O Impacto da Qualidade do Registro Hospitalar de Câncer na Análise de Sobrevida dos Pacientes Diagnosticados com Neoplasia: Um Estudo de Caso em um Hospital Brasileiro / The Impact of Quality of Hospital Cancer Registry on Survival Analysis of Patients Diagnosed with Neoplasia: A Case Study in a Brazilian Hospital

Erika Gonçalves de Assis, Caroline Rhaian da Silva Jandre, Anna Carolina Lustosa Lima, Cristiane Neri Nobre

Abstract


A análise de sobrevivência é uma técnica estatística usada para analisar um fenômeno ao longo de um período. Os indivíduos são monitorados através do evento, no nosso caso específico, a morte. Calculamos a sobrevida de cinco neoplasias do Registro Hospitalar de um Hospital brasileiro. As variáveis avaliadas: sexo, idade, raça/cor, escolaridade, tempo entre diagnóstico e tratamento, estágio da doença, ocorrência de metástases e histórico familiar de câncer, alcoolismo e tabagismo. A sobrevida global estimada em cinco anos foi de 97,8% para câncer de colo do útero, 96,5% para a próstata, 95,5% para a leucemia, 95,0% para a mama e 52,9% para o pulmão. A influência das variáveis demográficas e clínicas sobre esses tipos de câncer também foi avaliada. Os resultados indicam que, para o câncer de mama, os pacientes com melhor prognóstico foram: câncer diagnosticado nos estágios iniciais, sem histórico familiar de câncer e pacientes com mais de 50 anos de idade. Há melhor sobrevida em tempos de espera mais curtos entre o diagnóstico e o tratamento do câncer de próstata e do colo do útero.


Keywords


análise de sobrevida, Registro Hospitalar, câncer

References


ABREU, E.; Koifman, S. Fatores prognósticos no câncer da mama feminina. Cad Saúde Colet, v. 48, n.1, p.113-3, 2002.

ALLEMANI, Claudia; Weir, Hannah K; Carreira, Helena; et al. Global surveillance of cancer survival 1995–2009: analysis of individual data for 25 676 887 patients from 279 population based registries in 67 countries (CONCORD-2). The Lancet, v.385, n. 9972, 14-20 março de 2015, Pag. 977-1010.

ALLEMANI, Claudia; Weir, Hannah K; Carreira, Helena; et al. Global surveillance of trends in cancer survival 2000- 14 (CONCORD-3): analysis of individual records for 37513025 patients diagnosed with one of 18 cancers from 322 population-based registries in 71 countries. The Lancet,

v. 391, n. 10125, 14-20 março de 2018, Pag. 1023-1075

AMERICAN CANCER SOCIETY. Cancer facts and figures 2018. Atlanta: American Cancer Society; 2018.

BONNIER, P, et al. Age as a prognostic factor in breast cancer relationship to pathologic and biologic features. Int J Cancer; 62:138-44, 1995.

BUSTAMANTE-TEIXEIRA, Maria Teresa; Faerstein, Eduardo; Latorre, Maria do Rosário. Técnicas de análise de sobrevida. Cad. Saúde Pública, Rio de Janeiro, v. 18, n. 3, p. 579-594,

jun. 2002.

BRAY, F. et al. Global cancer statistics 2018: GLOBOCAN estimates of incidence and mortality worldwide for 36 cancers in 185 countries. CA: a cancer journal for clinicians, Hoboken, v. 68, n. 6, p. 394-424, Nov. 2018.

COLEMAN, M.P. Cancer survival: global surveillance will stimulate health policy and improve equity. The Lancet, Vol 383, February 8, 2014.

COLOSIMO, E.A.; Giolo, S.R. Análise de Sobrevivência Aplicada. Edgard Bluncher: São Paulo, 2006.

COX, D. R.; Oakes, D. Analysis of Survival Data. London: Chapman Hall, 1984.

GIOLO, S. R. Introdução à análise de sobrevivência. Curitiba: UFPPR, 2003.

GLOBOCAN 2012: Estimated Cancer Incidence, Mortality and Prevalence Worldwide in 2012, 2012.

GUERRA, M. R. Sobrevida e fatores prognósticos para o câncer de mama em Juiz de Fora, Minas Gerais, na coorte diagnosticada entre 1998 e 2000. Tese (Doutorado em Saúde Coletiva). Instituto de Medicina Social, Universidade do Estado do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2007.

IARC-INTERNACIONAL AGENCY FOR RESEARCH ON CANCER. Monographs of Carcinogenic Risks to Humans and Handbooks of Cancer Prevention. [Geneva]: WHO, 2015.

INSTITUTO NACIONAL DE CÂNCER. Coordenação de Prevenção e Vigilância Estimativa 2020: incidência de câncer no Brasil / Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva – Rio de Janeiro: INCA, 2019.

KAPLAN. L., Meier, P. Source: Journal of the American Statistical Association, Vol. 53, No. 282 (Jun. 1958), pp. 457-. 481.

KLEINBAUM, D. G. Survival Analysis: A Self- Learning Text. New York: Springer, 1995.

MINAS GERAIS. SECRETARIA DE SAUDE. Programa de avaliação e Vigilância do Câncer e seus fatores de risco. In: Registros Hospitalares de Câncer de Minas Gerais. Belo Horizonte, 2010. Vol.2, p.24-40.

NATIONAL CANCER INSTITUTE. CANCER STATISTICS REVIEW, 1975-2014. Disponível em: https://seer.cancer.gov. Acesso em: 13 mar. 2018.

PEREIRA, P. J.; VIVANCO, Mario Javier Ferrua. Viabilidade da aplicação de mecanismos de censura Tipo I e aleatória em dados entomológicos. Ciênc. Agrotec. Lavras, v.27, n.2, p.

-442, Apr.2003.

PIERGA JY, Girre V, Laurence V, Asselain B, Dieras V, Jouve M, et al. Characteristics and outcome of 1755 operable breast cancers in women over 70 years of age. Breast, v. 13, n.5, p.369-75, 2004.

Rebasa; P. Basic concepts in survival analysis. Cir Esp. v.78, n.4, p. 222-30, 2005.

SILVA, Gulnar Azevedo et al. Cancer mortality trends in Brazilian state capitals and other municipalities between 1980 and 2006. Rev. Saúde Pública, São Paulo, v. 45, n. 6, p. 1009-

, Dec. 2011.

SHIMADA, A. K. Câncer de Colo de Útero. Revista Brasileira de Medicina, 01 mai. 2011.

SCHNEIDER, Ione Jayce Ceola; D’ORSI, Eleonora. Sobrevida em cinco anos e fatores prognósticos em mulheres com câncer de mama em Santa Catarina, Brasil. Cad. Saúde Pública, Rio de Janeiro, v. 25, n. 6, p. 1285-1296, jun. 2009.




DOI: https://doi.org/10.34119/bjhrv3n2-173

Refbacks

  • There are currently no refbacks.