A prática pedagógica na sala de recursos multifuncionais (SRM) e seus saberes formativos / Pedagogical practice in the multifunctional resource room (SRM) and its training knowledge

Rejane Souza Ribeiro de Cristo, Maria Elizabete Souza Couto

Abstract


Este artigo tem como objetivo compreender como a prática pedagógica nas Salas de Recursos Multifuncionais tem contribuído no processo de  inclusão dos alunos. Foi realizada uma pesquisa de abordagem qualitativa, em duas escolas públicas que receberam os equipamentos da Sala de Recursos Multifuncionais (SRM), com duas professorass. Realizamos entrevista com as professoras para a produção do material empírico e para análise de dados recorremos à análise de unidade proposta por Vygotsky (2009). Os dados indicaram que  a prática pedagógica na SRM pode resultar bem como comprometer o atendimento às necessidades específicas apresentadas por cada deficiência no estímulo e desenvolvimento de habilidades, trazendo para a prática pedagógica um caráter simplista, com conceitos e concepções baseadas no senso comum, descaracterizando o aspecto técnico-científico inerente a formação e ao trabalho docente.

 

 


Keywords


Prática pedagógica. Sala de Recursos Multifuncionais (SRM). Saberes docentes.

References


ARANHA, Maria Salete. Paradigmas da relação da sociedade com as pessoas com deficiência. In: Revista do Ministério Público do Trabalho, Ano XI, n. 21 março, 2001. Disponível em: Acesso em: 06 mar. 2017.

BRASIL. A Educação Especial na Perspectiva da Inclusão Escolar: o atendimento educacional especializado para alunos com deficiência intelectual. Brasília: Ministério da Educação, Secretaria de Educação Especial; [Fortaleza]: Universidade Federal do Ceará, 2010.

_______. Diretrizes Operacionais da Educação Especial para o Atendimento Educacional Especializado na Educação Básica. Ministério da Educação – Secretaria de Educação Especial, Brasília, 2008. Disponível em:

. Acesso em 20 dez.2017

_______. Lei Brasileira de Inclusão da Pessoa com Deficiência (Estatuto da Pessoa com Deficiência); nº 13.146/2015. Brasília: 2015. Disponível em:

< http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2015-2018/2015/lei/l13146.htm>. Acesso em 12 dez.2017

________. Manual de Orientação: Implantação de Sala de Recursos Multifuncionais. Secretaria de Educação Especial/SEESP. Brasília, 2010. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/index.php?option=com_docman&view=download&alias=9936-manual-orientacao-programa-implantacao-salas-recursos-multifuncionais&Itemid=30192> Acesso em 15 dez. 2016.

DINIZ, Débora. O que é deficiência? São Paulo. Ed.Brasiliense,2007.

DUBOC, Maria José Oliveira; RIBEIRO, Solange Lucas. As Salas de Recursos Multifuncionais: Organização, concepções e práticas em Feira de Santana-BA. In: MENDES, Enicéia Gonçalves; CIA, Fabiana; VALADÃO; Daniela Tannús (Orgs). Inclusão Escolar em Foco: Organização e funcionamento do Atendimento Educacional Especializado. Série Observatório Nacional de Educação Especial, vol. 4. São Carlos: Marquezine e Manzine /ABPEE, 2015

ESTEBAN, Maria Paz Sandín. Pesquisa qualitativa em educação: fundamentos e tradições. Porto Alegre: AMGH, 2010.

FREIRE, Paulo. Conscientização: teoria e prática da libertação. 3ª ed. São Paulo: Moraes, 1980.

GALVÃO, Nelma de Cássia Silva Sandes; MIRANDA, Theresinha Guimarães. A organização do trabalho Pedagógico nas Salas de Recursos Multifuncionais em Salvador- BA. In: MENDES, Enicéia Gonçalves; CIA, Fabiana; VALADÃO; Daniela Tannús (Orgs). Inclusão Escolar em Foco: Organização e funcionamento do Atendimento Educacional Especializado. Série Observatório Nacional de Educação Especial, vol. 4. São Carlos: Marquezine e Manzine /ABPEE, 2015.

GRAFF, Patricia. MEDEIROS, Daniela. Inclusão escolar: Atendimento Educacional Especializado, expertises e normalização. Revista Educação .Santa Maria; v. 41;nº1. P 197-208. Jan|abr 2016. Disponível em: Acesso em: 06 de novembro 2017.

MANTOAN, Eglér Teresa Maria. Inclusão escolar: O que é? Por quê? Como fazer? 1ª ed. São Paulo: Moderna, 2003.

MIRANDA, Theresinha Guimarães. O grupo de pesquisa em Educação Inclusiva e necessidades educacionais especiais do PPGE/UFBA. In: MIRANDA, Theresinha Guimarães; FILHO, Teófilo Alves Galvão (Org.). O professor e a Educação Inclusiva: Formação, práticas e lugares. Salvador: EDUFBA, 2016.

MORIN, Edgar. A cabeça bem feita: repensar a reforma, reformar o pensamento. 8ª ed. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2003.

PICCOLO, Gustavo Martins. Por um pensar sociológico sobre a deficiência. 1ª ed, Curitiba: Appris, 2015.

PIMENTEL, Suzana Couto. O desenvolvimento de uma práxis social inclusiva: uma proposta para a transformação do cotidiano escolar. In: MIRANDA, Theresinha Guimarães (Org.). Políticas de Inclusão Escolar: um diálogo multidisciplinar. Salvador: EDUFBA, 2016.

TARDIF, Maurice. Saberes docentes e formação profissional. 8ª ed, Petrópolis, RJ: Vozes, 2007.

VÁZQUEZ, Adolfo Sánchez. Filosofia da práxis. 2º ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1977.

_______ . Filosofia de la práxis. 3º ed. México: Grijalbo, 1980.

VIGOTSKY. L.S. A formação social da mente.7ª ed. São Paulo: Martins Fontes, 2010.

ZANATA, Milena Hoppen. A contribuição da estimulação para a aprendizagem. In: Revista de Educação do IDEAU. Vol. 9 – Nº 20 - Julho - Dezembro 2014.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv6n6-145

Refbacks

  • There are currently no refbacks.