Teoria da burocracia – o papel político e gerencial no setor público de saúde brasileiro / Burocracy theory - the political and management role in the brazilian public health sector

Nilton Anderson Santos Barboza, Tatiane Dias de Moraes Rêgo, Thayane de Moraes Rêgo Ribeiro Pinto Barros

Abstract


O propósito do estudo foi contextualizar o cenário da Burocracia e da reforma Gerencial brasileira e discutir sobre os entraves que dificultaram esse processo, principalmente na saúde pública. Apesar do Sistema único de saúde ter uma representatividade inovadora no Brasil persistem desafios na implementação. Igualmente, apresenta as novas perspectivas da administração. Este ensaio foi uma revisão bibliográfica sobre a Teoria da Burocracia, que elucida as seguintes reflexões: Quais os entraves que dificultaram as reformas? Quais as novas perspectivas da administração pública? O que fazer para dar certo? O estudo oportunizou constatar a necessidade de ações voltadas para redução da problemática, da criação e desenvolvimento de políticas públicas, assim como proporcionar uma assistência mais adequada. A justificativa para a escolha do tema paira sobre sua contemporaneidade, bem como na expectativa de contribuir para o âmbito acadêmico. O método de pesquisa empreendido segue natureza qualitativa, com pesquisa do tipo bibliográfica


Keywords


Burocratização, Políticas Públicas, Gestão Pública, Sistema Único de Saúde.

References


ABRUCIO, Fernando Luiz (2007) “Trajetória recente da gestão pública brasileira: um balanço crítico e a renovação da agenda de reformas”. Revista de Administração Pública, aprovado para publicação.

ABRUCIO, Fernando Luiz e Francisco Gaetani (2006) “Avanços e perspectivas da gestão pública nos estados: agenda, aprendizado e coalizão”. In Consad – Conselho Nacional de Secretários de Gestão (2006) Avanços e Perspectivas da Gestão Pública nos Estados. São Paulo: Fundap:

ARAÚJO, G. C.; BUENO, M. P.; SOUSA, A. A.; MENDONÇA, P.S.M. Burocracia light: eficiência e flexibilidade. IX SEMEAD Administração no Contexto Internacional. FEA/USP, 2006.

BRASIL. Constituição, 1988. Constituição da República Federativa Brasileira. Disponível em: Acesso em 10 de abr 2019.

BRASIL- política nacional de promoção da saúde - Ministério da Saúde. Brasília2002

bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/politica_nac_prom_saude.pdf

Brasil. Conselho Nacional de Secretários de Saúde. SUS: avanços e desafios./ Conselho Nacional de Secretários de Saúde. – Brasília: CONASS, 2006.

BRESSER-PEREIRA, Luiz Carlos. A Sociedade Estatal e a Tecnoburocracia. São Paulo: Editora Brasiliense.1981

BRESSER-PEREIRA, Luiz Carlos (1999) "Reflexões sobre a reforma gerencial brasileira de 1995". Revista do Serviço Público, 50(4): 5-28.

CAMPOS; GESTÃO Wagner de Souza.Réplica: O SUS, TODAVIA, EXISTE! CIÊNC. SAÚDE COLET. 23 (6) Jun 2018 HTTPS://doi.org/10.1590/1413-81232018236.05662018

CARVALHO, Gilson de Cassia Marques. O momento atual do SUS... a ousadia de cumprir e fazer cumprir a lei. Saude soc., São Paulo , v. 2, n. 1, p. 9-24, 1993 . Available from . access on 31 Jan. 2019. http://dx.doi.org/10.1590/S0104-12901993000100003

COSTA, F. L.; CAVALCANTI, B. S. Mudança organizacional no setor público. Revista de Administração Pública, v. 25, n. 1, p. 82-106. 1991.

CHIAVENATO, Idalberto. Administração nos Novos Tempos. Vol.II. Rio de Janeiro. Elsevier. 2002 6ª Edição revisada e atualizada.

DUARTE, Elidaiane Vieira. Serviço Social e SUS em tempos de neoliberalismo: tendências contemporâneas das políticas sociais e do exercício profissional / Elidaiane Vieira Duarte. - Natal, RN, 2015.

