Programa de rastreamento do câncer do colo uterino: um estudo de base populacional em uma amostra do Centro-Oeste do Brasil / Cervical cancer screening program: a population-based study in a sample from the Midwest of Brazil

Caio César Ferreira Araújo, Rodrigo da Silva Santos, Angela Adamski da Silva Reis

Abstract


Objetivo: investigar o perfil da mortalidade por câncer do colo do útero, analisando a cobertura e qualidade do programa de rastreamento do colo uterino ofertados pelo Sistema Único de Saúde (SUS) nos municípios goianos. Metodologia: foi realizado um estudo de base populacional com avaliação a partir de sistemas de informação do SUS no período de 2010 a 2017. Resultados: o número de óbitos computados foi de 1.429 casos (5,52/104). Municípios com <100.000 habitantes foram os que registraram maior número de óbitos (63,6%). A faixa etária com maior número de casos registrados foi a de ≥ 65 anos (30%), seguido da 45-54 anos (22,2%). O grupo alvo computou 73,5% do total de exames citopatológicos, sendo que 1/3 da população goiana obteve a menor cobertura. Conclusão: identificou-se um deficit de exames citopatológicos para todo o Estado e uma taxa de óbitos expressiva para os municípios com população <100.000 de habitantes.

 

 


Keywords


Câncer do Colo do Útero; Programa de Rastreamento; Sistemas de Informação em Saúde; Avaliação em Saúde; Data SUS; Sistema Único de Saúde (SUS); Saúde da Mulher.

References


AYRES, A. R. G.; SILVA, G. A. E; GUIMARÃES, R. M. Tendência da incidência de câncer do colo do útero invasor em quatro capitais brasileiras: dados dos registros de câncer de base populacional, 1990-2004. Cadernos Saúde Coletiva, v. 21, n. 3, p. 289–295, set. 2013.

BRASIL, MINISTÉRIO DA SAÚDE, SECRETARIA DE VIGILÂNCIA EM SAÚDE, D. DE V. EM D. T. Informe Técnico Sobre a Vacina Papilomavírus Humano (Hpv) Na Atenção Básica. Ministério Da Saúde, p. 1–36, 2014.

BRASIL, MINISTÉRIO DA SAÚDE, I. N. DO C.; COORDENAÇÃO GERAL DE PREVENÇÃO E VIGILÂNCIA. Indicadores das Ações de Controle do Câncer do Colo do Útero | INCA - Instituto Nacional de Câncer. Disponível em: . Acesso em: 21 ago. 2019.

BRASIL. MINISTÉRIO DA SAÚDE. SECRETARIA DE GESTÃO ESTRATÉGICA PARTICIPATIVA. DEPARTAMENTO DE ARTICULAÇÃO INTERFEDERATIVA. Caderno de diretrizes, objetivos, metas e indicadores 2016. 1. ed. Brasília: Ministério da Saúde, 2016.

BRAY, F. et al. Global cancer statistics 2018: GLOBOCAN estimates of incidence and mortality worldwide for 36 cancers in 185 countries. CA: A Cancer Journal for Clinicians, v. 68, n. 6, 2018.

DENNY, L. Control of Cancer of the Cervix in Low- and Middle-Income Countries. Annals of Surgical Oncology, v. 22, n. 3, p. 728–733, 21 mar. 2015.

FERLAY, J. et al. Estimating the global cancer incidence and mortality in 2018: GLOBOCAN sources and methods. International journal of cancer, v. 144, n. 8, p. 1941–1953, 2019.

FORMAN, D. et al. Global Burden of Human Papillomavirus and Related Diseases. Vaccine, v. 30, p. F12–F23, 20 nov. 2012.

GUAN, P. et al. Human papillomavirus types in 115,789 HPV-positive women: A meta-analysis from cervical infection to cancer. International Journal of Cancer, v. 131, n. 10, p. 2349–2359, 15 nov. 2012.

INCA. Atlas da Mortalidade por Câncer. Disponível em: . Acesso em: 18 ago. 2019.

KARSA, L. VON et al. European guidelines for quality assurance in cervical cancer screening. Summary of the supplements on HPV screening and vaccination. Papillomavirus Research, v. 1, p. 22–31, 1 dez. 2015.

KOLIOPOULOS, G. et al. Cytology versus HPV testing for cervical cancer screening in the general population. Cochrane Database of Systematic Reviews, v. 8, p. CD008587, 10 ago. 2017.

KRISHNAN, K.; THOMAS, A. Correlation of cervical cytology with high-risk HPV molecular diagnosis, genotypes, and histopathology-A four year study from the UAE. Diagnostic Cytopathology, v. 44, n. 2, p. 91–97, fev. 2016.

MARTEL, C. DE et al. Worldwide burden of cancer attributable to HPV by site, country and HPV type. International Journal of Cancer, v. 141, n. 4, p. 664–670, 15 ago. 2017.

MOMANY, M. C. et al. Development of mobile technologies for the prevention of cervical cancer in Santiago, Chile study protocol: a randomized controlled trial. BMC Cancer, v. 17, n. 1, p. 847, 13 dez. 2017.

MÜLLER, E. V. et al. Tendência e diferenciais socioeconômicos da mortalidade por câncer de colo de útero no Estado do Paraná (Brasil), 1980-2000. Ciência & Saúde Coletiva, v. 16, n. 5, p. 2495–2500, maio 2011.

NISHINO, H. T.; TAMBOURET, R. H.; WILBUR, D. C. Testing for human papillomavirus in cervical cancer screening: A review of indications and methodologyCancer Cytopathology, 2011.

SILVA, G. A. E et al. Cervical cancer mortality trends in Brazil, 1981-2006. Cadernos de Saúde Pública, v. 26, n. 12, p. 2399–2407, dez. 2010.

___. Tendência da mortalidade por câncer nas capitais e interior do Brasil entre 1980 e 2006. Revista de Saúde Pública, v. 45, n. 6, p. 1009–1018, dez. 2011.

SILVA, M.; BORGES, R. Mortalidade por Neoplasias em Goiás e Macrorregiões de Saúde, no Período de 1996 a 2016. Secretria Estadual de Saúde, Boletim Epidemiológico Vol. 19, N 01., v. 19, p. 1–11, 2019.

SMITH, R. A. et al. Cancer screening in the United States, 2019: A review of current American Cancer Society guidelines and current issues in cancer screening. CA: A Cancer Journal for Clinicians, v. 69, n. 3, p. 184–210, 15 maio 2019.

SOUZA, J. A. DE et al. Global Health Equity: Cancer Care Outcome Disparities in High-, Middle-, and Low-Income Countries. Journal of clinical oncology : official journal of the American Society of Clinical Oncology, v. 34, n. 1, p. 6–13, 1 jan. 2016.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv6n6-093

Refbacks

  • There are currently no refbacks.