Relato de caso: neuroblastoma em criança manifestando-se com quadro sugestivo de apendicite aguda / Case report: neuroblastoma in a child manifesting as acute appendicitis

Pedro Dias Duarte, Bárbara Queiroz de Figueiredo, Aod Duarte Júnior

Abstract


O neuroblastoma é o tumor sólido extracraniano, característico do sistema nervoso simpático, mais comum na infância. Se origina das células da crista neural e exibe uma variedade de características morfológicas e funcionais que resultam em um espectro histológico característico de tumores. Relatar o caso de um paciente, de 2 anos de idade, que foi diagnosticado com neuroblastoma que, no entanto, apresentou um quadro aparentemente de apendicite aguda. Trata-se de um estudo de caso clínico com perspectiva qualitativa e descritiva, que consiste em uma pesquisa em que, em geral, ocorre com coleta direta de dados, cujo o pesquisador é o instrumento indispensável. O paciente chegou ao pronto socorro referindo dor abdominal intensa e febre há 5 dias. Ao exame físico, apresentava regular estado geral, estava hipocorado, desidratado, taquicárdico, com abdome plano e doloroso à palpação profunda de fossa ilíaca direita e esquerda, com sinal de Blumberg duvidoso e descompressão brusca negativa. À suspeita de apendicite, foi realizada apendicectomia. No entanto, dias depois, apresentou plaquetopenia, presença de rajas de sangue e piora na palpação da fossa ilíaca esquerda e direita, vômitos e constipação. A proteína-C reativa (PCR) elevada, tinha deformidade craniana, edema facial ainda presente, exoftalmia e blefarohmatose direita. Aos achados clínicos, tomográficos e histológicos, foi dado o diagnóstico de neuroblastoma. O estadiamento clínico preciso e a avaliação de risco com base em critérios clínicos, cirúrgicos, biológicos e patológicos são de importância fundamental na atribuição de prognóstico e no planejamento de abordagens de tratamento eficazes.


Keywords


Neuroblastoma, Sistema nervoso simpático, Pediatria, Clínica, Diagnóstico.

References


ACKERMANN, S., et al. Uma classificação mecanística de fenótipos clínicos em neuroblastoma. Science, v. 362, n. 6419, p. 1165-1170, 2018.

AHMED, A. A., et al. Neuroblastoma em crianças: atualização sobre fatores prognósticos clínico-patológicos e genéticos. Oncology, v. 34, n. 3, p. 165-185, 2017.

BROUDER, G. M., et al. Neuroblastoma. In: Pizzo PA, Poplack BG, ed. Princípios e Prática de Oncologia Pediátrica, 5ª ed. Filadélfia, p. 933-870, 2006.

COHN, S. L., et al. Sistema de classificação do International Neuroblastoma Risk Group (INRG): Um relatório da Força-Tarefa do INRG . J. Clin. Oncol., v. 2, n. 1, p. 289-297, 2009.

COOK, N. M., et al. Uso de medicação materna e neuroblastoma na prole. Am J Epidemiol., v. 159, n. 7, 2004.

GROUZMANN, E., et al. Best Pract Res Clin Endocrinol Metab., v. 27, n. 1, p. 713-723, 2013.

HARDER, T., et al. Peso ao nascer e risco de neuroblastoma: uma meta-análise. Int J Epidemiol., v. 39, n. 1, 2010.

HERO, B., et al. RNs infantis localizados frequentemente apresentam regressão espontânea: resultados dos estudos prospectivos NB95-S e NB97. J Clin Oncol., v. 26, n.1, p. 1504-1510, 2008.

MARIS, J. M., et al. Neuroblastoma. Lancet, v. 369, n. 1, p. 2106-2120, 2007.

MOLENAAR, J. J., et al. O sequenciamento do neuroblastoma identifica a cromotripsia e defeitos nos genes da neuritogênese. Nature, v. 483, n. 1, 589-593, 2012.

NAQIB, Z., et al. Neuroblastoma em crianças sauditas: uma experiência de centro único (2006-2014). J Cancer Ther., v. 6, n. 1, p. 896-905, 2015.

PARK, J. R., et al. Neuroblastoma: biologia, prognóstico e tratamento. Hematol Oncol Clin North Am., v. 24, n.1, p. 65-86, 2010.

PEUCHMAUR, M., et al. Revisão da Classificação Internacional de Patologia do Neuroblastoma: confirmação de subconjuntos de prognóstico favorável e desfavorável no ganglioneu-roblastoma nodular. Câncer, v. 98, n. 1, p. 2274-2281, 2003.

SANO, H., et al. A classificação internacional da patologia do neuroblastoma adiciona informações prognósticas independentes além da contribuição prognóstica da idade. Eur J Cancer., v. 42, n. 1, p. 1113-1119, 2006.




DOI: https://doi.org/10.34119/bjhrv4n5-149

Refbacks

  • There are currently no refbacks.