Extrato da Eugenia uniflora L. (pitangueira) e sua ação anti-inflamatória em afecções dermatológicas – Uma revisão da literatura / Extract of Eugenia uniflora l. (pitangueira) and its anti-inflammatory action in dermatological affections - A literature review

Ingrid Rayanne Silva Pereira, Isaías Galvão Monteiro, Lidiany da Paixão Siqueira

Abstract


As plantas medicinais fazem parte da sociedade desde o princípio, utilizadas dentre tantas outras formas, destacando-se como “medicamentos naturais” devido a sua função medicinal.  O uso de plantas medicinais pela população acarreta uma equivocada idealização de que a planta, por ter origem natural, não provoca malefícios à saúde. Assim sendo, destaca-se a importância do cuidado com o uso e a necessidade de realização de testes de toxicidade. As plantas medicinais são compostas por metabolitos primários e secundários, sendo este último, os responsáveis pela ação farmacológica remetida a elas. As ações farmacológicas já reportadas na literatura são antioxidantes, analgésicas, antidepressiva, entre outras, destacando-se a ação anti-inflamatória, bastante descrita na literatura e com evidência da sua ação em uma grande quantidade de material vegetal. A Eugenia uniflora (Pitangueira) é uma planta reconhecida pelo seu potencial anti-inflamatório, amplamente utilizada pela medicina popular, possui diversos metabólitos que remetem a sua atividade terapêutica. Dentre os metabolitos secundários com ação anti-inflamatória, destacam-se os flavonoides, quercetina, eugeniflorina D1/D2 e a miricetina. Algumas das enfermidades a nível cutâneo acometidas pelo processo inflamatório são as dermatites, psoríase, além de eczemas. Atualmente são feitos diversos estudos para a elaboração e síntese de novas formas farmacêuticas tópicas que possuam diversas ações terapêuticas, entre elas, a ação anti-inflamatória advinda de material vegetal, destacando a importância da terapêutica associada as plantas medicinais e fitoterápicos por mostrar comprovada eficácia no tratamento de afecções dermatológicas.


Keywords


Eugenia uniflora; Fitoterápicos; Doenças Dermatológicas; Anti-inflamatórios; Extratos Vegetais.

References


CASALE, Flávia Mendonça; VALENTINI, Sergio Alexandre. Controle de Qualidade de formas farmacêuticas tópicas utilizando diferentes extratos vegetais. Revista Iniciare, v. 2, n. 1, p. 36-48, jun, 2017.

SOUZA, V.B.; FEREIRA, J.R.N. Desenvolvimento e estudo de estabilidade de cremes e géis contendo sementes e extratos do bagaço da uva Isabel (Vitis labrusca L.). Revista de Ciências Farmacêuticas Básica e Aplicada. v. 31, n. 3, p. 217-222, ago, 2010.

FIGUEIRA, A. C. G.; BRITO, A. F.; SILVA, G.A. Avaliação da toxicidade de plantas medicinais brasileiras por meio do bioensaio com Artemia salina. p.11-23, 2012.

HIROTA, B. C. K. et al. Avaliação de toxicidade in vitro: aplicabilidade do ensaio de letalidade frente a Artemia salina. Visão Acadêmica. v. 13, n. 2, p. 42-48, jun, 2012.

VILLANOVA, Janaína C. O.; ORÉFICE, Rodrigo L.; CUNHA, Armando S. Aplicações farmacêuticas de polímeros. Polímeros: Ciência e Tecnologia. v. 20, n. 1, p. 51-64, 2010.

BEZERRA, Natália Aragão. Avaliação da atividade antimicrobiana de Eugenia uniflora L. 2012, p. 1-37, Ciências Biológicas, Universidade Estadual da Paraíba. Campina Grande-PB, 2012.

CORDEIRO, Marciana Socorro Ferreira et al. Desenvolvimento tecnológico e avaliação de estabilidade de gel dermatológico a partir do óleo essencial de gengibre (Zingiber oficinalle Roscoe). Revista Brasileira de Farmácia. v. 94, n. 2, p. 148-153, nov, 2012.

