Utilização do Brief Medication Questionnaire na avaliação da adesão de pacientes iniciantes em terapia antirretroviral / Utilization of the Brief Medication Questionnaire in the evaluation of the adherence of iniatiang patients in antiretroviral therapy

Patrícia de Oliveira França, Igor Magalhães Sales, Mateus Fregona Pezzin

Abstract


A adesão é um processo dinâmico e multifatorial que abrange aspectos físicos, psicológicos, sociais, culturais. Para detectar as dificuldades de adesão, os profissionais precisam de ferramentas precisas, práticas e clinicamente relevantes. Diante da falta de um recurso padronizado e específico para o HIV verificou-se a necessidade de testar ferramentas para estimar a adesão de pacientes em uso da terapia antirretroviral (TARV). Os instrumentos de autorrelato em forma de questionários são comumente utilizados, dentre estes, o Brief Medication Questionnaire (BMQ), é um questionário breve e fácil de usar, e tem capacidade de detectar diferentes tipos de não adesão, sendo dividido em três grupos de perguntas, denominados “regime”, “crença” e “recordação”. Avaliou-se a efetividade do instrumento BMQ, aplicando-o em um grupo de pacientes recém-iniciados em TARV no ano de 2017, nos primeiros seis meses de tratamento, associando a retirada de medicamentos e a carga viral. Ao avaliar o desempenho do questionário BMQ associado à adesão pela retirada na farmácia, constatou-se que 56,5% dos pacientes foram classificados como prováveis aderentes, e 47,1% foram realmente aderentes levando em consideração a porcentagem de retirada de medicamentos. O BMQ mostra-se importante no monitoramento da adesão deste grupo de pacientes, contudo é necessário associá-lo a outras medidas para que seja realmente efetivo, uma vez que a adesão à TARV é uma questão complexa e não está ligada somente a efeitos indesejáveis, mas a dificuldade da introdução da terapêutica na vida individual e social do paciente, e o peso da representatividade do medicamento na vida do indivíduo.


Keywords


Adesão ao tratamento, Terapia antirretroviral, Autorrelato.

References


BRASIL. Ministério da Saúde. Departamento de DST, Aids e Hepatites Virais (DST/AIDS/HV): Portal sobre aids, doenças sexualmente transmissíveis e hepatites virais. Boletim Epidemiológico 2017. Disponível em: . Acesso em: 17 de maio de 2018a.

BRASIL: MINISTÉRIO DA SAÚDE. Disponível em: < http://www.aids.gov.br/pt-br/publico-geral/o-que-e-hiv/tratamento-para-o-hiv>. Acesso em: 17 de maio de 2018b.

BRASIL: MINISTÉRIO DA SAÚDE. Protocolo clínico e diretrizes terapêuticas para manejo da infecção pelo HIV em adultos. Protocolo Clínico e Diretrizes Terapêuticas para Manejo da Infecção pelo HIV em Adultos, 2017. Disponível em: < http://www.aids.gov.br/pt-br/pub/2013/protocolo-clinico-e-diretrizes-terapeuticas-para-manejo-da-infeccao-pelo-hiv-em-adultos>. Acesso em: 17 de maio de 2018c.

BEN, Angela Jornada; NEUMANN, Cristina Rolim; MENGUE, Sotero Serrate. Teste de Morisky-Green e Brief Medication Questionnaire para avaliar adesão a medicamentos. Revista de Saúde Pública, v. 46, p. 279-289, 2012.

CRAMER, Joyce A. et al. How often is medication taken as prescribed?: a novel assessment technique. Jama, v. 261, n. 22, p. 3273-3277, 1989.

DE LOURDES DRACHLER, Maria et al. The scale of self-efficacy expectations of adherence to antiretroviral treatment: a tool for identifying risk for non-adherence to treatment for HIV. PloS one, v. 11, n. 2, p. e0147443, 2016.

DOURADO, Inês et al. Tendências da epidemia de Aids no Brasil após a terapia anti-retroviral. Revista de Saúde Pública, v. 40, p. 9-17, 2006.

GALVÃO, Jane. Brazilian policy for the distribution and production of antiretroviral drugs: a privilege or a right?. Cadernos de saude publica, v. 18, n. 1, p. 213-219, 2002.

GARBIN, Cléa Adas Saliba; GATTO, Renata Colturato Joaquim; GARBIN, Artênio José Isper. Adesão à terapia antirretroviral em pacientes HIV soropositivos no Brasil: uma revisão da literatura. Archives of Health Investigation, v. 6, n. 2, 2017.

ISTILLI, Plinio Tadeu. Adesão ao agente antidiabético oral de pessoas com Diabetes mellitus: uso do Brief Medication Questionnaire. 2014.Tese de Doutorado. Universidade de São Paulo.

JACQUES, Iracema de Jesus Almeida Alves et al. Avaliação da Adesão à Terapia Antirretroviral entre Pacientes em Atendimento Ambulatorial. Revista Brasileira de Ciências da Saúde, v. 18, n. 4, p. 303-308, 2015.

KRAMER, Andréa Sebben et al. Alterações metabólicas, terapia antirretroviral e doença cardiovascular em idosos portadores de HIV. Arquivos brasileiros de cardiologia. São Paulo. Vol. 93, n. 5 (nov. 2009), p. 561-568, 2009.

LEITE, Silvana Nair; VASCONCELLOS, Maria da Penha Costa. Adesão à terapêutica medicamentosa: elementos para a discussão de conceitos e pressupostos adotados na literatura. Ciência & Saúde Coletiva, v. 8, p. 775-782, 2003.

MANAVI, Kaveh. A review on infection with human immunodeficiency virus. Best Practice & Research Clinical Obstetrics & Gynaecology, v. 20, n. 6, p. 923-940, 2006.

OIGMAN, Wille. Métodos de avaliação da adesão ao tratamento anti-hipertensivo. Rev Bras Hipertens, v. 13, n. 1, p. 30-4, 2006.

PASCHOAL, Eduardo Pereira et al. Adherence to antiretroviral therapy and its representations for people living with HIV/AIDS. Escola Anna Nery, v. 18, n. 1, p. 32-40, 2014.

PINTO, Isaac; FIGUEIREDO, Alessandra. Fatores que Influenciam na Adesão e Não-Adesão ao Tratamento Antiretroviral por Pessoas Vivendo com HIV/AIDS: uma Revisão da Literatura Científica Produzida no Brasil entre 2010-2017. In: Cuba Salud 2018. 2018.

POLEJACK, Larissa; SEIDL, Eliane Maria Fleury. Monitoramento e avaliação da adesão ao tratamento antirretroviral para HIV/aids: desafios e possibilidades. Ciência & Saúde Coletiva, v. 15, p. 1201-1208, 2010.

SICLOM GERENCIAL. Disponível em: < http://azt.aids.gov.br/>. Acesso em: 11 nov. 2018

TAVARES, Noemia Urruth Leão et al. Fatores associados à baixa adesão ao tratamento farmacológico de doenças crônicas no Brasil. Rev. Saúde Pública, v. 50, n. suppl 2, p. -, 2016.

TAVARES, Noemia Urruth Leao et al. Fatores associados à baixa adesão ao tratamento medicamentoso em idosos. Revista de Saúde Pública, v. 47, p.1092-1101, 2013.




DOI: https://doi.org/10.34119/bjhrv2n6-027

Refbacks

  • There are currently no refbacks.