Perfil epidemiológico da unidade de AVC em um hospital de ensino / Epidemiological profile of the stroke unit in a teaching hospital

Rúbia Gabriela da Silva, Daniel Leonardo Cobo, Marcos Henrique Dall´ Aglio Foss, Monique Ellen do Vale, Simone Cavenaghi

Abstract


Introdução: O acidente vascular cerebral é uma disfunção neurológica causada por obstrução ou ruptura de vasos sanguíneos que provoca paralisia no lado onde não há circulação sanguínea.Existem dois tipos de acidente vascular cerebral, classificado como isquêmico (AVCi) e hemorrágico (AVCh). Objetivo: Traçar o perfil epidemiológico de pacientes internados em uma Unidade de AVC de um Hospital Escola. Método: Foram analisados 1.845 prontuários de pacientes internados na unidade de AVC do Hospital de Base de São Jose do Rio Preto – SP, destes 1.547 prontuários eletrônicos foram selecionados e utilizados neste presente estudo. As análises estatísticas foram obtidas pelo software SPSS Statistics (versão 23) e pela ferramenta Excel (versão 2.016). Para testar se as amostras utilizou-se, o Teste de Komolgorov-Smirnov, e para a análise das correlações entre as variáveis, o Teste Correlação de Spearman. Todos os testes foram considerados com nível de significância (p) <0,05. Resultados: O AVC isquêmico representa 87,39%, tem prevalência de 46,28% em idosos com idade acima de 70 anos, 56,04% são do sexo masculino, 69,04% possuem Hipertensão Arterial Sistêmica e 59,41% possuem alguma comorbidade. Conclusão: O Acidente Vascular Cerebral (AVC) do tipo isquêmico, é encontrado com maior frequência do que Ataque Isquêmico Transitório (AIT) e ou Acidente Vascular Cerebral hemorrágico (AVCh), ambos acometem com maior incidência indivíduos do sexo masculino, com idade acima de 70 anos, grande parte dos indivíduos acometidos por AVC apresentam patologias associadas. A melhor forma de tratamento do AVC, ainda é a prevenção.

 

 


Keywords


Acidente Vascular Cerebral, Unidade do AVC, Epidemiologia.

References


HANAUER, L. et al. Comparação da severidade do déficit neurológico de pacientes com acidente vascular cerebral isquêmico agudo submetidos ou não à terapia trombolítica. Fisioterapia Pesquisa, 2018; 25(2): 217-223.

LIMA, F.D. Avaliação da sarcopenia e déficits motores no lado ipsilateral em pacientes com infartos cerebrais unilaterais: implicações prognósticas na reabilitação. 2017: 12-14.

YOSHIDA, H.M.; BARREIRA, J.; FERNANDES, P.T. Habilidade motora, sintomas depressivos e função cognitiva em pacientes pós-AVC. Fisioterapia Pesquisa. 2019; 26(1): 9-14.

MACÊDO, J.L.C. de et al. Influência da realidade virtual no equilíbrio de pacientes hemiparéticos pós-ave. Braz. J. Hea. Rev., Curitiba, 2020; 3(4): 10674-10684.

MINISTÉRIO DA SAÙDE. AVC: O que é, causas, sintomas, tratamento, diagnóstico e prevenção, disponível em: , acesso 30/04/2020.

ANDERLE, P.; ROCKENBACH, S.P.; GOULART, B.N.G. Reabilitação pós-AVC: Identificação de sinais e sintomas fonoaudiológicos por enfermeiros e médicos da Atenção Primária à Saúde. CoDAS, 2019; 31(2): 1-7.

GASPARI, A.P. et al. Preditores de internação prolongada em unidade de Acidente Vascular Cerebral (AVC). Latino-Americana, 2019; 27(1): 3197-3201.

SCHMIDT, M.H. et al. Acidente vascular cerebral e diferentes limitações: Uma análise interdisciplinar. Arq. Ciênc. Saúde UNIPAR, Umuarama, 2019; 23(2): 139-144.

MEDEIROS, C.S.P. et al. Comprometimento motor e risco de quedas em pacientes pós-acidente vascular encefálico. R. Bras. Ci e Mov, 2019; 27(1): 42-49.

LIMA, R.J. et al. Capacidade funcional e apoio social de pessoas acometidas por acidente vascular encefálico. Rev Bras enferm, 2019; 72(4): 917-923.

OUYANG, M. et al. Quantifying regional variations in components of acute stroke unit (ASU) care in the international HeadPoST study. Journal of the Neurological Sciences, 2020; 419: 1-6.

ROUSHDY, T. et al. Stroke Patients’ Status Post-Acute Phase of Illness. How Is It and How Ought It to Be: Ain Shams University Experience. Journal of Stroke and Cerebrovascular Diseases, 2019; 28: 1-6.

BENFICA, P.A. et al. Força muscular e habilidade de locomoção em indivíduos pós-acidente vascular encefálico crônico. Fisioterapia Pesquisa, 2019; 26(2): 158-163.

SOARES, B.R. et al. A Realidade virtual na reabilitação do paciente com sequelas de acidente vascular encefálico: revisão sistemática. Research, Society and Development, 2020; 9(8): 1-20.

DABILGOU, A.A. et al. Frequency and Mortality Risk Factors of Acute Ischemic Stroke in Emergency Department in Burkina Faso. Stroke Research and Treatment, 2020; 2020: 1-7.

RUDOLPH, A.G. et al. Predicting length of stay in patients admitted to stroke rehabilitation with severe and moderate levels of functional impairments. Medicine, 2020; 99(43): 1-11.




DOI: https://doi.org/10.34119/bjhrv4n5-298

Refbacks

  • There are currently no refbacks.