BERDNACZUK, V.O. et al. Testes in vitro e in vivo utilizados na triagem toxicológica de produtos naturais. Visão Acadêmica. v. 11, n. 2, p. 43-50, dez, 2010.

QUEIROZ, Julia M. G. et al. Aspectos populares e científicos do uso de espécies de Eugenia como fitoterápico. Revista Fitos. v. 9, n. 2, p. 73-100, jun, 2015.

LAVANDEIRA, Fernanda Márcia Ferreira. Ensaios toxicológicos pré-clínicos na avaliação da segurança de novos fármacos. 2014, p. 1-70, Ciências Farmacêuticas, Universidade Fernando Pessoa, Porto, 2014.

MOREIRA, Laryssa Aparecida de Oliveira. Avaliação da atividade tóxica em Artemia Salina Leach de extratos de duas espécies da família Melastomataceae. f. 52, 2013. TCC (Graduação) - Curso de Licenciatura em Química, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Goiás. Anápolis, 2013.

QUEIROZ, Kamila Ayres; SOUSA, Francisco Fábio Oliveira de. Avaliação da estabilidade de gel cremoso contendo extrato de Curatella americana. In: ARAÚJO, Jennifer Thayanne Cavalcante de et al. Ciências da Saúde: resultados dos projetos de iniciação científica da Universidade Federal do Amapá (2012-2016). Macapá: Unifap, 2017. p. 19-40.

ROSMANINHO, Isabel et al. Dermatite de contacto: revisão da literatura. Revista Portuguesa de Imunoalergologia, Vila Nova de Gaia e Espinho, v. 24, n. 4, p.197-209, 15 nov. 2016.

FIRMO, Wellyson da Cunha Araújo et al. Contexto histórico, uso popular e concepção científica sobre plantas medicinais. Cadernos de Pesquisa, São Luís, v. 18, n. , p.90-95, dez. 2011.

BADKE, Marcio Rossato et al. Plantas Medicinais: o saber sustentado na prática do cotidiano popular. Escola Anna Nery, [s.l.], v. 15, n. 1, p.132-139, mar. 2011. GN1 Genesis Network. http://dx.doi.org/10.1590/s1414-81452011000100019.

KARAM, Thaysa et al. Carqueja (Baccharis trimera): utilização terapêutica e biossíntese. Revista Brasileira de Plantas Medicinais, Campinas, v. 15, n. 2, p.280-286, jan. 2013.

ANVISA. AGENCIA NACIONAL DE VIGILAÂNCIA SANITÁRIA. Guia sobre Requisitos de Qualidade para o Registro de Produtos Tópicos e Transdérmicos. Guia n. 20, v. 1, dez, 2018.Disponívelem:http://portal.anvisa.gov.br/documents/10181/5516542/Guia+20+v1+Requisitos+Qualidade+Produtos+T%C3%B3picos+e+Transd%C3%A9rmicos.pdf/68ff3097-fb5d-4c99-9bd2-2dc50eb4fc3e

COUTINHO, Marcela A. S. et al. Flavonoids: Potential therapeutic agents for the inflammatory process. Revista Virtual de Química, [s.l.], v. 1, n. 3, p.241-256, 2009. Sociedade Brasileira de Quimica (SBQ). http://dx.doi.org/10.5935/1984-6835.20090024.

BEZERRA, Wilma Katia Trigueiro et al. O uso de fitoterapia com ação anti-inflamatória que atuam no sistema gênito- urinário. Revista Gvaa, Pombal, v. 8, n. 1, p.24-36, jan. 2014.

MARMITT, Diorge J. et al. Plantas Medicinais da RENISUS Com Potencial Anti-inflamatório: Revisão Sistemática Em Três Bases de Dados Científicas. Revista Fitos, [s.l.], v. 9, n. 2, p.73-159, 2015. Fiocruz - Instituto de Tecnologia em Farmacos. http://dx.doi.org/10.5935/2446-4775.20150011.

