Análise da frequência de micronúcleos em sangue periférico de mães no período Pós-natal/ Frequency analysis of micronuclees in main peripheral blood in the Post Christmas period

Laiane Silva Mororo, Anna Beatriz da Silva de Sousa Melo, Erica Rayanne da Silva Salazar, Ruanna Cardoso Leal, Ana Carla Marques da Costa

Abstract


INTRODUÇÃO: no período pós-gravídico as alterações continuam com a involução de alguns órgãos e ajustes dos níveis hormonais. Junto com as altas dosagens hormonais no corpo materno no período gravídico e pós-gravídico há ainda a grande gama de contaminantes ambientais a que as mães são expostas. Há uma preocupação quanto a exposição materna a agentes mutagênicos durante o desenvolvimento embrionário/fetal e infantil. E essa preocupação se estende ao período pós-gravídico, já que se sabe que o metabolismo materno está a mais tempo em contato com contaminantes ambientais, passou por alterações no sistema imunológico, endócrino e muitas vezes ainda está exposto durante um período de exaustão do funcionamento corporal, na gravidez, a agentes mutagênicos. As alterações do genoma humano geram uma preocupação quanto a adoção de mecanismos de proteção das gerações futuras, tornando os testes genéticos úteis no rastreamento de agentes com potencial mutagênico. O Teste do Micronúcleo permite identificar eventual aumento na frequência de mutação em células que são expostas a uma gama variada de agentes genotóxicos, através da identificação de expressões dos danos no cromossomo como micronúcleos (MN). OBJETIVO: Analisar através do Teste de Micronúcleo a instabilidade genômica em sangue periférico de mães no período pós-natal, mães que tiveram alta frequência de células micronucleadas em sangue de cordão umbilical coletado na hora do parto. METODOLOGIA: Pesquisa com procedimento experimental, estudo prospectivo, abordagem quantitativa e objetivo exploratório. O trabalho tem como critérios para seleção amostral: Critério de inclusão - Lactantes que foram atendidas na Maternidade Carmosina Coutinho no parto; Mães que participaram da pesquisa anterior; Mães com idade igual ou maior que 18 anos; Critérios de exclusão - Lactantes psicologicamente instáveis; Lactantes que sua criança tenha vindo a óbito. Após identificação de respeito aos critérios de seleção o trabalho procedeu com as etapas, aplicação de formulário pré-formulado, procedimento de coleta sanguínea, armazenamento de amostras, preparação das lâminas (fixação  com metanol 100% por 10 minutos, coloração com Leishman puro por 3 minutos e Leishman diluído na proporção de 6:1 de água destilada) e analise microscópica (Teste do Micronúcleo - )  RESULTADOS E DISCUSSÃO: A amostra do estudo conta até agora com 5 participantes, sendo 100% provenientes da zona urbana da cidade. Os resultados do perfil materno apontaram idades heterogêneas das mães na amostra do estudo, a idade variou entre 20 a 31 anos, com uma média de 25,2 anos. Com relação ao estado civil, 40% (2) das participantes apresentavam estado civil casada, 40% (2) solteiras e 20% (1) estava em união estável. Sobre a escolaridade das mães, observou-se que todas tinham o 2º grau, 40% (2) das participantes tinham 2º grau completo, 20% (1) tinha 3º grau incompleto e 40% (2) superior completo. No referente a ocupação, as participantes não ocupavam cargos com exposição evidentes a agentes de riscos para formação de micronúcleos, na amostra as profissões foram: do lar 40% (2); recepcionista 20% (2) e professora 40% (2). O que não remeteu um risco-ocupacional, mas que não descarta exposição a agentes em outros locais ocupados e outras condições ambientais. Na variável antecedentes familiar com câncer 20% (1) da amostra apresentavam histórico de neoplasia na família. As mães participantes da pesquisa atual entram em trabalho de parto, em média com 40 semanas de idade gestacional, e houve prevalência de partos vaginais na amostra. Atualmente as lactantes apresentaram 7 a 11 meses de período pós-gravídico. No que diz respeito a ao número de gestações 20% (2) participantes tiveram duas gestações, 20% (1) teve uma gestação e 40% (2) das participantes já tiveram 3 gestações. A multiparidade pode ser fator de risco para o câncer de colo uterino, mas nos demais canceres essa associação ainda não é comprovada e não a evidências de que a gravidez ofereça danos cromossômicos, porém há diminuição do sistema imunológico e maior proliferação celular que podem alterar a ativação de genes reguladores da proliferação celular e reparo   Na análise microscópica o número médio de células micronucleadas foi de 4,4 células micronucleadas em 2000 células normocromáticas. E o número médio de micronúcleos em nossa amostra foi de 7,2 (em 5 amostras). CONSIDERAÇÕES PARCIAIS: O estudo até o presente momento conseguiu detectar persistência de micronúcleos no sangue periférico das mães participantes da pesquisa e seus possíveis fatores ocasionadores. As variáveis exposicionais e as frequências ainda encontradas na nova amostra, apontam uma necessidade de avaliação continua da frequência de micronucleação celular.


Keywords


Genotoxicidade; Exposição materna; Sangue periférico.

