Perdas na colheita mecanizada da soja em função da velocidade de deslocamento e índice de molinete / Losses in mechanized harvesting of soybean as a function of the speed of displacement and index of reel

Rômulo Bock, Airton dos Santos Alonço, Vilnei de Oliveira Dias, Gessieli Possebom, Luana Freitas Knierim, Wagner Alexandre Silveira da Cruz, Anderson Patric Ávila Machado

Abstract


O objetivo deste estudo foi avaliar as perdas na pré-colheita, na plataforma de corte, nos mecanismos internos e as perdas totais durante a colheita mecanizada de soja. O experimento foi conduzido em uma área experimental na cidade de Alegrete/RS, durante a safra 2018/19. As perdas foram determinadas segundo a metodologia porposta por EMBPAPA (2013), sendo avaliado quatro velocidades de deslocamento (0,83, 1,39, 1,94 e 2,50 m s-1) e dois índices de molinete (1,0 e 1,2). Em relação a pré-colheita, foi obtida uma  média 0,7 kg ha-1 de perdas. Foi verificada interação significativa dos fatores sobre as demais variáveis, sendo que a menor perda na plataforma de corte (44,00 kg ha-1) foi observada na velocidade de 1,39 m s-1 e índice de molinete 1,0, enquanto que a configuração de menor velocidade (0,83 m s-1) e menor índice de molinete (1,0) proporcionaram as menores taxas de perdas nos mecanismos internos e perdas totais. Dessa forma, os fatores analisados proporcionaram alteração nas perdas de soja na colheita mecanizada, sendo importante sua consideração.

 


Keywords


prejuízos, mecanização agrícola, estimativa de perdas, Glycine max L.

References


ALONÇO, A. dos S., REIS, Â.V. dos Perdas na colheita mecânica de grãos. Pelotas: EMBRAPA/CPACT, 1997. 27 p. (EMBRAPA-CPACT. Documentos, 35).

ALONÇO, A. dos S.; MACHADO, A.L.T.; REIS, Â. V. dos; MACHADO, R.L.T.; TILLMANN, C.A. da C. Perdas na colheita mecanizada de arroz: Um comparativo entre dois tipos de plataforma. Tecno Lógica, Santa Cruz do Sul, v. 6, n. 1, p. 49 - 60. jan/jun. 2002.

BALASTREIRE, L. A. Máquinas Agrícolas. São Paulo: Manole, 2005. 310 p.

BRAGACHINI, M.; BONETTO, L.A. Cosecha de trigo: equipamento, regulación y puestas a punto de la cosechadora – evaluación de perdidas. Manfredi: INTA – EEA Manfredi, 1990. 60p.

BRANDELERO, W., BARBACOVI, A., DE OLIVEIRA ROSBACH, M. G., VIEBRANTZ, C., GIRARDI, L. B., MAYER, A. R., CASASSOLA, A. Vigor e viabilidade de sementes de soja em resposta a umidade durante o processo de armazenagem/Soybean seed vigor and viability in response to humidity during the long storage process. Brazilian Journal of Development, v. 5, n. 1, p. 342-350, 2018.

BRASIL. Ministério da agricultura, pecuária e abastecimento. Regras para análise de sementes. Brasília: MAPA/ACS, 2009. 399p.

CAMPOS, M. A. O. et al. Perdas na colheita mecanizada de soja no Estado de Minas Gerais. Engenharia Agrícola, v.25, p. 207-213, 2005.

CARA, D. et. al. Estimativa de perdas na colheita mecanizada da soja em função de diferentes regulagens e velocidades de deslocamento. Acta Iguazu, Cascavel, v.3, n.4, p. 54-60, 2014.

CONAB – Companhia Nacional de Abastecimento. Boletim de monitoramento agrícola. 2020.

COSTA, N. P. et al. Efeito da colheita mecânica sobre a qualidade de semente de soja. Revista Brasileira de Sementes, v.18, p. 232-237, 1996.

CUNHA, J. P. A; ZANDBERGEN, H. P. Perdas na colheita mecanizada da soja na região do triângulo mineiro e Alto Paranaíba, Brasil. Bioscience Journal, Uberlândia, v. 23, n. 4, 61 – 66 p. 2007.

DALL’AGNOL, A. et al. Perda de soja na colheita mecânica. In: Reunião Conjunta de Pesquisa de Soja, Passo Fundo. Anais. Passo Fundo, IAPES Estação Experimental de Passo Fundo. p.78-82. 1973.

