A Automedicação e o Uso da Melatonina: Revisão Integrativa da Literatura / Self-Medication and the Use Of Melatonin: Integrative Literature Review

Arisson Raiol Silva, Darley Maciel da Silva, Ivan Costa Gomes, Antonio Taylon Aguiar Gomes

Abstract


Dormir é o modo como o organismo se recupera do cansaço provocado pelas atividades diárias, restaurando a energia do corpo e, em particular, a do cérebro e do restante do sistema nervoso. Por conta do estilo moderno, muitas pessoas têm sofrido com distúrbios do sono. Diversos medicamentos hipnóticos vêm sendo utilizados para regularização do sono, porém a melatonina é um hormônio produzido naturalmente pelo organismo, sendo importante na prevenção de doenças. Sendo assim, este trabalho teve como objetivo investigar com base em evidências científicas os riscos e benefícios provenientes do uso da melatonina. Este estudo caracteriza-se com uma revisão integrativa de literatura (RIL), coletando dados da SCIELO, LILACS e Google Acadêmico, através dos descritores “melatonina”, “melatonin”, “automedicação”, “self medication” e “assistência farmacêutica”, “pharmaceutical services”. Foram incluídos artigos, teses e dissertações, publicados entre 2014 e 2021. Identificaram-se 1.025 publicações e após os critérios adotados, foram selecionados 15 estudos incluídos na revisão. Concluiu-se que a dosagem de melatonina recomendada varia entre 0,1mg a 50mg; possui baixa toxicidade e poucos efeitos adversos; pode ser utilizada como coadjuvante no tratamento da depressão, diabetes e Covid-19, apresentando-se como antioxidante, anti-inflamatório, melhora a hiperglicemia e pode ainda, aumentar o sistema imunológico contra infecções virais. Sugere-se o farmacêutico como profissional indispensável na prevenção da prática da automedicação, orientando e promovendo educação em saúde à sociedade.


Keywords


Melatonina, Automedicação, Assistência Farmacêutica.

References


ALMEIDA JUNIOR, S; KAIRALA, R. C. O. M; PEREIRA, A. G; COSTA, G. B; CRUZ, R. C. R; SOUZA JUNIOR, J. R. Covid-19 e a infecção por Sars-CoV-2 em um panorama geral. Brazilian Journal of Health Review, v. 3, n. 2, p. 3508-3522, 2020.

AMERICAN DIABETES ASSOCIATION - ADA. Standards of medical care in diabetes. Diabetes Care, v. 40, n.1, 142 p., 2017.

AMIN, A. H; EL-MISSIRY, M. A; OTHMAN, A. I. A melatonina melhora os fatores de risco metabólicos, modula a apoptose proteínas e protege o coração do rato contra a apoptose induzida por diabetes. European Journal of Pharmacology, v. 15, n. 747, p. 166-173, 2014.

ARBEX, M.A. Agonistas da melatonina no tratamento da insônia e da depressão. Jornal Brasileiro de Pneumologia, v. 36, n. 5, p. 641-656, 2014.

ASIF, N; IQBAL, R; NAZIR, C. F. Human immune system during sleep. American Journal of Clinical and Experimental Immunology, v. 6, n. 6, p. 92-96, 2017.

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA PARA ESTUDO DA OBESIDADE E DA SÍNDROME METABÓLICA – ABESO. Falta de melatonina causa obesidade e diabetes. 2015. Disponível em: https://abeso.org.br/falta-de-melatonina-causa-obesidade-e-diabetes-diz-pesquisa/#:~:text=compartilhar%3A,Falta%20de%20melatonina%20causa%20obesidade%20e%20diabetes%2C%20diz%20pesquisa,eles%20diabetes%2C%20hipertens%C3%A3o%20e%20obesidade. Acesso em 26 de abril de 2021.

BAPTISTA, M. G. P; FERREIRA, C. G. M; ALBUQUERQUE, Y. M. L; ASSUNÇÃO, C. G. D; ALVES, R. C; TEIXEIRA, V. W; TEIXEIRA, A. A. C. Histomorfométrico e imunohistoquímico avaliação do córtex cerebral frontal em ratos diabéticos após o tratamento com melatonina. Pesquisa Veterinária Brasileira, v. 40, n. 12, p. 1077-1087, 2020.

BARON, S. A; DEVAUX, C; COLSON, P; RAOULT, D; ROLAIN, J. M. Teicoplanin: an alternative drug for the treatment of COVID-19? International Journal of Antimicrobial Agents, v. 55, n. 4, p. 1-2, 2020.

BOTAS, F. M. C. O papel da melatonina. 2014. 68 f. Dissertação (Mestrado em Ciências Farmacêuticas). Instituto Superior de Ciências da Saúde Egas Moniz, Almada, Portugal, 2014.

