Crescimento de espécies nativas tropicais de diferentes grupos ecológicos em área degradada na Amazônia brasileira / Growth of tropical native species of different ecological groups in a degraded area in Brazilian Amazon

Hermogenes Ronilson Silva de Sousa, Jainara Santos Jansen, Ângelo Augusto Ebling, Daiane de Cinque Mariano, Kessy Jhonnes Soares da Silva, Kamila da Silva Teles Gonçalves, Cândido Ferreira de Oliveira Neto, Ricardo Shigueru Okumura

Abstract


O objetivo do estudo foi avaliar o crescimento por meio de análise de agrupamento de 12 espécies nativas tropicais introduzidas em uma área destinada a restauração florestal na Amazônia brasileira. O experimento foi conduzido no município de Canaã dos Carajás, Estado do Pará, Brasil, com as avaliações a campo ocorrendo aos 12 dias (fevereiro 2018), 8 meses (outubro 2018), 11 meses (janeiro de 2019) e aos 15 meses após o plantio (maio 2019). Os parâmetros avaliados foram: diâmetro ao nível do solo (DNS) e altura de planta (AP), e posteriormente calculados o incremento médio anual (IMA) e incremento médio (IM) do diâmetro e altura de planta. O diagnóstico do percentual de mortalidade (PM) foi realizado em função do grupo ecológico (GE), e a formação dos GE obtido por meio de consulta bibliográfica. A partir dos dados de incremento médio em diâmetro (IMd) e altura (IMh) efetuou-se o agrupamento por meio da estatística multivariada baseado na distância euclidiana. Pelas informações do agrupamento estatístico verificou a formação de três grupos para variável diâmetro (G1: IMd = 3,04 cm; G2: IMd = 1,75 cm; G3: IMd = 2,85 cm) e dois para altura (G1: IMh = 1,34 m; G2: IMh = 1,49 m), nas quais o agrupamento obtido diferiu da classificação ecológica tradicional. As espécies pioneiras M. caesalpiniaefolia e S. parahyba, secundárias C. spruceanum e B. crassifólia e clímax T. avellanedae, apresentaram maior crescimento. As altas taxas de mortalidade das espécies secundária (36%) e climácicas (46%), evidenciaram a necessidade de planejamento ecológico em programas de reflorestamento na Amazônia brasileira.

 


Keywords


Restauração florestal, dinâmica sucessional, floresta ombrófila

References


BUDOWSKI, G. Distribution of tropical American forest species in a light of successional processes. Turrialba, v. 15, n. 1, p. 40-42, 1965.

BUSSMANN, R.W. Medicinal and Aromatic Plants of South America. v. 5. 1ºed. Springer: Dordrecht, 2018. 486p.

CARVALHO, W.T.V.; MINIGHIN, D.C.; GONÇALVES, L.C.; VILLANOVA, D.F.Q.; MAURICIO, R.M.; PEREIRA, R.V.G. Pastagens degradadas e técnicas de recuperação. Pubvet, v. 11, n, 10, p. 947-1073, 2017.

http://dx.doi.org/10.22256/pubvet.v11n10.1036-1045

CHOW, M.F.; SHIAH, F.K.; LAI, C.C.; KUO, H.Y.; WANG, K.W.; LIN, C.H.; KO, C.Y. Evaluation of surface water quality using multivariate statistical techniques: a case study of Fei-Tsui Reservoir basin, Taiwan. Environmental Earth Sciences, v. 75, n. 1, p. 1-6, 2016.

http://dx.doi.org/10.1007/s12665-015-4922-5

COSTA, M.D., NAPPO, M.E., CAÇADOR, F.R., BARROS, H.H. Avaliação do processo de reabilitação de um trecho de floresta ciliar na bacia do rio Itapemirim - ES. Revista Árvore, v. 34, n. 5, p. 835-851, 2010.

https://doi.org/10.1590/S0100-67622010000500009

DENSLOW, J.S. Tropical rainforest gaps and tree species diversity. Annual Review of Ecology and Systematics, v. 18, n. 1, p. 431-451, 1987.

https://doi.org/10.1146/annurev.es.18.110187.002243

GANDOLFI, S.; LEITÃO FILH0, H.F.; BEZERRA, C.L. Levantamento florístico e caráter sucessional das espécies arbustivo-arbóreas de uma floresta mesófila semidecídua no município de Guarulhos, SP. Revista Brasileira de Biologia, v. 55, n. 4, p. 753-767, 1995.

GUSMÃO, M.T.A.; FERREIRA, G.C.; OHASHI, S.T. Espécies florestais nativas na Amazônia Oriental. 1º ed. UFRA: Belém, 2012. 86p.

ICMBIO (INSTITUTO DA CONSERVAÇÃO E BIODIVERDADE). Plano de Manejo para uso Múltiplo da Floresta Nacional do Tapirapé - Disponível em Acesso em 26 de março de 2020.