CHAVES, Francisco Celio Maia et al. Avaliação agronômica e caracterização química de acessos de gengibre (Zingiber officinale) nas condições de Manaus, AM. Horticultura Brasileira, Manaus, v. 30, n. 2, p.5805-5808, jul. 2012.

BALBINOT, S. et al. Reconhecimento e uso de plantas medicinais pelos idosos do Município de Marmeleiro - Paraná. Revista Brasileira de Plantas Medicinais, [s.l.], v. 15, n. 41, p.632-638, jun. 2013. FapUNIFESP (SciELO). http://dx.doi.org/10.1590/s1516-05722013000500002

ANTUNES, Adriana; SOLÉ Dirceu; CARVALHO, Vânia; KISZEWSKI, Ana; KUSCHNIR, Fábio; MALLOZI, Márcia; MARKUS, Jandrei; SILVA, Maria; PIRES, Mário; MELLO, Marice; ROSÁRIO, Nelson; SARINHO, Emanuel; CHONG, Herberto; RUBINI, Norma; SILVA, Luciana. Guia prático de atualização em dermatite atópica - Parte I: etiopatogenia, clínica e diagnóstico. Posicionamento conjunto da Associação Brasileira de Alergia e Imunologia e da Sociedade Brasileira de Pediatria. Arquivos de Asma, Alergia e Imunologia. v. 1, n. 2, p. 131-156, 2017.

MINISTÉRIO DA SAÚDE. Monografia da espécie Eugenia uniflora (Pitangueira). 2015. 81f.Brasília,2015.Disponívelem:http://portalsaude.saude.gov.br/images/pdf/2017/setembro/11/Monografia-Eugenia-uniflora.pdf

ALVES, Lucio F. Produção de Fitoterápicos no Brasil: História, Problemas e Perspectivas. Revista Virtual de Química. v. 5, n. 3, p. 450-513. Rio de Janeiro, 2013.

SCHUMACHER, Nayara Simon Gonzalez. Caracterização da Propriedade Antiinflamátoria dos componentes do Extrato Aquoso aas folhas de Eugenia Uniflora sobre a expressão do Diabetes, no modelo experimental de Diabetes Espontâneo Tipo 1 (Camundongos Nod). 2015. 120 f. Dissertação (Mestrado) - Curso de Medicina, Clínica Médica, Faculdade de Ciências Médicas da Universidade Estadual de Campinas. Campinas, 2015.

SOARES, Denise Josino. Efeitos antioxidante e antiinflamatório da polpa de pitanga roxa (Eugenia uniflora L.) sobre células bucais humanas, aplicando experimentos in vitro e ex vivo. 2014. 99 f. Tese (Doutorado) - Programa de Pós-Graduação em Ciência e Tecnologia de Alimentos. Fortaleza, 2014.

GRASSO, Eliane da Costa; AOYAMA, Elisa Mitsuko; FURLAN, Marcos Roberto. AÇÃO ANTIINFLAMATÓRIA DE Curcuma longa L. (ZINGIBERACEAE). Revista Eletrônica Thesis, São Paulo, v. 14, n. 28, p.117-129, jul. 2017.

DINIZ, Danielle Mendes. Atividade anti-inflamatória de microemulsão contendo óleo de Pequi (Caryocar coriaceum W.). 2015. 37 f. TCC (Graduação) - Curso de Farmácia, Universidade Estadual da Paraíba, Campina Grande, 2015.

LIMA, Adilson Pinheiro de. Desenvolvimento, Avaliação da Estabilidade e da Atividade Anti-inflamatória do Gel Transdérmico contendo Extrato de Leonotis nepetaefolia. 2011. 78 f. Dissertação (Mestrado) - Curso de Farmácia, Universidade Bandeirante de São Paulo, São Paulo, 2011.

MESQUITA, Pedro Miguel Amaral. Psoríase: Fisiopatologia e Terapêutica. 2013. 67 f. Dissertação (Mestrado) - Curso de Ciências da Saúde, Universidade Fernando Pessoa, Porto, 2013.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv6n6-062

Refbacks

  • There are currently no refbacks.