BRASIL. Ministério da Saúde. Resolução nº 466, de 12 dezembro de 2012: Aprova as diretrizes e normas regulamentadoras de pesquisas envolvendo seres humanos. Disponíveem:https://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/cns/2013/res0466_12_12_2012.html. Acesso em 3 de maio de 2021.

CAO, M. D. B; WANG, Y; WEN, D; LIU, W; WANG, J. et al. A Trial of Lopinavir–Ritonavir in Adults Hospitalized with Severe Covid-19. The New England Journal of Medicine, v. 382, n. 19, p. 1787-1799, 2020.

CARVALHO, A. M. R. O papel do farmacêutico na dispensa de suplementos alimentares e dispositivos médicos na farmácia comunitária em Portugal e no Brasil. 2016. 40 f. Dissertação (Mestrado em Ciências Farmacêuticas). Faculdade de Farmácia, Universidade de Coimbra, 2016.

COSTA, R. M; MARTINS, I. S. Melatonina na insônia primária: quais as evidências? Revista Brasileira de Medicina de Família e Comunidade, v. 11, n. 38, p. 1-9, 2016.

EMBRAFARMA. Melatonina. 2017. Disponível em: https://dermomanipulacoes.vteximg.com.br/arquivos/Melatonina.pdf. Acesso em 3 de maio de 2021.

FERNANDES, W. S; CEMBRANELLI, J. C. Automedicação e o uso racional de medicamentos: o papel do profissional farmacêutico no combate a essas práticas. Revista UNIVAP, v. 21, n. 37, p. 5-10, 2015.

FERREIRA, R. L; TERRA JUNIOR, A. T. Estudo sobre a automedicação, o uso irracional de medicamentos e o papel do farmacêutico na sua prevenção. Revista da Faculdade de Educação e Meio Ambiente, v.9, edição especial, p. 570-576, 2018.

FRANKE, S. S. R; BARBIAN, C. D; SILVA, P. T; BURGOS, M. S. A interdisciplinaridade na promoção da saúde para diferentes grupos populacionais. – Santa Cruz do Sul: EDUNISC, 2017.

GALATO, D.; MADALENA, J.; PEREIRA, G. B. Automedicação em estudantes universitários: a influência da área de formação. Ciência e Saúde Coletiva, v. 17, n. 12, p. 3323-3330, 2012.

GLANZMANN, R; MOREIRA, L. F; MARQUES, S. A; SILVA, K. C; SOARES, V. C. G. O uso da melatonina como indutor do sono: uma revisão bibliográfica. Revista Uningá, v. 56, n. 1, p. 157-167, 2019.

JARDIM-PERASSI, B. V. Avaliação da angiogênese em resposta ao tratamento com melatonina no câncer de mama: estudo in vitro e in vivo. 2014.

LAUDON, M; MARON, A. F. Efeitos terapêuticos dos agonistas do receptor de melatonina no sono e comorbidades. Jornal Internacional de Ciências Moleculares, v. 15, p. 15924-15950, 2014.

MALTA, D.C. et al. Doenças crônicas não transmissíveis e a utilização de serviços de saúde: análise da Pesquisa Nacional de Saúde no Brasil. Revista de Saúde Pública, v. 51, n.1, p. 1-10, 2017.

MARELLI, S; CASTELNUOVO, A; SOMMA, A; CASTRONOVO, V; MOMBELLI, S; BOTTONI, D; LEITNER, C et al. Impact of COVID-19 lockdown on sleep quality in university students and administration staff. Journal of Neurology, v. 268, n. 1, p. 8-15, 2020.

MARTINS, E. Impactos econômicos da pandemia da covid-19. Roraima: Editora EduFRR, 2020.

MONTEIRO, L. M. M. Os receptores da melatonina como novos alvos de fármacos antidepressivos. 2014. 66 f. Dissertação (Mestrado em Ciências Farmacêuticas). Universidade Fernando Pessoa, Porto, 2014.

MORALES, A. J. R; OSPINA, J. A. C; OCAMPO, E. G; PENA, R. V; RIVERA, Y. H et al. Clinical, laboratory and imaging features of COVID-19: A systematic review and meta-analysis. Travel Medicine and Infectious Disease, v. 34, p. 1-13, 2020.

NERI, J. V. D; TESTON, A. P. M; ARAUJO, D. C. M. Uso de ansiolíticos e antidepressivos por acadêmicos da área de saúde: uma revisão bibliográfica. Brazilian Journal of Development, v. 6, n. 10, p. 75673-75686, 2020.

NEVES, G. S. M. L; MACEDO, P; GOMES, M. M. Transtornos do sono: atualização (1/2). Revista Brasileira de Neurologia, v. 53, n. 2, p. 19-30, 2017.

NORONHA JUNIOR, M. A. G; BRAGA, Y. A; MARQUES, T. G; SILVA, R. T; VIEIRA, S. D; COELHO, V. A. F; GOBIRA, T. A. A; REGAZZONI, L. A. A. Depressão em estudantes de medicina. Revista de Medicina de Minas Gerais, v. 25, n. 4, p. 562-567, 2015.

