Estudo do hemograma de idosos institucionalizados / Study of the blood count of institutionalized eldery

Alcínia Braga de Lima Arruda, Jessilane Bruna Aires Praciano, Nara Ádila Santos Viana, Nathalia Moreira Távora, Francisco Ildelano da Costa Silva, Carmelinda do Nascimento Silva, Adriano Evangelista Maia, Jamille de Oliveira Gomes, Ana Vládia da Costa Dias, Dilailson Carlos Costa Júnior, Antônio Eduardo Castro Barros, Glautemberg de Almeida Viana

Abstract


Com o aumento da expectativa de vida, o número de idosos vem crescendo com o passar dos anos e para atender a esse público, intuições de abrigo vem surgindo.  Junto com a idade, muitas patologias aparecem, umas delas é a anemia, sendo esta conceituada como a diminuição de hemoglobina nas hemácias, levando a sérios riscos à saúde, como a fadiga e a tontura. Os objetivos desse trabalho foram determinar o perfil epidemiológico e hematológico nos idosos de uma instituição de longa permanência em Fortaleza/CE, avaliar a frequência de anemia entre os idosos e comparar com a literatura pesquisada. Foi realizado um estudo descritivo e retrospectivo com abordagem quantitativa para se chegar a um perfil epidemiológico e hematológico dos idosos do lar institucional. Foram analisados os dados dos idosos, através da avaliação dos prontuários dos mesmos e os resultados obtidos foram analisados estatisticamente empregando o programa EpiInfoTM versão for Windows 3.5.1. Dos 93 idosos estudados, com relação ao perfil epidemiológico, observou-se que: a maioria dos idosos era mulheres (54,8%), possuíam idade acima de 81 anos (49,5%), eram solteiros (19,4%), eram analfabetos (46,2%), eram naturais do interior do Ceará (61,3%), possuíam renda proveniente de aposentadoria (2,7%), se encontravam a menos de 5 anos residindo no abrigo (49,5%), eram fumantes ou ex-fumantes (39,8%) e 50,5% nunca tinha ingerido bebidas alcoólicas. Com relação ao perfil hematológico, verificou-se que dos idosos estudados, a maioria tinha número de hemácias (53,2%), hematócrito (40,4%) e dosagem de hemoglobina (53,2%) baixos; índices hematimétricos (VCM, HCM, CHCM), contagem de leucócitos e plaquetas normais (85,1%, 72,3%, 74,5%, 76,6%, 85,1%, respectivamente) e possuía elevada frequência de anemia (53,2%). A taxa de anemia neste trabalho é preocupante, pois está associada com o aumento da incapacidade, morbidade e mortalidade senil.

 

 


Keywords


Idosos. Instituição de Longa Permanência. Anemia.

References


ALÇA, L. R. R.; TIBÉRIO, D.; SANTOS, M. T. B. R. Estudo dos Componentes do Hemograma em Pacientes Geriátricos. Pesquisa Brasileira em Odontopediatria e Clínica Integrada, v. 5, n. 3, p. 261-266, 2005.

ANDRADE, A. R. N. Aspetos hematológicos do envelhecimento : anemia fisiológica, patológica , ou ambas. 2012. Monografia (2o Ciclo de Estudos Conducente do Mestrado em Análises Clínicas) – Faculdade de Farmácia,Unversidade do Porto, Porto, 2012.

ARTZ A. S. et al. Prevalence of anemia in skilled-nursing home residents. Arch Gerontol Geriatr, v. 39, n. 3, p. 20-6, 2004.

BARBOSA, D. L. Anemia em idosos do programa de saúde da família do município de Camaragibe-PE. 2006. Dissertação (Mestrado em Nutrição) – Centro de Ciências da Saúde, Universidade Federal de Pernambuco, Recife, 2006.

BARBOSA, D.L.; ARRUDA, I.K.G.; DINIZ, A.S. Prevalência e caracterização da anemia em idosos do Programa Saúde da Família, Camaragibe-PE, Revista Brasileira de Hematologia e Hemoterapia, v. 28. n.4. p. 288-292, 2006.