FEY. E.; GURGACZ, F. Menos perdas. Cultivar Máquinas, v. p. 40-47, 2019.

FERREIRA D.F. Sisvar: a computer statistical analysis system. – Ciência e Agrotecnologia., v.35, p. 1039-1042, 2011.

FERREIRA, I. C. et al. Perdas quantitativas na colheita de soja em função da velocidade de deslocamento e regulagens no sistema de trilha. Engenharia na Agricultura, Viçosa, v. 15, n. 2, p. 141-150, 2007.

HAJIBABAI, L. at al. Joint optimization of freight facility location and pavement infrastructure rehabilitation under network traffic equilibrium. Transportation Research Part B: Methodological, v.63, p. 38-52, 2014.

HEIFFING, L. S; CÂMARA, G. M. de S. Soja: colheita e perdas. Piracicaba: ESALQ, 2006. 37 p.

HOLTZ, V.; REIS, E. F. Perdas na colheita mecanizada de soja: uma análise quantitativa e qualitativa. Revista Ceres, Viçosa, v. 60, n.3, p. 347-353, 2013.

LIU,J. et al. Food losses and waste in China and their implication for water and land. Environmental Science & Technology, v.47, 10137−10144, 2013.

LOUREIRO JR., A. M; et al. Influence of the sample area in the variability of losses in the mechanical harvesting of soybeans. Engenharia Agrícola, Jaboticabal, v. 34, n. 1, 2014.

MACHADO, T. A. et al. Perdas na plataforma de corte de uma colhedora combinada de grãos na colheita de soja. Engenharia na agricultura, Viçosa, v.20, n.6, p. 537-543. 2012.

MENDES, R. Sujicultos: As principais características da lavoura de soja. Revista Rural. 2018.

MESQUITA, C. M. et al. Crop and harvesting operation characteristics affecting field losses and physical qualities of soybeans – Part I. Applied Engineering in Agriculture, v.22, p. 325-333, 2006.

MESQUITA, C. M. et al. Influência dos mecanismos das colhedeiras e o manejo da lavoura de soja

(Glycine max (L.) (Merril) sobre as perdas na colheita e a qualidade das sementes. In: 9º Congresso Brasileiro de Engenharia Agrícola, Campina Grande. Anais, Universidade Federal da Paraíba. p.261-273, 1980.

MESQUITA, C.M. et al. Manual do produtor: Como evitar desperdícios nas colheitas de soja, do milho e do arroz. Londrina, Embrapa – CNPSo. 32p. 1998.

MOREIRA, S. D; et al. Avaliação de produtividade da cultura da soja semeado sobre três cultivares de Urochloa sp. em SPD e em sistema convencional. Periódico Eletrônico Fórum Ambiental da Alta Paulista, v. 13, n. 6, 2017.

NOURBAKHSH, S. M. et al. Grain supply chain network design and logistics planning for reducing post-harvest loss. Biosystems Engineering, v. 151, p. 105-115, 2016.

NUNES, J. L. da S. Colheita Disponível em: setembro de 2016. Acesso em: 03 Nov 2018.

PEEL, M. C. et al. Updated world map of the Köppen-Geiger climate classification. Hydrology and Earth System Sciences, v.11, n. 5, p.1633-1644, 2007.

PINHEIRO NETO, R.; TROLI, W. Perdas na colheita mecanizada da soja (Glycine max (L.) Merril), no município de Maringá, Estado do Paraná. Acta Scientiarum Agronomy, v. 25, n. 2, 349 p. 393-398, 2003.

PORTELLA. J. A. Colheita de Grãos Mecanizada. 1. ed. Viçosa: Aprenda Fácil, 2000. 190 p.

ROOS, S. Cultivar Brasmax PONTA IPRO, 2018.

SCHANOSKI, R. et al. Perdas na colheita mecanizada de soja (Glycine max) no município de Maripá – PR. Engenharia Agrícola e Ambiental. v. 15, n. 11, p. 1206-1211, 2011.

SILVEIRA, J. M.; CONTE, O. Determinação de perdas na colheita de soja: copo medidor da Embrapa. EMPRAPA, 2013. 17p.

WRIGHT, D. L., et al. Soybean production in Florida. Gainesville, Fla., University of Florida, Extension, Institute of Food and Agricultural Sciences, 2011.

ZORYA, S. et al. Missing food: the case of postharvest grain losses in sub-Saharan Africa. Report N°. 60371 -AFR. The World Bank. 2011. Disponível em: . Acesso em 01/05/2020.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv6n6-131

Refbacks

  • There are currently no refbacks.