Avaliação de competências socioemocionais: uma política educacional em questão / Assessment of socioemotional competencies: an educational policy in question

Jane Eire Rigoldi dos Santos, Danielle Capelasso Soares de Souza, Juliana Piovesan Vieira, Kethlen Leite de Moura, Daiane Letícia Boiago, Márcia Ângela Patrícia

Abstract


No contexto educacional atual, a avaliação está no centro dos direcionamentos políticos, nas orientações das organizações internacionais e na legislação educacional brasileira. Sendo assim, a avaliação é vista como um instrumento chave na estruturação das políticas educacionais. Este trabalho apresentará algumas reflexões decorrentes da dissertação de mestrado intitulada Política de Avaliações Externas: A ênfase na questão das competências cognitivas e socioemocionais (2015) e das discussões do Grupo de Estudos e Pesquisa em Políticas Públicas e Gestão Educacional. Buscamos apresentar o Projeto SENNA do Instituto Ayrton Senna, suas características e instrumentos utilizados para avaliação de competências socioemocionais, reportando-nos a alguns documentos educacionais, em especial à Base Nacional Comum Curricular (BNCC). Analisaremos, a partir de uma pesquisa bibliográfica e documental, os objetivos da formação de competências socioemocionais que têm se disseminado nas escolas brasileiras, por meio das atuais reformas educacionais. Verificamos que se têm construído um modelo formativo de competências socioemocionais necessário ao modo de produção capitalista, que objetiva dar às pessoas a força emocional para que possam suportar as contradições decorrentes desse sistema.


Keywords


Avaliação, Política educacional, Competências socioemocionais, Resiliência.

References


AFONSO, Almerindo Janela. Avaliação Educacional: regulação e emancipação: para uma sociologia das políticas educativas contemporâneas. 4. ed. São Paulo: Cortez, 2009.

ALMEIDA, Melissa R. A formação social dos transtornos do humor. 2018. 415 f. Tese (Doutorado em Saúde Coletiva) – Faculdade de Medicina de Botucatu, Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho”. Botucatu, 2018.

ARNAU, Laia; ZABALA, Antoni. Avaliar Competências é avaliar processos na resolução de situações-problemas. In: Arnau, Laia; Zabala, Antoni. Como aprender e ensinar competências. Porto Alegre: Artmed, 2010. p. 169-184.

BRASIL. Base Nacional Comum Curricular Educação é a Base. Terceira versão revista. Brasília: MEC. Disponível em: . Acesso em: 14 fev. 2019.

BRASIL. Senado Federal. Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional: nº 9394/96 (Atualizada em 2017). Brasília: DF, 1996.

BRASIL. LEI Nº 13.415, DE 16 DE FEVEREIRO DE 2017. DOU nº 35, sexta-feira, 17 de fevereiro de 2017, Seção 1, Páginas 1/3.

BRASIL. IBGE. Disponível em: . Acesso em: 18 maio 20.

CARVALHO, Elma Júlia Gonçalves de. A Educação Básica brasileira e as novas relações entre o Estado e os empresários. Revista Retratos da Escola, Brasília, v. 11, n. 21, p. 525-541, jul./dez. 2017. Disponível em: . Acesso: 10 abr. 2018.

CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO. Portal da Transparência. Disponível em: . Acesso em: 19/05/20.

FADEL, C.; BIALIK, M.; TRILLING, B. Educação em Quatro Dimensões: As competências que os estudantes devem ter para atingir o sucesso. Center for Curriculum Redesign, Instituto Península, Instituto Ayrton Senna: Boston, 2015.

GARCIA, Jeferson Diogo. A Política educacional a partir de 1990: uma análise dos fundamentos e a função social da formação para cidadania ativa. Dissertação (Mestrado em Educação). Universidade Estadual de Maringá: Maringá, 2015.

INSTITUTO AYRTON SENNA (IAS). Reunião Ordinária CONSED. Belo Horizonte MG 17/08/2017. Disponível em: . Acesso em: 14 jan. 2019.

KNOWLEDGE. CHARLES FADEL DE HARVARD FAZ PALESTRA MAGNA NA EBAC. (2016). Disponível em: . Acesso em: 05 maio 19.

MARTINS, André Silva. O neoliberalismo da Terceira Via: uma proposta para educar a sociabilidade. In: MARTINS, André Silva. A direita para o social: a educação da sociabilidade no Brasil contemporâneo. Juiz de Fora: Editora UFJF, 2009. p. 59-110.

MARX, Karl.; ENGELS, Friedrich. A ideologia alemã. Tradução de Álvaro Pina. 1. ed. São Paulo: Expressão Popular, 2009.

MONTAÑO, Carlos. Terceiro setor e a questão social: crítica ao padrão emergente de intervenção social. São Paulo: Cortez, 2002.

MONTAÑO, Carlos. O lugar histórico e o papel político da ONGs. In: MONTAÑO, Carlos (org.). O Canto da sereia: crítica à ideologia e aos projetos do “terceiro setor”. São Paulo: Cortez, 2014. p. 53-95.

MOVIMENTO PELA BASE NACIONAL COMUM. Quem somos. Disponível em: . Acesso em: 11 maio 20.

NETTO, José Paulo; BRAZ, Marcelo. Economia política: uma introdução crítica. São Paulo: Cortez, 2006.

OCDE et al. “Educar para as competências do século 21” (Comunicado de Imprensa). São Paulo, 2014. Disponível em: . Acesso em: 11 maio 20.

PEREIRA, Anabela M. S. Resiliência, personalidade, stress e estratégias de coping. In: TAVARES, José (org.) Resiliência e educação. 3ª ed. São Paulo: Cortez, 2002. p. 77-94.

PERONI, Vera Maria Vidal. MÚLTIPLAS FORMAS DE MATERIALIZAÇÃO DO PRIVADO NA EDUCAÇÃO BÁSICA PÚBLICA NO BRASIL: sujeitos e conteúdo da proposta. Currículo sem Fronteiras, v. 18, n. 1, p. 212-238, jan./abr. 2018. Disponível em: . Acesso em: 15 maio 2020.

PORTAL DA TRANSPARÊNCIA. Resultado da Busca (Instituto Ayrton Senna). Disponível em: . Acesso em: 19 maio 20.

SALVADOR, Evilasio (Coord.). Privatização e mercantilização da educação básica no Brasil. Universidade de Brasília – UnB, 2017.

SANTOS, Daniel; PRIMI, Ricardo. Desenvolvimento socioemocional e aprendizado

escolar: uma proposta de mensuração para apoiar as políticas públicas. São Paulo: OCDE, Instituto Airton Senna, Governo do Rio de Janeiro, 2014.

SANTOS, Daniel. A importância socioeconômica das características de Personalidade. Instituto Ayrton Senna, 2014. p. 1-42. Disponível em: . Acesso em: 19 mar. 2015.

SANTOS, Jane Eire Rigoldi dos. Política de Avaliações Externas: A Ênfase na Questão das Competências Cognitivas e Socioemocionais. Dissertação de Mestrado em Educação. Universidade Estadual de Maringá: Maringá, 2015.

TAVARES, José (org.). Resiliência e educação. 3ª ed. São Paulo: Cortez, 2002.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv6n6-198

Refbacks

  • There are currently no refbacks.