Perfil epidemiológico das intoxicações por medicamentos no Brasil entre os anos de 2013 a 2017 / Epidemiological profile of drug intoxications in Brazil between 2013 and 2017

Victória Maria Bezerra Sereno, Aline Santos Silva, Gabriela Cavalcante da Silva

Abstract


Os medicamentos são parte essencial da terapêutica na saúde, no entanto, a sociedade moderna adotou o uso irracional de drogas ao seu dia a dia, fato que pode justificar que os medicamentos são os principais responsáveis por casos de intoxicações humana. Este artigo objetivou descrever o perfil das intoxicações medicamentosas no Brasil no período de 2013 a 2017. Os dados utilizados foram obtidos a partir do site do Sistema Nacional de Informações Tóxico-Farmacológicas (SINITOX). As variáveis utilizadas foram: sexo, faixa etária, circunstância, região, evolução e zona de ocorrência. Constatou-se que a intoxicação por medicamentos se torna cada vez mais frequente, com destaque no ano de 2016, esse foi o que mais apresentou notificações, correspondendo a 32.311 de casos no Brasil. O sexo feminino foi o mais expressivo em casos de intoxicação registrada, com destaque nos três anos analisados, por outro lado, as crianças de 01-04 anos constituíram a faixa etária mais assídua nos anos analisados. Referente à circunstância, tentativa de suicídio e acidente individuais alcançaram os maiores índices. Deste modo, as intoxicações medicamentosas configuram um problema generalizado, e quem faz o destas regularmente está propenso a essa situação, profissionais de saúde devem contribuir para minimizar o uso irracional e possíveis agravos à saúde correlacionados aos medicamentos.


Keywords


Intoxicação, Medicamentos, Saúde.

References


ARAÚJO, L.S.,ALVES, J.M.F., BARROS, K.B.N.T. Intoxicação por medicamentos nas regiões Nordeste e Sudeste: Estudo comparativo no período de 2013 a 2016. Mostra Científica da Farmácia, v. 5, 2019

ARRAIS, P.D., et al. Prevalence of self-medication in Brazil and associated factors. Revista de Saúde Publica, 2016, 50: 13s.

BENNADI, D. Self-medication: A current challenge. Journal of basic and clinical pharmacy, 2013, 5.1: 19.

BERNARDES, S. S.; TURINI, C. A.; MATSUO, T. Perfil das tentativas de suicídio por sobre dose intencional de medicamentos atendidas por um Centro de Controle de Intoxicações do Paraná, Brasil. Cadernos de Saúde Pública, v. 26, n. 7, p.1366-1372, 2010.

CARREGAL, D.C., SILVEIRA, L.O.P. Analysis of the self-medication pattern among Brazilian users of the public health system. PeerJ Preprints. 2014. v. 2(1): 7-14.

CARY, D. Health brands face rigid restrictions in Brazil. 2016. Disponível em https://www.edelman.com /post/health-brands-face-rigid-restrictions-brazil/. Acesso em 13 abril. 2020.

CHAVES, L.H.S.,et al. Intoxicação exógena por medicamentos: aspectos epidemiológicos dos casos notificados entre 2011 e 2015 no Maranhão. Revista Ciência & Saberes-Facema , v. 3, n. 2, p. 477- 482, 2017.

COSTA, A. O.; ALONZO, H. G. A. Casos de exposições e Intoxicações por medicamentos registrados em um Centro de Controle de intoxicações do interior do Estado de São Paulo Rev. Bras. Pesq. Saúde, Vitória, 17(2): 52-60, abr-jun, 2015.

CRUZ, C.D.C., et al. Perfil epidemiológico de intoxicados por Aldicarb registrados no Instituto Médico Legal no Estado do Rio de Janeiro durante o período de 1998 a 2005. Cadernos Saúde Coletiva, 2013, 21.1: 63-70.

CRUZ, M.J.B, et al. Medication use among children 0-14 years old: population baseline study. Jornal de pediatria, 2014, 90.6: 608-615.

DOMINGUES, P.H.F., et al. Prevalence and associated factors of self-medication in adults living in the Federal District, Brazil: a cross-sectional, population-based study. Epidemiologia e Serviços de Saúde, 2017, 26: 319-330.

DOMINGUES, P.H.F., et al. Prevalence of self-medication in the adult population of Brazil: a systematic review. Revista de saude publica, 2015, 49: 36.

DURÃES, C. et al. Análise Crítica sobre o descarte de Medicamentos Isentos de Prescrição Médica pela comunidade do Centro Universitário São Camilo - SÃO PAULO III Simpósio de Assistência Farmacêutica Local: Centro Universitário São Camilo Data: 21 a 23 de maio de 2015.

FERNANDES, W.S; CEMBRANELLI, J.C. Automedicação e o uso irracional de medicamentos: o papel do profissional farmacêutico no combate a essas práticas. Revista Univap, 2015, 21.37: 5-12.