FADUL, E. M. C.; SILVA, L. P. Retomando o debate sobre a Reforma do Estado e a Nova Administração Pública. In: Encontro da Associação Nacional de Pós-graduação e Pesquisa em 14 Administração, 32, 2008. Rio de Janeiro. Anais... Rio de Janeiro: ENANPAD, 2008. 1 CDROM

FRANCO, Adriana Maria. Gestão Municipal de Saúde: Limites e Possibilidades de Gestão na Percepção dos Secretários de Saúde da AMREC. 2011. 57 p. Monografia do Curso de MBA em Gestão Empresarial, da Universidade do Extremo Sul Catarinense, UNESC, Criciúma.

FREITAS, Maria de Lourdes de Assis; MANDU, Edir Nei Teixeira. Promoção da saúde na Estratégia Saúde da Família: análise de políticas de saúde brasileiras. Acta paul. enferm., São Paulo , v. 23, n. 2, p. 200-205, Apr. 2010 . Available from . access on 05 Apr. 2019. http://dx.doi.org/10.1590/S0103-21002010000200008.

LAKATOS, Eva Maria; MARCONI, Maria Andrade. Fundamentos da metodologia científica. 7. Ed. São Paulo, 2010.

MENDES, Eugênio Vilaça. 25 anos do Sistema Único de Saúde: resultados e desafios. Estudos Avançados 27 (78). 2013. Disponível em: . Acesso em 18 de abr. 2019.

MENICUCCI. Telma MariaGonçalves..História da reforma sanitária brasileira e do Sistema Único ... – SciELO2014www.scielo.br/pdf/hcsm/v21n1/0104-5970-hcsm-21-1-00077.pdf

Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão (2002) Balanço da Reforma do Estado no Brasil: A Nova Gestão Pública. Brasília: Secretaria da Gestão, Coleção Gestão Pública.

MIGOTT, Ana Maria; GRZYBOVSKI, Denize; Silva, Luiz A.A. A Aplicação Conceitual da Teoria da Burocracia na área da enfermagem: uma análise

empírica das instituições hospitalares de Passo fundo (RS).Caderno de pesquisas

em Administração. São Paulo, v. 08, nº1, janeiro/março 2001

PACHECO, Regina Silvia (2006) “Regulação no Brasil: desenho das agências e formas de controle. Revista de Administração Pública, 40 (4): 523-543.

PAIM, Jairnilson Silva. Sistema Único de Saúde (SUS) aos 30 anos. Ciência & Saúde Coletiva, v. 23, n. 6, p. 1723-1728, jun. 2018. Disponível em:

http://www.scielo.br/pdf/csc/v23n6/1413-8123-csc-23-06-1723.pdf

PAIVA, Carlos Henrique Assunção; TEIXEIRA, Luiz Antonio. Reforma sanitária e a criação do Sistema Único de Saúde: notas sobre contextos e autores. Hist. cienc. saude-Manguinhos, Rio de Janeiro , v. 21, n. 1, p. 15-36, Mar. 2014 . Available from . access on 09 Apr. 2019. http://dx.doi.org/10.1590/S0104-59702014000100002.

PAES DE PAULA, A. P. Por uma nova gestão pública: limites e potencialidades da experiência contemporânea. Rio de Janeiro: FGV, 2005a.

PETRUCCI, Vera e Letícia Schwarz, orgs. (1999) Administração Pública Gerencial: A Reforma de 1995. Brasília: Editora da Universidade de Brasília.

RAMOS, Edith Maria Barbosa. O federalismo e o direito à saúde na Constituição Federal de 1988: limites e possibilidades ao estabelecimento de um autêntico federalismo sanitário cooperativo no Brasil. Revista Jurídica do Unicuritiba, v. 4, n.49, 2017. p. 304-330.

VIACAVA, Francisco et al . SUS: oferta, acesso e utilização de serviços de saúde nos últimos 30 anos. Ciênc. saúde coletiva, Rio de Janeiro , v. 23, n. 6, p. 1751-1762, jun. 2018 . Disponível em . acessos em 11 abr. 2019. http://dx.doi.org/10.1590/1413-81232018236.06022018.

WEBER, Max. Burocracia. In: Ensaios de Sociologia. Rio de Janeiro: Zahar Editores, 1982. p. 229-282.

WEBER, Max. O que é burocracia. Conselho Federal de Administração, s/d.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv6n6-110

Refbacks

  • There are currently no refbacks.