A importância da transculturalidade na assistência ao paciente crítico / The importance of transculturality in critical patient care

Haroldo Gonçalves de Jesus, Hector Lourinho da Silva, Breno Augusto Silva Duarte, Ivonete Vieira Pereira Peixoto

Abstract


Trata-se de uma pesquisa de revisão bibliográfica descritiva com análise qualitativa. Possui como finalidade relatar a relevância da transculturalidade na assistência ao paciente crítico, tornando o conhecimento da teoria e da prática profissional culturalmente embasados, conceituados e planejados. Atualmente entendemos que para promovermos a saúde, não devemos nos limitar aos conceitos de prevenção, diagnóstico, tratamento e reabilitação. É importante conhecermos o contexto cultural, os valores, as crenças, os rituais e o modo de vida do indivíduo e de suas famílias, com isso aplicaremos de fato uma assistência holística que atenda os princípios doutrinados pelo Sistema Único de Saúde fomentando uma abordagem diferenciada ao processo de saúde e doença. Os ambientes de cuidados em Unidades de Terapia Intensiva precisam ser acolhedores, integradores e estimuladores para todos os envolvidos no processo de cuidado e/ou sob o cuidado. O conhecimento transcultural é importante para os enfermeiros para que possam se tornar sensíveis às necessidades apresentadas de várias culturas, especialmente na nossa sociedade cada vez mais global e complexa.

Keywords


Cuidados de Enfermagem; Unidades de Terapia Intensiva, Enfermagem Transcultural.

References


Leininger M. Culture care theory: a major contribution to advance transcultural nursing know-ledge and practices. J Trans Nurs. 2002;13(3):189.

Backes MTS, Backes DS, Erdmann AL. Relações e interações no ambiente de cuidados em Unidade de Terapia Intensiva. São Paulo: Acta paul. enferm. 2012; 25(5).

Alves AR et al. Saúde e doença: uma abordagem sócio cultural. In: Silva YF, Franco MC. Saúde e doença: uma abordagem cultural da enfermagem. Florianópolis (SC): Papa Livro; 1996.

Maffasioli C, Kammler NN. Cuidado humanizado na unidade de terapia intensiva adulto. Centro Universitário FEEVALE. 2009. Disponível em:. Acesso em 01 maio 2019.

Ordem dos Enfermeiros. Um novo modelo de desenvolvimento profissional. Certificações de competências e individualização de especialidades em enfermagem. Supl Rev. 2007; 26:9-20.

Squassante ND, Alvim NAT. Relação equipe de enfermagem e acompanhantes de clientes hospitalizados: implicações para o cuidado. Brasília: Rev Bras Enferm. 2009; 62(1): 11-7.

Goulart BNG, Chiari BM. Humanização das práticas do profissional de saúde - contribuições para reflexão. Rio de Janeiro: Ciênc. saúde coletiva. 2010; 15(1).

Ramos N. Comunicação, cultura e interculturalidade: para uma comunicação intercultural. Rev Port Pedag. 2001;35(2):155-78.




DOI: https://doi.org/10.34119/bjhrv2n6-068

Refbacks

  • There are currently no refbacks.