Cinética de secagem do manjericão (ocimum basilicum l.) Em secador de leito fixo / Basin drying kinetics (ocimum basilicum l.) In a fixed bed dryer

Camila Luciana Silva de Mesquita, Alany de Oliveira Lima, Arthur Felipe Pereira de Jesus, Claudiana Queiroz Gouveia, Pollyanna Cristina Gomes e Silva, Quissi Alves da Silva, Josilene de Assis Cavalcante

Abstract


O manjericão (Ocimum basilicum L.) é uma importante fonte de óleos essenciais com mais de vinte componentes, entre eles: meil-cinemato, eugenol, citral, cânfora e taminos. Seu uso mais frequente é na medicina, no entanto, ele também serve como matéria prima para o processamento industrial. A falta da aplicação de técnicas pós-colheita adequadas interfere negativamente no transporte e armazenamento desse produto, que é altamente perecível. A secagem é uma das técnicas utilizadas para preservação das qualidades físicas e químicas do produto. Desta forma, o presente trabalho teve como objetivo a análise da cinética de secagem das folhas e do caule do manjericão. Para o processo foi utilizado um secador de leito fixo, nas temperaturas de 50 ºC e 70 ºC e diferentes velocidades. Também foram feitas análises físico-químicas das folhas secas. Foi possível observar que o aumento da temperatura resultou em uma redução no tempo secagem.

Keywords


hortaliça; secagem convectiva; atividade de água

References


BIZZO, H. R.; HOVELL, A. M. C.; REZENDE, C. M. Óleos essenciais no Brasil: aspectos gerais, desenvolvimento e perspectivas. Química Nova, v.32, nº.3, abril, 2009, p.588-594.

DAVIS, S. R. et al. Phytoestrogens in health and disease. Recent Prog. Horm. Res., v. 54, p.185-210, 1999.

FERREIRA, L. L. et al. Análise físico-química de olerícolas condimentares produzidas em sistema de produção convencional e orgânico. Revista Educação Ambiental em Ação, n. 51, ano XIII, março, 2015.

FILHO, Eldo Sá Corrêa. Prospecção Molecular de genes codificadores de enzimas da via de fenilpropanóides em Dipteryx odorata (Aubl) Willd e Eclipta alba (L.) Hassk. 2008. 89 p. Dissertação (Mestrado) –Universidade de Ribeirão Preto, São Paulo, Ribeirão Preto, 2008.

GUERRA, A. M. N. de M; EVANGELISTA, R. S.; SILVA, M. G. M.; SANTOS, D. S. de. Nitrogênio influencia o acúmulo de biomassa e o rendimento de óleo

essencial de manjericão. Brazilian Journal of Development. v. 6, n. 5, p.24739-24756 may. 2020.

JAKIEMIU, Elizabete Aparecida Ruzza. Uma contribuição ao estudo do óleo essencial e do extrato de tomilho (Thymus vulgaris L.). 2008. 90 p. Dissertação (Mestrado) -Universidade Federal do Paraná, Curitiba, 2008.

JUNIOR, P. S. S.; EVERTON, G. O.; FERREIRA, A. M.; MAFRA, N. S. C.; ROSA, P. V. S.; PEREIRA, A. P. M.; FONSECA, D.; CUNHA, J. C. R.; ARRUDA, M. O.; FILHO, V. E. M. Alterações físico-químicas e biológicas dos óleos essenciais das folhas

Alpinia zerumbet a partir de diferentes temperaturas de secagem. Brazilian Journal of Development. v. 6, n. 4, p. 22392-22403 apr. 2020.

HELDMAN, D. R.; HARTEL, R. W. Principles of food processing. New York: Chapman & Hall, 2000. 218p

LIMA, Renata de Aquino Brito. Análise da secagem convectiva de folhas de manjericão (Ocimum basilicum L.). São Carlos: Universidade Federal de São Carlos, 2013.

LUPE, Fernanda Avila. Estudo da composição química de óleos essenciais de plantas aromáticas da Amazônia. 2007. 120 p. Dissertação (Mestrado) –Instituto de Química –Universidade Estadual de Campinas, São Paulo, Campinas, 2007.

MADIGAN, M. T; MARTINKO, J. M; PARKER, J. Microbiologia de Brock. São Paulo: Prentice Hall, 2008.

MARTINS, H. F.; CARVALHO, S. S. R. A.; BISPO, J. A. C.; SOUZA, S. M. A.; MARTINEZ, E. A. Maracujá-amarelo (Passiflora edulis f. Flavicarpa): cinética da secagem artificial e natural da casca. Brazilian Journal of Development. v. 5, n. 10, p. 23234-23245, nov. 2019.

MATHEWS, S.; SINGHAL, R. S.; KULKARNI, P. R. Ocimum basilicum: A new non-conventional source of fibre. Food Chemistry, v.47, p.399-401, 1993.

MESSIAS, U. Resposta pós-colheita a injúria por frio de três cultivares de manjericão (Ocimum basilicum L.). Dissertação-Universidade Federal de Viçosa, Minas Gerais, 2004, p36.

MORAIS, Selene Maia de; JÚNIOR, Francisco Eduardo Aragão Catunda; SILVA, Ana Raquel Araújo da; NETO, Jason Stone Martins; RONDINA, David; CARDOSO, José Henrique Leal. Atividade Antioxidante de Óleos Essenciais de Espécies de Croton do Nordeste do Brasil. Química Nova, v. 29, nº. 5, 2006, p. 907-910

OLIVEIRA, R. A.; Oliveira, W. P.; Park, K. J. Determinação da difusividade efetiva de raiz de chicória. Engenharia Agrícola, v.26, p.181-189, 2006.

PEREIRA, Rita de Cassia A.; MOREIRA, Ana Luiza M. Manjericão: cultivo e utilização. Fortaleza: Embrapa Agroindústria Tropical, 2011.

ROSADO, Luciana Domiciano S. et al. Influência do processamento da folha e tipo de secagem no teor e composição química do óleo essencial de manjericão cv. Maria Bonita. Ciênc. agrotec., Lavras, v. 35, n. 2, p. 291-296, Apr. 2011.

ROSAS JF et al. 2004. Comparação dos voláteis das folhas de Ocimum micranthumWilld. obtidos por hidrodestilação e destilação-extração simultânea. Revista Brasileira de Plantas Medicinais 7: 26-29

SANTOS, R. I. DOS. Metabolismo básico e origem dos metabólitos secundários. Farmacognosia da planta ao medicamento. In: SIMÕES, C. M. O. et al. (Orgs.). Farmacognosia da planta ao medicamento. 5. ed. Porto Alegre: Editoras da UFRGS; Florianópolis: Editora da UFSC, 2004. Cap 16, p. 537 – 557

TEIXEIRA, G.V. Avaliação das perdas qualitativas no armazenamento da soja, (Dissertação de Mestrado), Campinas, 2001.

Tabela de Composição Química dos Alimentos. Universidade Federal de São Paulo. 10/03/2016. Disponível em:https://tabnut.dis.epm.br/alimento/02003/condimento-manjericao-seco. Acesso: 23 de setembro de 2019.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv6n6-054

Refbacks

  • There are currently no refbacks.