UARC: Um Organizador de Sequência Didática na Área de Matemática / UARC: A Didactic Sequence Organizer in Mathematics

Natanael Freitas Cabral, Miguel Chaquiam, Marcone Augusto Pock, Gustavo Nogueira Dias, Gerson Pompeu Pinto

Abstract


Este trabalho apresenta uma proposta metodológica para o ensino de matemática, resultante da aplicação de uma sequência didática envolvendo tópicos matemáticos, onde são identificados e analisados os indícios de aprendizagem e a consolidação e aplicação dos conceitos matemáticos na resolução de problemas utilizando como aportes teóricos: Sequência Didática na concepção de Zabala (1999) e Batista, Oliveira e Rodrigues (2013), que contribuem com a consolidação de conhecimentos que estão em fase de construção. As Unidades Articuladas de Reconstrução Conceitual proposta por Cabral (2017), onde visam estimular a reconstrução de um conceito do saber matemático. Pressupostos da teoria de Vygotsky, Nível de Desenvolvimento Real e Nível de Desenvolvimento Potencial e Análise Microgenética sendo uma forma de acompanhamento detalhado de um processo em formação, instrumento metodológico de investigação da construção de conhecimento, proposta por Wertsch (1985), Goés (2000) e Cabral (2004).

 

 


Keywords


Ensino. Sequência Didática. Unidades Articuladas de Reconstrução Conceitual. Análise Microgenética.

References


BATISTA, R. C. OLIVEIRA, J. E. RODRIGUES, S. de F. P. Sequência didática – ponderações teórico-metodológicas. XVIII Endipe. UFMT, 2016. Disponível em: . Acesso em: 23 de janeiro de 2018.

BRASIL, Ministério da Educação. Guia de livros didáticos: PNLD/2012: Matemática. Brasília: MEC, Secretaria de Educação Básica, 2011.

CABRAL, N. F. O papel das interações professor-aluno na construção da solução lógico-aritmética otimizada de um jogo com regras. 2004. 151 f. Dissertação (Mestrado em Ensino de Ciências e Matemática) - UFPA. Disponível em: . Acesso em: 5 de setembro de 2017.

COELHO, L. PISONI, S. Vygotsky: sua teoria e a influência na educação. Revista e-Ped - FACOS/CNEC Osório. v. 2. n. 1. p. 144-152. 2012. Disponível em: . Acesso em: 21 de janeiro de 2018.

GOES, M. C. R. A abordagem microgenética na matriz históricocultural: uma perspectiva para o estudo da constituição da subjetividade. Cadernos Cedes. Ano XX. n. 50. 2000. Disponível em: < http://www.scielo.br/pdf/%0D/ccedes/v20n50/a02v2050.pdf>. Acesso em: 21 de fevereiro de 2018.

LUIZ, E. A. J. COL, L. Alternativas metodológicas para o ensino de matemática visando uma aprendizagem significativa. VI Congresso Internacional de Ensino de Matemática. Canoas, 2013. Disponível em: . Acesso em 03 de fevereiro de 2018

MARTINS, O. B. MOSER, A. Conceito de Vygotsky, Leontiev e Wertsch. Revista Intersaberes. v. 7. n. 13. p. 8-28. 2012. Disponível em: . Acesso em: 13 de dezembro de 2018.

OLIVEIRA, M. K. Vygotsky: aprendizado e desenvolvimento, um processo sócio-histórico 4a. ed. São Paulo: Scipione, 2002.

PEREIRA, José de Araújo. Abordagem das funções exponencial e logarítmica numa perspectiva conceitual e gráfica no ensino médio. 2010. 123 f. Dissertação (Mestrado em Ensino de Ciências e Matemática) - PUC MG. Disponível em: www.biblioteca.pucminas.br/teses/EnCiMat_PereiraJG_1.pdf Acesso em: 20 de maio de 2017.

RABELLO, Elaine. PASSOS, José Silveira. Vygotsky e o desenvolvimento humano. 2010. Disponível em: . Acesso em: 14 de maio de 2018.

VIEIRA, Shirley Aparecida. OHIRA, Márcio Akio. Sequência didática para o ensino de briófitas. 2013. Disponível em: . Acesso em: 02 de março de 2018.

WERTSCH, J. V. & A., S. C. The concept of internalization in Vygotsky's account of the genesis of higher mental functions. In: J. V. WERTSCH (Ed.). Culture, communication, and cognition. Cambridge: Cambridge University Press, 1985. p. 162-179.

ZABALA, Antoni. A prática educativa: como ensinar. Porto Alegre: Artmed, 1998.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv6n6-098

Refbacks

  • There are currently no refbacks.