FEUSER, P. E. Perfil das intoxicações medicamentosas no Estado de Santa Catarina. Revista de Saúde Pública de Santa Catarina, Santa Catarina, v. 6, n. 2, p.23-32, 2013.

FÉLIX, T.A.,et al. Fatores de risco para tentativa de suicídio: produção de conhecimento no Brasil. Revista Contexto & Saúde, v. 16, n. 31, p. 173-185, 2016.

FONTENELE, G.C., et al. Análise de Intoxicações em Crianças Atendidas no Centro de Assistência Toxicológica do Estado do Ceará. Boletim Informativo Geum, v. 6, n. 1, p. 33-42, 2015.

GONÇALVES, C. A. et al. Intoxicação medicamentosa. Revista Científica da Faculdade de Educação e Meio Ambiente, v. 8, n. 1, p. 135-143, 2017.

IURAS, A, et al. Prevalence of self-medication among students of State University of Amazonas (Brazil). Revista Portuguesa De Estomatologia Medicina Dentaria E Cirurgia Maxilofacial, 2016, 104-111.

KLINGER, E.I., et al. Intoxicação exógena por medicamentos na população jovem do Rio Grande do Sul. Revista de Epidemiologia e Controle de Infecção, v. 1, n. 1, p. 44-52, 2016.

MAIOR, M. C. L. S.; OLIVEIRA, N. V. B. V. Intoxicação medicamentosa infantil: um estudo das causas e ações preventivas possíveis. Rev. Bras. Farm. Rio de Janeiro, v. 4, n. 93, p.422-430, 2012.

MENGUE, S.S., et al. Pesquisa Nacional sobre Acesso, Utilização e Promoção do Uso Racional de Medicamentos (PNAUM): métodos do inquérito domiciliar. Revista de Saúde Pública, v. 50, p. 4s, 2016.

NÓBREGA HOS, COSTA AMP, MARIZ SR, Fook SML.Intoxicações Por Medicamentos: Uma Revisão Sistemática Com Abordagem Nas Síndromes Tóxicas. REVISTA SAÚDE E CIÊNCIA Online, v. 4, n. 2, p.109-119, 2015.

OLIVEIRA M.L.F, ARNAUTS I. Intoxicação alcoólica em crianças e adolescentes: dados de um centro de assistência toxicológica. Esc Anna Nery, v. 15, n. 1, p. 83-9, 2011.

PAPINI, S.; NAKAGAWA, L.E. Current status of rodenticide intoxication in Brazil: a preliminary survey from 2009 to 2011. Brazilian Archives of Biology and Technology, 2014, 57.5: 685-688.

PATIL, S.B., et al. Self-medication practice and perceptions among undergraduate medical students: a cross-sectional study. Journal of clinical and diagnostic research: JCDR, 2014, 8.12: HC20.

PONS, E.D.S., et al. Predisposing factors to the practice of self-medication in Brazil: Results from the National Survey on Access, Use and Promotion of Rational Use of Medicines (PNAUM). PLOS ONE, 2017, 12.12: 1-12.

PRADO, M.A.M.B.D., et al. Use of prescription drugs and self-medication among men. Revista Brasileira de Epidemiologia, 2016, 19: 594-608.

RUBIO, M.D.T, et al. Automedicación y creencias en torno a su práctica en Cartagena, Colombia. Revista Cuidarte, 2017, 8.1: 1509-18.

SANTOS, R. C., et al. A importância do farmacêutico para o uso racional de medicamentos em crianças e adolescentes. Rev Saúde. Com, 2013, 9.4: 253-263.

SILVA, C.C.S; SOUZA, K.S.D; MARQUES, M.D.F.L. Intoxicações exógenas: perfil dos casos que necessitaram de assistência intensiva em 2007. Rev Bras Ciênc Saúde, v. 15, n. 1, p. 65-8, 2011.

SILVA, M.G.C., SOARES, M.C.F., MUCCILLO-BAISCH, A.L. Self-medication in university students from the city of Rio Grande, Brazil. BMC Public Health. v. 12, n. 339, 2012.

SILVA, L.L.T.,et al. O suicídio na adolescência nas publicações da enfermagem brasileira: revisão integrativa da literatura. Revista de Enfermagem do Centro Oeste Mineiro, v. 5, n. 3, 2015

SINITOX- sistema nacional de informações tóxico-farmacológicas. disponível em: http://sinitox.icict.fiocruz.br

SOTERIO, K.A., DOS SANTOS, M.A. A automedicação no Brasil e a importância do farmacêutico na orientação do uso racional de medicamentos de venda livre: uma revisão. Revista da Graduação, v. 9, n. 2, 2016.

TELES, A.D.S, et al. Papel dos medicamentos nas intoxicações causadas por agentes químicos em município da Bahia, no período de 2007 a 2010. Revista de Ciências Farmacêuticas Básica e Aplicada, 2013, 34.2: 281-288.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv6n6-079

Refbacks

  • There are currently no refbacks.