Seletividade de herbicidas aplicados em pré e pós-emergência da cana-de-açúcar com e sem a queima da palha / Selectivity of herbicides applied in pre- and post-emergence of sugarcane with or without burned straw

Luiz Henrique Morais Franchini, Jamil Constantin, Rafael Romero Mendes, Rubem Silvério de Oliveira Jr, Denis Fernando Biffe, Fabiano Aparecido Rios, Willian Daroz Matte, Fellipe Goulart Machado

Abstract


A seletividade de herbicidas para a cultura da cana-de-açúcar tem sido um tema desafiador para os produtores em função dos diversos sistemas de cultivo da cultura. O objetivo deste trabalho foi de avaliar a seletividade de herbicidas aplicados em pré (PRÉ) e pós-emergência (PÓS) da cultura em sistemas com e sem a queima da palha. Foram realizados quatro experimentos (exp.) em esquema de parcelas subdivididas com testemunhas duplas: exp. 1 - aplicação de herbicidas isolados com queima da palha, exp. 2 - aplicação de herbicidas isolados sem queima da palha, exp. 3 - aplicação de herbicidas em mistura com queima da palha e exp. 4 - aplicação de herbicidas em mistura sem queima da palha. Os tratamentos herbicidas isolados e em mistura foram definidos em função de serem os tratamentos mais utilizados na região onde os experimentos foram instalados. Para os quatro experimentos, dos 26 tratamentos aplicados em PÓS, 23 afetaram negativamente a produtividade. Dos 26 avaliados com aplicações em PRÉ, apenas sete reduziram significativamente a produtividade da cultura. Em sistemas de cana-de-açúcar sem a queima da palha existe maior frequência de tratamentos não seletivos, especialmente quando utilizadas mistura de herbicidas. Existem opções de tratamentos herbicidas seletivos para a cana-de-açúcar, porém, a escolha dos tratamentos deve levar em conta tanto a modalidade de aplicação quanto a presença ou ausência de palha no solo.

 

 


Keywords


Saccharum officiarum, cana-crua, modalidade de aplicação, mistura.

References


AQUINO GS et al. 2015. Sistema radicular e produtividade de soqueiras de cana-de-açúcar sob diferentes quantidades de palhada. Pesquisa Agropecuária Brasileira. 50: 1150-1159.

ARANTES JGZ et al. 2017. Avaliação da seletividade do clomazone isolado ou em mistura para o algodoeiro. Revista Agrarian. 10: 120-128.

ARANTES JGZ et al. 2015. Seletividade do clomazone no manejo químico de plantas daninhas da cultura do algodão LL®. Planta Daninha. 33: 283-293.

AZANIA CAM et al. 2005. Seletividade de herbicidas II – aplicação de herbicidas em pós-emergência inicial e tardia da cana-de-açúcar na época das chuvas. Planta Daninha. 23: 669-675.

CALDEIRA AL et al. 2015. Estimation of herbicide bioconcentration in surgacane (Saccharum officinarum L.). Ciência Rural. 45: 591-597.

CAMPOS LHF et al. 2010. Sistemas de manejo da palhada influenciam acúmulo de biomassa e produtividade da cana-de-açúcar (var. RB855453). Acta Scientiarum Agronomy. 32: 345-350.

CARVALHO JC. 2004. Mecanismo de ação dos herbicidas e sua relação com a resistência a herbicidas. In: CHRISTOFOLETI PJ, LÓPEZ-OVEJERO RF, CARVALHO JC. Aspectos de resistências de plantas daninhas a herbicidas. 2. ed. Campinas: Associação Brasileira de Ação a Resistência de Plantas aos Herbicidas, p.22-44.

CONAB - Companhia Nacional de Abastecimento. Acompanhamento da safra brasileira Cana-de-açúcar. Disponível em: file:///C:/Users/acer/Downloads/CanaZdezembro%20(1).pdf. Acesso em: 25 dez 2018.

DIAS JLCDS et al. 2017. Herbicides selectivity in pre-budded seedlings of sugarcane. Arquivos do Instituto Biológico. 1: 841-9.

FAGLIARI JR, OLIVEIRA JR. RS & CONSTANTIN J. 2002. Nova metodologia para avaliação da seletividade de herbicidas para a cultura da cana-de-açúcar. Acta Scientiarum. 24: 1223-1228.

FERREIRA RR et al. 2010. Tolerância diferencial de variedades de cana-de-açúcar a estresse por herbicidas. Bragantia. 69: 395-404.

GIRALDELI AL et al. 2018. Crescimento inicial de mudas pré-brotadas de cana-de-açúcar em duas modalidades de aplicação de herbicidas. Revista Brasileira de Herbicidas. 17: e588.

MANHÃES CMC et al. 2005. Fatores que afetam a brotação e o perfilhamento da cana-de-açúcar. Vértices. 17: 163-181.

MONTÓRIO GA et al. 2005. Seletividade de herbicidas sobre as características de produção da cana-de-açúcar utilizando-se duas testemunhas. Revista Brasileira de Herbicidas 4: 146-155.

SAA/SMA – Secretaria de Agricultura e Abastecimento/Secretaria do Meio Ambiente – Estado de São Paulo. Resolução nº 01, de 16 de Junho de 1998.

SEMA – Secretaria de Estado do Meio Ambiente e Recursos Hídricos – Estado do Paraná. Resolução nº 076, de 20 de Dezembro de 2010 (D.O.E.PR.nº 8369 de 22/12/2010).

SIGNOR D et al. 2016. Atributos químicos e qualidade da matéria orgânica do solo em sistemas de colheita de cana-de-açúcar com e sem queima. Pesquisa Agropecuária Brasileira. 51: 1438-1448.

SILVA TP et al. 2018. Sugarcane seedlings influenced by the management with herbicides. Planta Daninha. 36: e018150678.

SIMÕES et al. 2016. Selectivity of herbicides inhibitors of photosystem II for sugarcane cultivars. Planta Daninha. 34: 803-814.

SOUZA JR et al. 2009. Tolerância de cultivares de cana-de-açúcar a herbicidas aplicados em pós-emergência. Bragantia. 68: 941-951.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv6n6-065

Refbacks

  • There are currently no refbacks.