Perfil dos doadores de sangue de primeira vez de um serviço de hemoterapia / Profile of first time blood donors from a hemotherapy service

Alcínia Braga de Lima Arruda, Francisca Vânia Barreto Aguiar Ferreira, Jéssica Sales Araújo de Albuquerque, Yago Mota Gondim, Amanda Aparecida de Lima Arruda

Abstract


A doação de sangue é um ato solidário, altruísta com significado ímpar para quem necessita de uma transfusão. É cada vez mais crescente a demanda por sangue e hemocomponentes, em contrapartida o número de doações nem sempre é capaz de suprir a necessidade, levando a um baixo suprimento do estoque nos hemocentros e emergente necessidade de novos candidatos à doação e fidelização de doadores. Os objetivos desse trabalho foram analisar a frequência e as características dos doadores de primeira vez, quanto ao gênero, idade e tipo sanguíneo ABO-Rh. O presente estudo teve caráter retrospectivo, descritivo com abordagem quantitativa, envolvendo análise de dados de candidatos à doação de sangue de primeira vez da Hemorrede cearense, no período de janeiro a dezembro de 2017. Os dados foram coletados a partir de relatórios fornecidos pelo setor de Tecnologia da Informação e Comunicação (TIC) do HEMOCE. A pesquisa foi aprovada pelo comitê de ética sob o parecer de número 2.876.390. A análise dos dados de todos os municípios mostrou que os doadores revelaram-se predominantemente do gênero feminino, com idade média de primeira doação menor que 30 anos, com a prevalência de doações espontâneas em mais que 95% dos casos. Em relação ao tipo sanguíneo ABO, foi verificada uma maioria do tipo sanguíneo O (50,83%), sendo o fator Rh positivo em 89,83% da população.

 


Keywords


Doação de sangue. Perfil. Doadores de primeira vez.

References


ARAÚJO, F. M. R. et al. Doadores de sangue de primeira vez e comportamento de retorno no hemocentro público do Recife. Rev. Bras. Hematol. Hemoter. v.32, n.5, p.384-390, 2010.

BEIGUELMAN, B. Os Sistemas Sanguíneos Eritrocitários. Ribeirão Preto, SP: FUNPEC Editora, 3a Edição, 2003. 234p.

BORGES-OSÓRIO, M. R.; ROBINSON, W. M. Genética Humana. 2 ed., Porto Alegre, Artmed Editora, 459p, 2001.

BRASIL. Lei nº 7.649, de 25 de janeiro de 1988. Estabelece a obrigatoriedade do cadastramento dos doadores de sangue bem como a realização de exames laboratoriais no sangue coletado, visando a prevenir a propagação de doenças, e dá outras providências. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, Brasília, DF, 27 jan. 1988. Disponível em: . Acesso em 28 jul. 2018.

BRASIL. Agência Nacional de Vigilância Sanitária - ANVISA. Programa nacional de doação voluntária de Sangue. Brasília, DF, 2002. 8p. Disponível em: http://portal.anvisa.gov.br.

BRASIL. Agência Nacional de Vigilância Sanitária - ANVISA. Pesquisa revela o perfil de doadores e não-doadores de sangue. Notícias da Anvisa. Brasília, 11 jan. 2006. Disponível em: http://portal.anvisa.gov.br/publicacoes.

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção a Saúde. Departamento de Atenção Especializada e Temática. Manual de orientações para promoção da doação voluntária de sangue / Ministério da Saúde, Secretaria de Atenção a Saúde. Departamento de Atenção Especializada e Temática. – 1. ed., 1. reimpr. – Brasília: Ministério da Saúde, 2015. 152 p.

BRASIL. Agência Nacional de Vigilância Sanitária - ANVISA. 5º Boletim de Produção Hemoterápica – Hemoprod 2016. Brasília, 2018.

DANTAS, L. et al. Perfil dos doadores de sangue do hemocentro público de Natal/ RN. Rev. Pesqui. Cuid. Fundam. (Online), v.5, n.1, p. 3523-3530, 2013.

OMS; OPAS. América Latina e Caribe estão quase na metade do caminho de alcançar 100% de doadores voluntários de sangue, Brasília, 10 junho 2016. Disponível em: https://www.paho.org/bra/index.php?option=com_content&view=article&id=5149:americalatina-e-caribe-estao-quase-na-metade-do-caminho-de-alcancar-100percent-de-doadorevoluntario s-de-sangue&Itemid=838>. Acesso em: 16 jun. 2018.

PRÓ-SANGUE- HEMOCENTRO DE SÃO PAULO. Requisitos básicos para a doação de sangue. São Paulo, 2014. Disponível em : Acesso em: 20 abr. 2018.

RODRIGUEZ, D. M. Prevalência de marcadores sorológicos no banco de sangue de Caxias do Sul, RS. Rev. Pan. Infectol. v.10, n. 3, p.32-35, 2008.

SANTOS, M.C.; MACEDO, L.C. Prevalência e perfil de doadores de sangue realizadas pelo hemonúcleo de Campo Mourão-PR. Revista Saúde e Pesquisa, v. 6, n. 1, p. 8-12, 2013.

SANTOS et al. Frequência da classificação sanguínea na unidade de coleta e transfusão "Dr. Marcio Curvo de Lima" polo de Rondonópolis, Mato Grosso em 2015. Biodiversidade. v.16, n.3, p. 105-2017 -

SILVA, A.E.F.A. A representação da doação de sangue em Juiz de Fora: interfaces entre assessoria de imprensa, jornalismo local e cidadãos. 2013. 254p. Dissertação (Mestrado em Comunicação) – Faculdade de Comunicação Social, Universidade Federal de Juiz de Fora, Minas Gerais, Juiz de Fora, 2013.

SILVA, R.A. et al. Estudo genético-populacional entre estudantes do Centro Universitário de Rondonópolis – UFMT, segundo as respostas de suas hemácias aos antissoros anti-A, anti-B e anti-RH. Rev. Biodiv. Bras. v. 13, n. 1, p. 105-116– 165, 2014.

SILVA, J. M. S.; CAMARÃO, G.C. Fenotipagem eritrocitária em doadores de sangue no HEMOPI - PI (Teresina - Picos) e no hemocentro regional do Crato - CE. 2016. 71 f Dissertação (Mestrado em Farmacologia)- Faculdade de Medicina, Universidade Federal do Ceará, Fortaleza, 2016.




DOI: https://doi.org/10.34119/bjhrv2n6-020

Refbacks

  • There are currently no refbacks.