Medicamentos uterotônicos utilizados em hemorragia puerperal / Uterotonic drugs used in postpartum haemorrhage

Thiago Vinícius de Siqueira, Wendel Simões Fernandes, Simone Aparecida Biazzi de Lapena, Fernanda Malagutti Tomé, Adriano Moraes da Silva, Fernanda Sant’Ana de Siqueira e Oliveira, Hanna Flávia Santana dos Santos, Luiz Carlos da Silva

Abstract


Os medicamentos uterotônicos são fármacos que causam contração uterina e são a primeira linha de escolha no tratamento e prevenção de hemorragia pós-parto. A atonia uterina, quadro onde o útero não consegue manter contrações de forma suficiente, é a principal desencadeadora de hemorragias fatais. Todo hospital e centro obstétrico deve possuir protocolos para o uso de fármacos uterotônicos no pós-parto imediato. O objetivo deste trabalho foi realizar uma revisão bibliográfica sobre os principais medicamentos uterotônicos utilizados na prática obstétrica atualmente. Os dados foram coletados de literaturas e artigos científicospublicados nos últimos 10 anos. Espera-se que o resultado desse trabalho venha a oferecer uma nova fonte de pesquisa para estudantes e profissionais da área da saúde e demonstrar que os fármacos ocitocina, ergometrina e misoprostol são os mais usados atualmente no tratamento e prevenção de hemorragia pós-parto.


Keywords


Uterotônicos; Hemorragia; Atonia; Obstétrica.

References


Organização Mundial da Saúde. Recomendações da OMS para a prevenção e tratamento da hemorragia pós-parto. ed. Geneva: WHO Press; 2014.

Aires MM. Fisiologia, 3ª ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2008. Fisiologia da Reprodução; p. 1165-1168.

Kahhale S, Souza E. Protocolos de obstetrícia: descrição, diagnóstico, tratamento. 1ª ed. São Paulo: Estação W Comunicação; 2012; p. 35-41.

Periard AM et al. Atonia uterina e hemorragia pós-parto. Rev Med Minas Gerais 2011; 21: S1-S143.

Al-Zirqi I et al. Prevalence and risk factors of severe obstetric haemorrhage. BJOG 2008; 115:1265–1272.

Bonomi IA et al. Prevenção e manejo da hemorragia pós-parto. Rev Med Minas Gerais 2012; 22:S1-S173.

Baggieri RAB et al. Hemorragia pós-parto: prevenção e tratamento. Arq Med Hosp Fac Cienc Med Santa Casa, São Paulo. 2011;56(2):96-101.

Arrowsmith S, Kendrick A, Wray S. Drugs acting on the pregnant uterus. Obstetrics, gynaecology and reproductive medicine, 2010; 20(8):241-247.

Practice Bulletin No. 183: Postpartum Hemorrhage. College of Obstetricians and Gynecologists, 2017; 130:168-186.

Hofmeyr GJ, Gulmezoglu AM. Misoprostol for the prevention and treatment of postpartum haemorrhage. Best Pract Res Clin Obstet Gynaecol 2008; 22 (6):1025-1041.

BRASIL. Ministério da Saúde. Protocolo misoprostol, 2012. Disponível em: . Acesso em: 12 agosto 2018.

Oliveira VB, Freitas MSM, Mathias L, Braz-Filho R, Vieira IJC. Atividade biológica e alcalóides indólicos do gênero Aspidosperma (Apocynaceae): uma revisão. Rev. Bras. Pl. Med. 2009; 11:92-99.

Brunton L L. Goodman & Gilman: As Bases Farmacológicas da Terapêutica. 12ª ed. Rio de Janeiro: McGraw-Hill, 2012.

Ergotrate®, maleato de ergometrina. [Bula]. São Paulo: Biolab Sanus Farmacêutica.

Ocitocina. [Bula]. São Paulo: Blau Farmacêutica.

Rang HP, Dale MM, Ritter JM, Flower, RJ, Henderson G. Farmacologia. 7ª ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 2012.

Tsima BM, Madzimbamuto FD, Mash B. Use of oxytocin during Caesarean section at Princess Marina Hospital, Botswana: An audit of clinical practice. African Journal of Primary Health Care & Family Medicine. 2013;5(1):418.

Butwick AJ, Coleman L, Cohen LSE, Riley ET, Carvalho B; Minimum effective bolus dose of oxytocin during elective Caesarean delivery, BJA: British Journal of Anaesthesia, California. 2010; 104: 338-343.

Jonsson M, Hanson U, Lidell C, Nordén-Lindeberg S. ST depression at caesarean section and the relation to oxytocin dose. A randomised controlled trial. BJOG 2010; 117:76-73.

Breathnach F, Geary M. Uterine atony: definition, prevention, nonsurgical management, and uterine tamponade. Semin Perinatol 2009; 33:82–7.

Federação Internacional de Ginecologia e Obstetrícia (FIGO). Tratamento de hemorragia pós-parto com misoprostol. Londres, Reino Unido, 2012.

Federação Internacional de Ginecologia e Obstetrícia (FIGO). Misoprostol sozinhos regimes recomendados. Londres, Reino Unido, 2017.

Hofmeyr GJ, Gülmezoglu AM, Novikova N, Lawrie TA. Postpartum misoprostol for preventing maternal mortality and morbidity. Cochrane Database of Systematic Reviews. In: The Cochrane Library, Issue 7, 2013. Art. No.: CD008982.

Leduc D, Senikas V, Lalonde AB, Clinical Practice Obstetrics Committee: Active management of the third stage of labour: prevention and treatment of postpartum hemorrhage. J Obstet Gynaecol Can. 2009, 31:980-993.

Organização Pan-Americana da Saúde. Recomendações assistenciais para prevenção, diagnóstico e tratamento da hemorragia obstétrica. Brasília: OPAS; 2018.

Weeks A.The prevention and treatment of postpartum haemorrhage: what do we know, and where do we go to next? BJOG 2014; 122:202–212.

Federação Brasileira das Associações de Ginecologia e Obstetrícia. Manual de Orientação Assistência ao Abortamento, Parto e Puerpério. São Paulo, 2010.




DOI: https://doi.org/10.34119/bjhrv2n6-106

Refbacks

  • There are currently no refbacks.