JOLY, C.A.; SCARANO, F.R.; BUSTAMANTE, M.; GADDA, T.M.C.; METZGER, J.P.W.; SEIXAS, C.S.; OMETTO, J.P.H.B.; PIRES, A.P.F.; BOESING, A.L.; SOUSA, F.D.R.; QUINTÃO, J.M.B.; GONÇALVES, L.R.; PADGURSCHI, M.C.G.; AQUINO, M.F.S.; CASTRO, P.F.D.; SANTOS, I.L. Brazilian assessment on biodiversity and ecosystem services: summary for policy makers. Biota Neotropica. v. 19, n. 4, p. 1-8, 2019.

https://doi.org/10.1590/1676-0611-bn-2019-0865

LI, B.; YANG, G.; WAN, R.; HÖRMANN, G.; HUANG, J.; FOHRER, N.; ZHANG, L. Combining multivariate statistical techniques and random forests model to assess and diagnose the trophic status of Poyang Lake in China. Ecological Indicators, v. 83, p. 74-83, 2017.

https://doi.org/10.1016/j.ecolind.2017.07.033

LORENZI, H. Árvores brasileiras: Manual de identificação e cultivo de plantas arbóreas nativas do Brasil. v. 1. 5 ed. Nova Odessa, SP: Instituto Plantarum, 2008. 384p.

LORENZI, H. Árvores brasileiras: Manual de identificação e cultivo de plantas arbóreas nativas do Brasil. v. 2. 3 ed. Nova Odessa, SP: Instituto Plantarum, 2009. 384p.

LU, D.; ZHANG, G.; ZHU, J.; WANG, G.G.; ZHU, C.; YAN, Q.; ZHANG, J. Early natural regeneration patterns of woody species within gaps in a temperate secondary forest. European Journal of Forest Research, v. 138, n. 6, p. 991-1003, 2019.

https://doi.org/10.1007/s10342-019-01219-w

MACIEL, M.N.M.; WATZLAWICK, L.F.; SCHOENINGER, E.R.; YAMAJI, F.M. Classificação ecológica das espécies arbóreas. Revista Acadêmica: Ciências Agrárias e Ambientais, v. 1, n. 2, p. 69-78, 2003.

MARTINKOSKI, L.; JADOSKI, S.O.; WATZLAWICK, L.F.; VOGEL, G.F.; SILVA, E.F. Climate effect on the growth of Araucaria angustifolia in silvopastoral system and forest in the secondary stage. Applied Research & Agrotechnology, v. 10, n. 3, p. 57-66, 2017.

https://doi.org/10.5935/PAeT.V10.N3.06

NOGUEIRA, W.L.P.; FERREIRA, M.J.; MARTINS, N.O.A. Estabelecimento inicial de espécies florestais em plantio para a recuperação de área alterada no Amazonas. Amazonian Journal of Agricultural and Environmental Sciences, v. 58, n. 4, p. 365-371, 2015.

http://dx.doi.org/10.4322/rca.2101

PALMA-CRUZ, F.D.J.; PÉREZ-VARGAS, J.; CASADO, N.A.R.; GUZMÁN, O.G.; CALVA-CALVA, G. Phytoremediation potential and ecological and phenological changes of native pioneer plants from weathered oil spill-impacted sites at tropical wetlands. Environmental Science and Pollution Research, v. 23, n. 16, p. 16359-16371, 2016.

http://dx.doi.org/10.1007/s11356-016-6675-4

R CORE TEAM. R: a language and environment for statistical computing. R Foundation for Statistical Computing, Vienna, Austria. 2018. Disponível em: < https://www.R-project.org/>. Acesso em: 20 de fevereiro de 2019.

RODRIGUES, R.R.; ISERNHAGEM, I.; BRANCALION, P.H.S. Pacto pela restauração da Mata Atlântica: referencial dos conceitos e ações de restauração florestal. 2. ed. São Paulo: LERF/ESALQ, 2009. 260p.

SALOMÃO, R.P.; BRIENZA J.S.; ROSA, N.A. Reforestation dynamics in areas of restoration after mining in unit of forest conservation in the Amazon. Revista Árvore, v. 38, n. 1, p. 1-24, 2014.

https://doi.org/10.1590/S0100-67622014000100001

SANTOS, H.G. JACOMINE, P.K.T., ANJOS, L.H.C., OLIVEIRA, V.A., LUMBRERAS, J.F., COELHO, M.R., CUNHA, T. Sistema brasileiro de classificação de solos. 5. ed. revista e ampliada. Brasília, DF: EMBRAPA, 2018. 456p.

SANTOS, J.H.; FERREIRA, R.L.; SILVA, J.A.; SOUZA, A.L.; SANTOS, E.D.; MEUNIER, I.M. Distinção de grupos ecológicos de espécies florestais por meio de técnicas multivariadas. Revista Árvore, v. 28, n. 3, p. 387-396, 2004.

https://doi.org/10.1590/S0100-67622004000300010

VALCARCEL, A.; SILVA, Z.D.S. A eficiência conservacionista de medidas de recuperação de áreas degradadas: proposta metodológica. Floresta, v. 27, n. 1, p. 101-114, 1997.

http://dx.doi.org/10.5380/rf.v27i12.2303

WANG, J.J.; MENG, J.H. Identifying indigenous tree species for land reforestation, forest restoration, and plantation transformation on Hainan Island, China. Journal of Mountain Science, v. 15, n. 11, p. 2433-2444, 2018.

http://dx.doi.org/10.1007/s11629-018-4861-1




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv6n6-143

Refbacks

  • There are currently no refbacks.