Análise de desempenho das mulheres no ENEM / Analysis of women's performance in ENEM

Viviana Elizabeth Romero Noguera, Kalinka Regina Lucas Jaquie Castelo Branco, Cristina Dutra de Aguiar Ciferri

Abstract


Apesar do grande número de cursos na área de ciências exatas e do aumento de vagas para profissionais formados em cursos relacionados, o número de mulheres que ingressam e se formam nessa área está decrescendo. No âmbito da educação, ações específicas precisam ser desenvolvidas para despertar o interesse das mulheres nesses cursos. Para dar subsídios a essas ações, existe a necessidade de se realizar investigações quanto à formação das mulheres nos diferentes níveis de ensino. Neste artigo, esse desafio é avaliado por meio da análise do desempenho das mulheres no exame do ENEM considerando as áreas de conhecimento desse exame relacionadas às ciências exatas. São investigados vários fatores de análise e anos de realização do exame. De forma surpreendente, os resultados obtidos mostraram que a superioridade de desempenho dos participantes masculinos sobre as participantes femininas não é tão evidenciada conforme esperado. Portanto, conclui-se que as ações educacionais a serem planejadas devem responder à seguinte questão quando da identificação de gaps em que se deve atuar para minimizar a discrepância entre os gêneros nas ciências exatas: "Por que as mulheres optam por não seguir carreira em ciências exatas, mesmo apresentando desempenho relativamente próximo ao desempenho dos homens no exame do ENEM?"


Keywords


gênero, exame nacional do ensino médio, ENEM, desempenho.

References


BATISTA, N. A., SOUSA, G. A., BRANDÃO, M. A., DA SILVA, A. P. C., AND MORO, M. M. (2018). Tie strength metrics to rank pairs of developers from github. Journal of Information and Data Management, 9(1):69–83.

CASATTI, D. (2019). Elas estão rompendo as barreiras das exatas. Disponível em: https: //icmc.usp.br/noticias/4507-elas-estao-rompendo-as-barreiras-das-exatas. Acesso em 02 Dez 2019.

DA SILVA, R., LAMB, L. C., AND BARBOSA, M. C. (2016). Universality, correlations, and rankings in the Brazilian universities national admission examinations. Physica A:Statistical Mechanics and its Applications, 457:295 – 306.

FABBRI, S., HERNANDES, E., THOMMAZO, A. D., BELGAMO, A., ZAMBONI, A., AND SILVA, C. (2012). Managing Literature Reviews Information through Visualization. In Proceedings of the 14th ICEIS, pages 36–45.

HENN, S. (2014). When women stopped coding. NPR Planet Money, 21.

KLEINKE, M. (2017). Influência do status socioeconômico no desempenho dos estudantes nos itens de física do ENEM 2012. Revista Brasileira de Ensino de Física, 39.

KITCHENHAM, B. AND CHARTERS, S. (2007). Guidelines for performing systematic literature reviews in software engineering. tech. rep. ebse 2007-001, keele university and durham university joint report.

LOBO, G. D., DA CUNHA CASSUCE, F. C., AND CIRINO, J. F. (2017). Avaliação do desempenho escolar dos estudantes da região nordeste que realizaram o ENEM: uma análise com modelos hierárquicos. Revista Espacios, 6.

LUCKESI, C. C. Avaliação da aprendizagem escolar: estudos e proposições. [S.l.]: Cortez

editora, 2014.

MOORE, H. (1997). Compreendendo sexo e gênero. Companion Encyclopedia of Anthropology. London: Routledge.

NASCIMENTO, M., CAVALCANTI, C., AND OSTERMANN, F. (2018). Uma busca por questões de física do ENEM potencialmente não reprodutoras das desigualdades socioeconômicas. Revista Brasileira de Ensino de Física, 40.

NOGUERA, V.; BRANCO, K.; CIFERRI, C. Gêneros e suas nuances no enem. In: Anais do XIII Women in Information Technology. Belém, PA, Brasil: SBC, 2019. p. 41–50. Disponível em: .

ONU. (2015). Objetivo 5: Alcançar a igualdade de gênero e empoderar todas as mulheres e meninas.

OLIVEIRA, A. C., MORO, M. M., AND PRATES, R. O. (2014). Perfil feminino em computação: Análise inicial. In Proceedings of the XXXIV CSBC.

PONTES JUNIOR, J. A. F., SILVA, A. G. D., TAVARE, E. D., SOUSA, L. A., BASTOS, F. A. C., CRUZ, F. N. I. D., AND ALMEIDA, L. S. (2016). Aspectos psicométricos dos itens de educação física relacionados aos conhecimentos de esporte e saúde no exame nacional do ensino médio (ENEM). Motricidade, 12:12–21.

SANTOS, C. M. (2018). Por que as mulheres “desapareceram” dos cursos de computação? Journal da Universidade de São Paulo.

SENKEVICS, A. S. (2018). Contra o silêncio racial nos dados universitários: desafios e propostas acerca da Lei de Cotas. Educação e Pesquisa, 44.

SILVEIRA, I. C. AND MAUÁ, D. D. (2018). Advances in automatically solving the ENEM. In Proceedings of the 7th BRACIS.

SILVA, L.; MORINO, A. H.; SATO, T. M. C. Prática de mineração de dados no exame nacional do ensino médio. Anais dos Workshops do Congresso Brasileiro de Informática na Educação, v. 3, n. 1, p. 651, 2015. ISSN 2316-8889. Disponível em: .

THOMAS, S. J. (2015). Exploring strategies for retaining information technology professionals: A case study. PhD thesis, Walden University.

TRAVITZKI, R., FERRÃO, M. E., AND PINTO COUTO, A. (2016). Desigualdades educacionais e socioeconômicas na população brasileira pré-universitária: Uma visão a partir da análise de dados do ENEM. Arquivos Analíticos de Políticas Educativas, 24.

UNESCO (2003). Gender and education for all: the leap to equality.

VALENTE, R. (2016). The vicious circle: effects of race and class on university entrance in brazil. Race Ethnicity and Education, pages 1–14.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv6n6-202

Refbacks

  • There are currently no refbacks.