ORGANIZAÇÃO MUNDIAL DA SAÚDE – OMS. Iniciativa para reduzir erros de medicação. 2017. Disponível em: https://www.paho.org/bra/index.php?option=com_content&view=article&id=5547:opas-oms-apresenta-em-foz-do-iguacu-iniciativa-para-reduzir-erros-de-medicacao-nos-paises&Itemid=838. Acesso em 6 de abril de 2021.

PAPAIOANNOU, V.E; SERTARIDOU, E.N; CHOUVARDA, I.G; KOLIOS, G.C; PNEUMATIKOS, I.N. Determining rhythmicity and determinism of temperature curves in septic and non-septic critically ill patients through chronobiological and recurrence quantification analysis: a pilot study. Intensive Care Medicine Experimental, v. 7, n. 1, p. 1-16, 2019.

PEREIRA, M. S. Pandemia: os riscos da automedicação e os cuidados com a saúde. Universidade de Santa Catarina do Sul, 2020. Disponível em: https://www.unisc.br/pt/noticias/pandemia-os-riscos-da-automedicacao-e-os-cuidados-com-a-saude. Acesso em 6 de abril de 2021.

PIZUTTI, L. T. Abordagens inovadoras em sintomas depressivos: a importância da melatonina e de uma intervenção baseada em mindfluness. 2019. 73 f. Tese (Doutorado em Psiquiatria e Ciências do Comportamento). Programa de pós-graduação em psiquiatria e ciências do comportamento, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2019.

PRADO, R; SALIM, M. A. A; BRAVIM, B. Anestesia local e geral na prática odontológica. – 1. ed. – Rio de Janeiro: Rubio, 2014.

RANG, H. P; RITTER, J. M; FLOWER, R. J; HENDERSON, G. Farmacologia. – 8. ed. – Rio de Janeiro: Elsevier, 2016.

RODRIGUES, P; DANIELE, R; CRISTINA, C; FERNANDO, L; SANTOS, R; CHADA, E; SOARES, M. Ação da melatonina no tecido cartilaginoso. Reprodução & Climatério, v. 8, n. 1, p. 24–29, 2014.

SILVA JUNIOR, P. R; CABRAL, H. R; GOMES, A. L. O. R; TEÓFILO, P. B. E; OLIVEIRA, T. K. B. Melatonina exógena e seus efeitos metabólicos: revisão da literatura. Anais da Faculdade de Medicina de Olinda, v. 1, n. 3, p. 45-48, 2019.

SOCIEDADE BRASILEIRA DE DIABETES - SBD. Diretrizes da Sociedade Brasileira de Diabetes (2015-2016). - São Paulo: A.C. Farmacêutica, 2016.

SOUZA, J. M. E; LAZZARETTI, C. Depressão: implicações do sistema de Melatonina e tratamento com Agomelatina: uma revisão de literatura. Revista Saúde e Desenvolvimento Humano, v. 9, n. 1, p. 1-7, 2021.

SOUZA, M. T; SILVA, M. D; CARVALHO, R. Revisão integrativa: o que é e como fazer. Einstein, v. 8, n. 1, p. 102-106, 2010.

STRABELLI, T. M. V; UIP, D. E. COvid-19 e o coração. Sociedade Brasileira de Cardiologia, v. 114, n. 4, p. 598-600, 2020.

VAINER, A. M; ROCHA, V. S; JUVENALE, M. Melatonina e sistema imune: uma relação com duas vias regulatórias. Brazilian Journal of Health Review, v. 4, n. 1, p. 2906-2929, 2021.

VITÓRIO, R. M. P. Impacto da privação do sono em humanos - terapêutica e abordagem farmacêutica. 2017. 52 f. Dissertação (Mestrado em Ciências Farmacêuticas). Faculdade de Farmácia, Universidade de Coimbra, 2017.

WIT, E; DOREMALEN, N. V; FALZARANO, D; MUNSTER, V. J. Sars and mers: recente insights into emerging coronaviruses. Nature Reviews, v. 14, p. 523-534, 2016.

XAVIER, M. S; TERRA, M. G; SILVA, C. T; MOSTARDEIRO, S.C.T. S; SILVA, A.

A; FREITAS, F. F. O significado da utilização de psicofármacos para indivíduos com transtorno mental em acompanhamento ambulatorial. Escola Anna Nery Revista de Enfermagem, v. 18, n. 2, p. 323-329, 2014.

ZHANG, R; WANG, X; LENG, N; XIAO, D; BAITAO, M; SHUAI, N; CHANGWEI, L; REITER, R. J. Covid-19: melatonina como um potencial tratamento adjuvante. Revista Ciências da Vida, v. 250, p. 1-6, 2020.




DOI: https://doi.org/10.34119/bjhrv4n5-235

Refbacks

  • There are currently no refbacks.