Masculinização da Tilápia do Nilo, Oreochromis niloticus, utilizando diferentes rações e diferentes doses de 17 α-methiltestoterona. Revista Brasileira de Zootecnia, v.29, n.3, p. 654-659, 2000.

OLIVEIRA, E.G. et al. Produção de tilápia: Mercado, espécie, biologia e recria. Circular Técnica, v.45, n.12, p.1-12, 2007.

SILVA et al. Tilápia-do-Nilo: criação e cultivo em viveiros no estado do Paraná. Curitiba: GIA, 2015. Disponível em:. Acessado em 20 de setembro de 2019.

ZIMMERMANN, S.; FITZSIMMONS, K. Tilapicultura intensive. In: CYRINO, J. E. P. URBINATI, E. C. FRACALOSI, D. M. CASTAGNOLLI, N. Tópicos especiais em piscicultura de água doce tropical intensiva, São Paulo: Tec Art, p. 239-266, 2004.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv6n6-217

Refbacks

  • There are currently no refbacks.