Análise de custo-minimização na profilaxia de tromboembolismo venoso em pacientes hospitalizados / Analysis of cost-minimization in venous thromboembolism prophylaxis in hospitalized patients

Cristoffer da Silva Santana, Edna Amari Shiratsu Takahashi, José Antônio Nascimento Bressa, Adriano Messias de Souza

Abstract


O objetivo desse estudo é descrever o uso de profilaxia com Heparina de Baixo Peso Molecular (HBPM) e fondaparinux em pacientes hospitalizados quanto às doses diárias, custo total da profilaxia no período, além de traçar uma projeção de custos caso fosse utilizado Heparina Não Fracionada (HNF). O estudo é de análise de custo-minimização e foi realizando entre setembro e outubro de 2017, os dados foram coletados do sistema de gestão de farmácia hospitalar. Ao total, 285 pacientes receberam HBPM ou fondaparinux, 51,5% eram mulheres, com média de idade de 61,5 anos. Foram gastos R$ 26.816,39 na profilaxia com HBPM e a especialidade que mais prescreveu a profilaxia foi a cirúrgica. Na projeção de custos, a HNF mostrou ser até 72% menos custosa na profilaxia de tromboembolismo venoso, possibilitando uma economia anual de até R$ 232.000,00.


Keywords


custos e análise de custo; farmacoeconomia; profilaxia; tromboembolismo venoso; serviço de farmácia hospitalar.

References


. Cunha CR. Gastos governamentais com medicamentos nos municípios brasileiros no período de 2009 a 2012. 2014 [Dissertação]. Rio de Janeiro: Escola Nacional de Saúde Pública Sérgio Arouca; 2014.

Geerts WH, Neit JA, Claget GP, Pineo GF, Cowell CW, Anderson FA Jr, Wheller NB. Prevention of deep venous thromboembolism. Chest. 2001; Suppl 119: 132S-175S.

Pitta GBB, Leite TL, Silva MDC, Melo CFL, Calheiros GA. Avaliação da utilização de profilaxia da trombose venosa profunda em um hospital escola. J. vasc. bras. 2007;6( 4 ): 344-351.

Academia Brasileira de Neurologia (Brasil). Tromboembolismo venoso: profilaxia em pacientes clínicos - parte I. Rev. Assoc. Med. Bras. 2009;55(2):102-105.

Tapson VF, Decousus H, Pini M, Chong BH, Froehlich JB, Monreal M, Spyropoulos AC, Merli GJ, Zotz RB, Bergmann JF, Pavanello R, Turpie AG, Nakamura M, Piovella F, Kakkar AK, Spencer FA, Fitzgerald G, Anderson FA Jr. (IMPROVE Investigators). Venous thromboembolism prophylaxis in acutely ill hospitalized medical patients: findings from the International Medical Prevention Registry on Venous Thromboembolism. Chest. 2007;132(3):936–45.

Geerts WH, Bergqvist D, Pineo GF, Heit JA, Samama CM, Lassen MR, Colwell CW. Prevention of venous thromboembolism: American College of Chest Physicians Evidence-Based Clinical Practice Guidelines (8° Ed). Chest. 2008;133(6) suppl:381-435.

Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Ciência, Tecnologia e Insumos Estratégicos. Departamento de Assistência Farmacêutica e Insumos Estratégicos.

Relação Nacional de Medicamentos Essenciais: RENAME 2018 [recurso eletrônico] / Ministério da Saúde, Secretaria de Ciência, Tecnologia e Insumos Estratégicos, Departamento de Assistência Farmacêutica e Insumos Estratégicos. – Brasília: Ministério da Saúde, 2018. 218 p. Acesso em: 27 dez 2018. Disponível em: http://conitec.gov.br/en/rename18

Sociedade Brasileira de Cardiologia. Diretrizes Brasileiras De antiagregantes Plaquetários e anticoagulantes em cardiologia, 2013. Acesso em: 02 jan 2019. Disponível em: < http://publicacoes.cardiol.br/consenso/2013/Diretriz_Antiagregantes_Anticoagulantes.pdf >.

Kahn SR, Lim W, Dunn AS, et al. Prevention of VTE in nonsurgical patients: Antithrombotic Therapy and Prevention of Thrombosis, 9th ed: American College of Chest Physicians Evidence-Based Clinical Practice Guidelines. Chest. 2012;141(2 Suppl): e195S-e226S.

Kearon C, Akl EA, Ornelas J, et al: Antithrombotic therapy for VTE disease: CHEST guideline and expert panel report. Chest 149:315-352, 2016

. Kearon C, Akl EA, Ornelas J, et al. Antithrombotic therapy for VTE disease: CHEST guideline and expert panel report. Chest 2016;149 (2): 315–52.

Fuzinatto F, Waldemar FS, Wajner A, Elias CAA, Fernandez JF, Hopf JLS. Sistema de suporte à decisão clínica para um programa para profilaxia de tromboembolia venosa em um hospital geral de um país de renda média. J Bras Pneumol. 2013;39(2):138-146.

Ministério da Saúde (Brasil). Departamento de Gestão e Incorporação de Tecnologias em Saúde da Secretaria de Ciência, Tecnologia e Insumos Estratégicos – DGITS/SCTIE Comissão Nacional de Incorporação de Tecnologias no SUS (CONITEC) - Relatório n° 59:Heparina de baixo peso molecular em gestantes e puérperas com trombofilia. Brasília: Ministério da Saúde; Jun, 2013.

Junqueira DR, Zorzela LM, Perini E. Unfractionated heparin versus low molecular weight heparins for avoiding heparin‐induced thrombocytopenia in postoperative patients. Cochrane Database of Systematic Reviews 2017, Issue 4. Art. No.: CD007557. DOI: 10.1002/14651858.CD007557.pub3.

Eisenberg JM. Clinical economics: a guide to economic analysis of clinical practices. JAMA. 1989 Nov; 262 (20): 2879-86.

Clexane. [Bula]. Suzano: Sanofi-Aventis Farmacêutica; 2014.

Arixtra. [Bula]. Rio de Janeiro: GlaxoSmithKline Brasil, 2016.

Lopes Bruno Abdala Candido, Teixeira Isabela Pizzatto, Souza Taynara Dantas de Tafarel Jean Rodrigo. Sabemos prescrever profilaxia de tromboembolismo venoso nos pacientes internados? J. vasc. bras. [Internet]. 2017 Sep [Acesso em 27 Abr 2019]; 16(3): 199-204. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1677-54492017000300199&lng=en. Epub Aug 21, 2017. http://dx.doi.org/10.1590/1677-5449.008516.

Sociedade Brasileira de Angiologia e Cirurgia Vascular (Brasil). Grupo de monitorização. Normas de orientação clínica para a prevenção, o diagnóstico e o tratamento da trombose venosa profunda. J Vasc Br. 2005; 4(3) suppl:205-20.

Fundação Hospitalar do Estado de Minas Gerais. Prevenção da Tromboembolia Venosa [Internet]. Belo Horizonte; 2013. Acesso em 07 fev 2018. Disponível em: .




DOI: https://doi.org/10.34119/bjhrv2n6-113

Refbacks

  • There are currently no refbacks.