BEGHÉ, C.; WILSON, A.; ERSHLER, W. B. Prevalence and outcomes of anemia in geriatrics: a systematic review of the literature. The American journal of medicine, v. 116, n. 7, p. 3-10, 2004.

CALDAS, C. P. Contribuindo para a construção da rede de cuidados: trabalhando com a família do idoso portador de síndrome demencial. Textos Envelhecimento. v. 4, n. 8, p. 39-56, 2002.

CANÇADO, R.D.; CHIATTONE, C. S. Anemia ferropênica no adulto: causas, diagnóstico e tratamento. Rev. Bras. Hematol. Hemoter., São Paulo, v. 32, n. 3, 2010.

CANÇADO, R.D; CHIATTONE, C.S. Anemia de doença crônica. Revista Brasileira Hematologia e Hemoterapia, v. 24, n. 2, p. 127-136, 2002.

CARMO, H. O. et al. Idoso institucionalizado: o que sente, percebe e deseja. Revista Brasileira de Ciências do Envelhecimento Humano, v. 9, n. 3, p. 330–340, 2013.

CASTRO, S. D. DE; PRUDENTE, C. O. M. Perfil sócio-demográfico, mental e funcional de idosos institucionalizados da cidade de Caldas Novas. Revista Eletrônica Saúde e Ciência, v. 1, n. 1, p. 78-102, 2011.

CLIQUET, M. G. Anemia no idoso. Rev Bras Med, v. 67, n. 4, p. 89- 96, 2010.

CORRÊA, M. et al. Prevalência das anemias em pacientes hospitalizados. Arquivos catarinenses de medicina, v. 33, n. 1, p. 36–41, 2004.

COSTA, E.D.; SOARES, M.C.; CUNHA, C, O. Prevalência e caracterização da anemia em idosos atendidos em um centro médico no interior de Sergipe. Nutr. Clin. Diet. Hosp. v.36, n.4, p. 65-72, 2016.

COUSER, W.G.; REMUZZI, G.; MENDIS, S.; TONELLI, M. The contribution of chronic kidney disease to the global burden of major noncommunicable diseases. Kidney Int. v.80, p.1258-70, 2011.

FELICIANO, A. B.; MORAES, S. A.; FREITAS, I. C. M. O perfil do idoso de baixa renda no Município de São Carlos , São Paulo , Brasil : um estudo epidemiológico. Caderno de Saúde Pública, v. 20, n. 6, p. 1575–1585, 2004.

FERRUCCI, L. et al. Low testosterone levels and the risk of anemia in older men and women. Arch Intern Med, v. 166, p.1380-8, 2006.

FLORIANI, C. A.; SCHURAMM, F. R. Atendimento domiciliar ao idoso: problema ou solidão? Caderno Saúde Pública. v. 20, n. 4, 2004.

GUALANDRO, S. F. M.; HOJAIJ, N. H. S. L.; FILHO, W. J. Deficiência de ferro no idoso. Revista Brasileira de Hematologia e Hemoterapia, v. 32, n. 2, p. 57–61, 2010.

LORENZI, Therezinha Ferreira. Manual de Hematologia: Propedêutica e Clínica. 4. ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2004. 196-294 p.

MANSANO-SCHLOSSER, T.C. et al. Idosos institucionalizados: organização cronológica das rotinas diárias e qualidade do sono. Rev Bras Enferm. v.67, n.4, p.610-616, 2014.

MEANS, R.T.JR. Advances in the anemia of chronic disease. Int. J. Hematol. v. 70, p.7-12, 1999.

MELO, I. A. F. Perfil das instituições de longa permanência para idosos no Estado de Alagoas no período de 2007 a 2008. Epidemiol. Serv. Saúde. v.20 n.1, p.75-83, 2011.

MESSORA, L. B. Perfil dos idosos em instituições asilares de três municípios do sul de Minas Gerais. 2006. 40 p. Monografia (Especialização em Atenção Farmacêutica) – Faculdade de Farmácia, Unversidade Federal de Alfenas, Alfenas, 2006.

