Aspectos psicossociais e relação com sedentarismo entre trabalhadores hidroviários / Psychosocial aspects and its relation with sedentarism among waterway workers

Jorge Luiz Lima da Silva, Abel Henrique Acco, Giulia Lemos de Almeida, Rafael da Silva Soares, Vinicius Fonseca de Lima, Cristhian Antonio Brezolin, Cláudia Maria Messias, Rogério Pires da Silva

Abstract


Objetivo: descrever possível relação entre sedentarismo e aspectos psicossociais entre trabalhadores hidroviários. Métodos: trata-se de estudo observacional transversal. Os participantes foram os funcionários de empresa de transporte hidroviário, localizada no estado do Rio de Janeiro, maiores de 18 anos de idade, independente de cor de pele, sexo ou religião. O total de participantes foi de 430 trabalhadores. O instrumento utilizado foi questionário autopreenchido, contendo aspectos sociodemográficos, laborais e de estilo de vida. Foram utilizadas para a análise as escalas Job Stress Scale e Self Reporting Questionnaire adaptadas para o português e validadas no Brasil. Resultados: quanto aos aspectos psicossociais não houve associação estatística com o desfecho, contudo, na prevalência global, os transtornos mentais e comuns (TMC) foi de 10,0%; dentro desta porcentagem, 79,1% eram sedentários. Pode-se observar a proteção para aqueles que praticam atividade física, quando comparado aos sedentários. Conclusão: foi possível identificar uma relação entre a prática de exercícios físicos e a saúde psicossocial, assim, é fundamental capacitar os trabalhadores dos serviços de saúde, quanto aos sinais e sintomas dos sofrimentos psíquicos, para que considerem a importância da situação de trabalho.


Keywords


comportamento sedentário; impacto psicossocial; transtornos mentais.

References


Silva JPC, Ferreira LS, Almeida BLF. Os impactos das atuais condições de trabalho na saúde do trabalhador: o trabalho sob a nova organização e o adoecimento dos trabalhadores e das trabalhadoras atendidos no Cerest/JP. Braz. J. of Develop., 2019;5(11):23206-23220.

Silva JLL, Moreno RF, Soares RS, Almeida JA, Daher DV, Teixeira ER. Prevalência de transtornos mentais comuns entre trabalhadores marítimos do Rio de Janeiro. J. Res.: Fundam. Care. Online. 2017;9(3):676-681.

Watanabe EMB. Aspectos psicossociais de risco no trabalho e a saúde mental dos carteiros da cidade de São Paulo. 2015. São Paulo. Dissertação [Programa de Pós-Graduação Trabalho, Saúde e Ambiente] – Fundação Jorge Duprat Figueiredo de Segurança e Medicina do Trabalho – Fundacentro, 2015.

Neto AA, Araújo R, Pitangui A, Menezes L, França E, Costa E, et al. Qualidade de vida e nível de atividade física de profissionais de saúde de unidades de terapia intensiva. Revista Brasileira de Atividade Física & Saúde. 2013;18(6):711-719.

Teixeira JRB, Boery EN, Casotti CA, Araújo TM, Pereira R, Ribeiro IJS et al. Associação entre aspectos psicossociais do trabalho e qualidade de vida de mototaxistas. Cadernos de Saúde Pública. 2015;31(1):97-110.

Alves MGM, Braga VM, Faerstein E, Lopes CS, Junger W. Modelo demanda-controle de estresse no trabalho: considerações sobre diferentes formas de operacionalizar a variável de exposição. Cadernos de Saúde Pública. 2015;3(1):208-212.

Guthold R, Stevens GA, Riley LM, Bull FC. Worldwide trends in insufficient physical activity from 2001 to 2016: a pooled analysis of 358 population-based surveys with 1·9 million participants. Lancet Glob Health. 2018, 6(18): 1077-1088.

Trevisan RL. Associação entre variáveis sociodemográficas e ocupacionais e prevalência de transtornos mentais e do comportamento em servidores públicos do Estado de Santa Cantarina. Florianópolis. Dissertação [Mestrado em Psicologia] -Universidade Federal de Santa Catarina, 2016.

Silva JLL. Aspectos psicossociais e a Síndrome de Burnout entre trabalhadores de enfermagem intensivistas. Rio de Janeiro. Tese [Doutorado em Saúde Pública] - Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca, 2015.

Silva LC da, Salles TLA. O estresse ocupacional e as formas alternativas de tratamento. ReCaPe Revista de Carreiras e Pessoas. 2016;6(2):234-47.

Fernandes MA, Santos JDM, Moraes LMV, Lima JSR, Feitosa CDA, Sousa LFC. Mental and behavioral disorders in workers: a study on work leave. RevEscEnferm USP. 2018;52:e03396.

Macedo RFQ. Educação física e o programa de qualidade de vida: relato de experiência. Campina Grande. Trabalho de Conclusão de Curso [Licenciatura Plena em Educação Física] – Universidade Estadual da Paraíba, 2015.

Cruz JR, Alberto-Filho PC, Hakamada EM. Benefícios da endorfina através da atividade física no combate a depressão e ansiedade. Revista Digital. 2013;18(179).

Organização Internacional do Trabalho. Emploi et conditions de travail des enseignants. Geneve, Switzerland: Bureau International du Travail, 1981.

Silva JLL, Soares RS, Costa FS, Ramos DS, Lima FB, Teixeira LR. Aspectos psicossociais e a Síndrome de Burnout entre trabalhadores de enfermagem intensivistas. Revista Brasileira de Terapia Intensiva. 2015, 27(2): 125-133.

Meira M, Abdala G, Teixeira C, Ninahuaman M, Moraes M, Salgueiro M. Perfil do estilo de vida de adultos da zona sul de São Paulo. Life StyleJournal. 2015; 2(2):67-82.

World Health Organization. Global recommendation son physicalactivity for health. Genebra: WHO; 2010. Disponível em: http://whqlibdoc.who.int/publications/2010/9789241599979_eng.pdf. Acessado em setembro de 2014.

Santa-Clara H, Pinto I,Santos V, Pinto R, Melo X, Almeida JP, et al. Atividade física e exercício físico: especificidades no doente cardíaco. Revista Factores de Risco.2015;35:28-35.

Ferreira SE, Santos AKM, Okano AH, Gonçalves BSB, Araújo JF. Efeitos agudos do exercício físico no tratamento da dependência química. Revista Brasileira de Ciências do Esporte. 2017; 39(2):123-131.

Santos ZA, Ribeiro R. Efeito do Exercício Físico na Melhora do Grau de Flexibilidade na Articulação dos Joelhos em Obesos Exercitados Comparados com Obesos Sedentários. Revista Brasileira de Obesidade, Nutrição e Emagrecimento. 2016;10(55):20-24.

Freire CB, Dias RF, Schwingel PA, França EET, Andrade FMD, Costa EC et al. Qualidade de vida e atividade física em profissionais de terapia intensiva do submédio São Francisco. Revista Brasileira de Enfermagem.2015;1(68):26-31.

Jesus CS, Oliveira F, Rocha MC, Nascimento RMS. Atuação do Enfermeiro do Trabalho na Saúde e Proteção dos Trabalhadores Offshore. Revista Inova Saúde. 2015;4(2):100-114.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv6n6-035

Refbacks

  • There are currently no refbacks.