Craniofaringioma adamantinomatoso: relato de caso / Adamantinomatous craniopharyngioma: case report

Gabriela de Souza Campos, Gabriel Martins Araujo, Gabriella Rodrigues Cascão, Karine Nunes Moreira, Sarah Rocha Stabile do Patrocínio, Beatriz Curto Pachi, Amanda Laina Santos Porto, Murilo Santos Guimarães, Gabriel Henrique Ciriaco Ferreira, Aline Cardoso Marciano, Ana Carolina Gomes Barroso Ferreira Mattos, Anna Paula de Oliveira Simiema

Abstract


Craniofaringioma adamantinomatoso se refere a um tumor epitelial benigno encontrado no ducto craniofaríngeo a partir de suas células escamosas. É incidente sobre crianças e jovens de até 20 anos, sendo mais prevalente na infância. O diagnóstico por vezes é tardio, por ser um tumor de crescimento lento. A sintomatologia relacionada pode ser dividida em 3 grupos principais: alterações visuais, distúrbios endocrinológicos e cefaleia acompanhada de hipertensão intracraniana. A gravidade dos sintomas é determinada pela localização, tamanho e crescimento tumorais. O caso relatado abordará os aspectos fisiopatológicos, clínicos, diagnósticos e terapêuticos  de um paciente, de 14 anos de idade, sexo masculino, natural e procedente de Goiânia, Goiás, em acompanhamento desde os 12 anos com o pediatra devido a deficiência de hormônio do crescimento. Relatou-se quadros de cefaléia intensa, distúrbios visuais e, mais recente, déficits de memória. A solicitação da tomografia computadorizada (TC) e da ressonância magnética (RM) confirmou o diagnóstico de Craniofaringioma Adamantinomatoso. Desse modo, o craniofaringioma adamantinomatoso consiste, portanto, em uma patologia rara e, em sua maioria, possui caráter benigno e pode levar a manifestações tardias devido a sua evolução arrastada. O diagnóstico específico é dado por meio de exame de imagem solicitado após a suspeita clínica. Para estabelecer o tratamento correto deve-se observar a localização e os impactos de cada intervenção avaliando as particularidades de cada paciente.

 

 


Keywords


craniofaringioma, tumor, adamantinomatoso.

References


-BORDALLO, M. A. N. Atualização terapêutica no tratamento dos craniofaringiomas. 20/10/2011 [acesso em 16 de maio de 2021]; disponível em: https://www.scielo.br/pdf/abem/v55n8/04.pdf

-CANI, C. M. G. Analise da expressão dos genes PROP1 e CTNNB1 em craniofaringiomas adamantinomatosos com e sem mutação somática no CTNNB1. [Trabalho final de doutorado]. Faculdade de medicina da Universidade de São Paulo. São Paulo, 2010. Acesso em 16/05/2021. Disponível em: https://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/5/5135/tde-20122010-103438/publico/CarolinaMariaGomesCani.pdf

-MIGUEL, C. M. F. A. Craniofaringioma, obesidade hipotalâmica e suas limitações terapêuticas [Trabalho Final do Mestrado]. Clínica Universitária de Pediatria - Hospital de Santa Maria - CHLN; Lisboa, 2016. Acesso em 16/05/2021. Disponível em:https://repositorio.ul.pt/bitstream/10451/26518/1/CristianaMAMiguel.pdf

-VIEIRA, Felipe Reynan Paiva Vieira Santos et al. PERFIL CLÍNICO E RADIOLÓGICO DE CRIANÇAS COM DIAGNÓSTICO DE CRANIOFARINGIOMA. Revista Brasileira de Neurologia e Psiquiatria, v. 24, n. 1, 2020. Disponível em: https://revneuropsiq.com.br/rbnp/article/view/546

-LIRA, Henrique Igor Gomes et al. Avaliação clínica e de imagem de pacientes pediátricos submetidos a tratamento cirúrgico de craniofaringiomas. 2018. Disponível em: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/332462

-NAVARRO, Juliano Nery et al. Tratamento intracístico de craniofaringioma com interferon alfa: relato de caso. Arquivos Brasileiros de Neurocirurgia: Brazilian Neurosurgery, v. 34, n. 02, p. 170-173, 2015. Disponível em: https://pdfs.semanticscholar.org/cf80/108b8f2bb1a1b6809835e66a4cdc212114a2.pdf

-DAMA, Elisa; GARRÈ, Maria Luisa. Epidemiological aspects of craniopharyngioma. Journal of pediatric endocrinology & metabolism, v. 19, p. 289-293, 2006.

- MÜLLER, Hermann L. et al. Post-operative hypothalamic lesions and obesity in childhood craniopharyngioma: results of the multinational prospective trial KRANIOPHARYNGEOM 2000 after 3-year follow-up. European journal of endocrinology, v. 165, n. 1, p. 17-24, 2011.

-MÜLLER, Hermann L. Craniopharyngioma. Endocrine reviews, v. 35, n. 3, p. 513-543, 2014

-GOMES, Carollina Bernardes; ALVES, Karla. Diagnóstico de craniofaringioma através da tomografia computadorizada e ressonância magnética. UNILUS Ensino e Pesquisa, v. 11, n. 23, p. 17-23, 2014.

-GARCÍA-QUINTANILLA, Francisco et al. Tumor hipofisiario detectado prenatalmente. Ginecología y obstetricia de México, v. 79, n. 04, p. 225-229, 2011.

- VARLOTTO, John et al. Multi-modality management of craniopharyngioma: a review of various treatments and their outcomes. Neuro-oncology practice, v. 3, n. 3, p. 173-187, 2016.




DOI: https://doi.org/10.34119/bjhrv4n5-257

Refbacks

  • There are currently no refbacks.