MILAGRES, C. S. et al. Prevalência e fatores associados à presença de anemia em idosos do município de Viçosa/MG. Ciência & Saúde Coletiva, v. 20, n. 12, p. 3733-3741, 2015.

NEKEL, J. C. Anemia carencial em idosos por deficiência de ferro, ácido fólico e vitamina B12. 2013. 23 p. Monografia (Especialização em Hematologia Laboratorial) – Centro de Ciências da Vida, Universidade Regional do Noroeste do Estado do Rio Grande do Sul, Ijuí, 2013.

NOVAES, M. R. C. G.; OLIVEIRA, M. P. F. DE. Perfil socioeconômico, epidemiológico e farmacoterapêutico de idosos institucionalizados de Brasília. Ciência & Saúde Coletiva, v. 18, n. 4, p. 1069-1078, 2013.

NUNES, A. DE C.; OLIVEIRA, L. C. DE; WAGNER, R. Identificação de anemia por carência de ferro em idosos residentes em instituições de amparo de Curitiba e região metropolitana. Caderno da Escola de Saúde, v. 1, n. 5, p. 1–5, 2014.

PELEGRIN, A. et al. Idosos de uma instituição de longa permanência de Ribeirão Preto : níveis de capacidade funcional. Arquivos de Ciências da Saúde, v. 15, n. 4, p. 182–188, 2008.

PRICE, E.; SCHRIER, S. Anemia in the elderly: introduction. Seminars in hematology, v.45, n.4, p. 207-209, 2008.

ROBINSON, B. et al. Prevalence of anemia in the nursing home: contribution of chronic kidney disease. Journal of the American Geriatrics Society. v. 55, n. 10, p. 1566-1570, 2007.

SILVA, C.L.A. et al. Anemia e nível de hemoglobina como fatores prognósticos da mortalidade entre idosos residentes na comunidade: evidências da Coorte de Idosos de Bambuí, Minas Gerais, Brasil. Caderno de Saúde Pública. v. 29, n. 11, p. 2241-2250, 2013.

SILVEIRA, L.; NADER, M. B. Envelhecimento e gênero: construções sociais que orientam práticas violentas. Anais do XVI Encontro Regional de História da Anpuh Rio: Saberes e Práticas Científicas., n. 1, p. 1–9, 2014.

SOUSA, N.D.S. Prevalência de anemia e fatores associados em idosos. 2015. Dissertação (Mestrado em Saúde Pública) – Centro de Ciências Biológicas e da Saúde, Unversidade Estadual da Paraíba, Campina Grande, 2015.

TONELLI, M.; RIELLA, M. Doença renal crônica e o envelhecimento da população. Jornal Brasileiro de Nefrologia. v. 36, n. 1, p. 1-5, 2014.

VIANA, N.A. Perfil epidemiológico e frequência de anemia em mulheres idosas de uma Instituição de Longa Permanência em Fortaleza/CE. 2016. 59f. Monografia (Graduação em Farmácia) – Faculdade de Farmácia, Odontologia e Enfermagem, Universidade Federal do Ceará, Fortaleza, 2016.

WHO. World Health Organization. Haemoglobin concentrations for the diagnosis of anaemia and assessment of severity. Switzerland: Department of Nutrition for Health and Development (NHD), 2011. Disponível em:

YI-CHUN, H.; JING, C.; MIN, L.; WEIDONG, L.; YANHUA, Y.; LICHEN, Y.; RUI, W.; JIANHUA, P. Study on the anemia status of Chinese urban residents in 2010-2012. Journal of Preventive Medicine, v. 50, n. 3, p. 213-216, 2016.

ZAGO, M.A.; FALCÃO, R.P.; PASQUINI, R. Hematologia: Fundamentos e Prática. 1. ed. Rio de Janeiro: Atheneu, 2001. 20-43 p.




DOI: https://doi.org/10.34119/bjhrv2n6-014

Refbacks

  • There are currently no refbacks.