References


ARREBOLA, D. F. A., FERNÁNDEZ, L. A. R., FERNÁNDEZ, Y. E. S. Ensayo de micronúcleos transplacentarios en roedores, uma buena opción en toxicología experimental. Nova scientia vol.3 no.6 León oct. 2011. Acessado em: 24 de nov de 2017. Disponível em:

FENECH, M. et al. The Human Micronucleus Project – na international collaborative study on the use of the micronucleus technique for measuring DNA damage in humans. Mutat Res, v.428, p. 271-283, 1999. Acessado em: 23 de nov de 2017. Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/10517999

MÁRQUEZ, M. E. F. et al. Detección Del dano genotoxico agudo y crónico en umna población de laboratoristas ocupacionalmente expuestos. Latreia, v. 18, n. 1, p. 275-282, 2005. Acessado em: 24 de nov de 2017. Disponível em:

Ministério da Saúde (BR). Adolescer compreender atuar acolher. Projeto Acolher. Brasília (DF): ABEn; 2001.

KOZU KT, GODINHO LT, MUNIZ MVF, Chiarioni P. Mortalidade infantil: causas e fatores de risco-um estudo bibliográfico. Homepage do Medstudents [on-line] 2006. Disponível em:

ANDERSEN AMN, WOHLFAHRT J, CHRISTENS P, OLSEN J, MELBYE M. Maternal age and fetal loss: population based register linkage study. Br Med J 2000;320:1708-12

HILL Z, KIRKWOOD BR, EDMOND K. Family and community practices that promote child survival, growth and development: a review of the evidence. Geneva: World Health Organization; 2004.

TAMEZ-GONZÁLEZ S, VALLE-ARCOS RI, EIBENSCHUTZHARTMAN C, MÉNDEZ-R. I. Adaptación del modelo de Andersen al contexto mexicano: acceso a la atención prenatal. Salud Publica Mex. 2006;48(5):418- 29. DOI:10.1590/S0036-36342006000500008.

TITALEY CR, HUNTER CL, HEYWOOD P, DIBLEY MJ. Why don’t some women attend antenatal and postnatal care services?: a qualitative study of community members’ perspectives in Garut, Sukabumi and Ciamis districts of West Java Province, Indonesia. BMC Pregnancy Childbirth. 2010;10:61. DOI:10.1186/1471-2393-10-61.

FLORES, M.; YAMAGUCHI, M.U. Teste de micronúcleo: uma triagem para avaliação genotóxica, Revista Saúde e Pesquisa, v.1, n.3, p. 337-340, 2008. Disponível em: https://www.periodicos.unicesumar.edu.br/index.php/saudpesq/article/view/907

EL-YAMANI, N. Daño genético en madres y en sus recién nacidos : factores moduladores. 2012. 240 f. Tese (Departament de Genètica i de Microbiologia) - Universitat Autònoma de Barcelona, Barcelona/2012. Disponível em: www.ub.edu/genetica/.

HEDDLE, J. A., HITE, M., KIRKHAT, B., MAVOURNIN, K., MAC GREGOR, J. T., NEWELL, G. W. and SALAMONE, M. F. (1983). The inducion of micronuclei as a measure of genotoxicity. A Reporto of U. S. Environmental Protection Agency Gerle-Tox Program. Mutation Res., 123: 61-188. Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/6888413.

BRASIL. MINISTÉRIO DA SAÚDE. Plano de ações estratégicas. Acessado em 27 de junho de 2012. Disponível em: http://portal.saude.gov.br/portal/arquivos/pdf/plano_acoes_estrategicas20x20_25julho.pdf

ARENCIBIA, D.F., ROSARIO, L.A., MORFFI, J., CURVECO. D. Desarrollo y estandarización de la técnica en tres ensayos de genotoxicidad. Retel 2009; 25(3):22-38. Disponível em: www.sertox.com.ar/img/item_full/35002.pdf.

BARBOSA, I. M. S. S. Quantificação de micronúcleos em linfócitos de pacientes expostas à radiação gama para a avaliação da dose absorvida. 2003. 86 f. Dissertação (Departamento de Energia Nuclear) – Universidade Federal de Pernambuco, Recife/Per. 2003. Disponível em: https://www.revistas.facbrasil.edu.br/cadernossaude/index.php/saude/article/viewFile/164/162

HAYASHI, M., TICE, R.R., MACGREGOR, J.T., ANDERSON, D. In Vivo, Rodent Erythrocyte Micronucleus Assay. Mutation Res 1994; 312(2):293-304. Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/7514741

MONGELLI M., C.C. Wang, C.C. Pange, M.S. Rogers. 1997. Oxygen free radical activity in the second stage of labor. Acta Obstet. Gynecol. Scand., 76:765-768.

GINSBERG G., D. HATTIS, B. SONAWANE, A. RUSS, P. NBANATI, M. KOZLAK, S. SMOLENSKI, et al. 2002. Evaluation of child/adult pharmacokinetic differences from a database derived from the therapeutic drug literature. Toxicol. Sci.,66: 185-200.




DOI: https://doi.org/10.34119/bjhrv2n6-079

Refbacks

  • There are currently no refbacks.