Análise dos dados do SINAN sobre dengue nos municípios da Área Metropolitana de Brasília (AMB) / Analysis of SINAN data on dengue in the municipalities of the Metropolitan Area of Brasília (AMB)

Luciana Alves Fernandes, Marília Miranda Forte Gomes

Abstract


O Brasil, mesmo em desenvolvimento econômico, apresenta elevada proporção de morbidades típicas de regiões não desenvolvidas. Dentre essas morbidades, destaca-se a alta incidência da dengue. A dengue é uma doença infecciosa dinâmica, cujo agente etiológico é um arbovírus do gênero Flavivírus, pertencente à família Flaviviridae. A transmissão ao indivíduo ocorre através do vetor Aedes aegypti.  Tendo em vista a problemática desse vetor que pode acarretar outras doenças, esse artigo tem como objetivo analisar os casos de dengue notificados, em 2010, para a Área Metropolitana de Brasília (AMB), a qual compreende o Distrito Federal e doze municípios do estado de Goiás adjacentes. Para o ano de 2010, realizou-se uma análise descritiva das notificações, segundo características demográficas, e aplicação do método direto de padronização por idade, com os recursos da ferramenta Excel.  As taxas de casos notificados foram geoprocessadasno software Quantum GIS. Entre os anos de 2007 a 2012, observou-se que o ano de maior incidência da dengue foi 2010, com 18.327 casos notificados, os quais ocorreram entre aqueles do sexo feminino com idades entre 20 e 39 anos, que declararam raça/cor como preta ou parda e dispunham de escolaridade baixa.


Keywords


Dengue, AMB, SINAN, georreferenciamento.

References


Almeida AS, Medronho RA, Valencia LIO. Análise espacial da dengue e o contexto socioeconômico no município do Rio de Janeiro, RJ. Revista de Saúde Pública, v.43, n. 4. 2009; p. 666-673.

Assis VC. Análise da qualidade das notificações de dengue informadas no SINAN, na epidemia de 2010, em uma cidade polo da Zona da Mata do Estado de Minas Gerais. Juíz de Fora: Universidade Federal de Juiz de Fora; 2013.

Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde. Departamento de Análise de Situação em Saúde. Saúde Brasil 2010: uma análise da situação de saúde e de evidênciasselecionadasimpacto de ações de vigilância em saúde. Brasília: Ministério da Saúde. 2010. p. 167-168.

Brasil. Ministério da Saúde. Fichas de qualificação da RIPSA. 2012. Disponível emhttp://fichas.ripsa.org.br/2012/d-2-3/?l=pt_BR. Acesso em 20 fev. 2015.

Carvalho JAM, Sawyer DO, Rodrigues RN. Introdução a alguns conceitos básicos e medidas em demografia. 2. ed. rev. São Paulo: ABEP; 1994; reimpresso 1998.

Casali CG et al. A epidemia de dengue/dengue hemorrágico no município do Rio de Janeiro, 2001/2002. Revista da Sociedade Brasileira de Medicina Tropical, v.37, n. 4, Julho/Agosto. 2004. p. 296-299.

Catão RC. Dengue no Brasil: abordagem geográfica na escala nacional. São Paulo: Cultura Acadêmica; 2012.

Omran AR. The epidemiologictransition: A theoryoftheepidemiologyofpopulationchange. Milbank Memorial FundQuarterly, v. 49, n. 4. 1971. p. 509- 538.

Panamerican Health Organization. Health conditions in the Américas. Washington: Panamerican Health Organization; 1990.

SINAN. Sistema de Informação de Agravos de Notificação. Disponível em http://dtr2004.saude.gov.br/sinanweb/ Acesso em set. 2014.

Souza SS, Silva IG, Silva HHG. Associação entre incidência de dengue, pluviosidade e densidade larvária de Aedes aegypti, no Estado de Goiás. Revistada Sociedade Brasileira de Medicina Tropical, v. 43, n. 2. 2010. p. 152-155.

Vasconcelos AMN et al. Transição epidemiológica na América Latina: diferentesrealidades. In: Anais do V Congreso de laAsociaciónLatinoamericana de Población,Montevideo, Uruguay, del 23 al 26 de octubre de 2012.

Vasconcelos AMN, Gomes MMF. Transição demográfica: a experiência brasileira. Epidemiologia e Serviços de Saúde, v.21, n.4. 2012. p. 539-548.

Zara ALSA. Avaliação do valor preditivo da suspeita clínica de dengue em períodos epidêmicos no Brasil, 2000 a 2010. Goiânia: Universidade Federal de Goiás; 2012.


Refbacks

  • There are currently no refbacks.