Parada cardiorrespiratória na gestação: uma revisão de literatura / Cardiopulmonary arrest in pregnancy: a review of the literature

Matheus Vinícius Fernandes Santos, Victor Hugo Côrtes Soares, Alessandra da Silva Barbosa, Fernanda Pereira Pippi, Francisco de Sousa Monteles Araújo Júnior, Lucas de Souza Campos, Nathália Silva Araujo, William José do Carmo Netto

Abstract


A parada cardiorrespiratória (PCR) na gestação é um evento incomum, porém catastrófico. A sobrevivência é baixa e associada à sequelas. As modificações fisiológicas da gestação alteram as necessidades do organismo materno e tornam mais difícil a reanimação cardiopulmonar (RCP). As medidas gerais de abordagem da PCR baseiam-se em uma sequência de ações definidas por protocolos e consensos, as quais devem ser adotadas de imediato após o reconhecimento da ausência de pulso e respiração. Contudo, em “situações especiais”, como no caso de gestantes, deve-se fazer alterações nas condutas habituais. Ademais, deve-se pensar no feto, considerando portando a cesárea de emergência, a qual propicia melhor prognóstico para a mãe e a criança. Identificar na literatura pesquisas que apontem as principais etiologias responsáveis pela PCR gestacional, assim como, as melhores condutas de RCP nas gestantes. Realizou-se um levantamento bibliográfico, onde foram selecionados 9 artigos utilizando os descritores: parada cardiorrespiratória, ressuscitação cardiopulmonar e gestação, nos bancos de dados MEDLINE, LILACS e SciELO, referente ao período de 2008 a 2017, com o intuito de selecionar artigos atualizados sobre o tema. De acordo com os estudos as principais etiologias de PCR gestacional são trauma e embolia pulmonar. As condutas variam conforme as semanas de gestação, observa-se que antes da 24ª semana, os objetivos da RCP são destinados a sobrevivência materna, entre 24 e 32 semanas a conduta baseia-se em toracotomia e massagem cardíaca, seguida de parto cesáreo, caso manobras anteriores falhem, e após 32 semanas o parto cesáreo de emergência é efetivo, pois o esvaziar uterino descomprime a aorta seguida de um melhor retorno venoso. Espera-se resposta terapêutica favorável frente a: RCP com deslocamento uterino para esquerda e elevação de 15-30° em relação a superfície, seguida de intubação, administração de epinefrina e a cesárea emergencial. Os autores ratificam que o desfecho final da mãe e do feto dependem do treinamento contínuo da equipe frente a estas emergências. Os mesmos priorizam que as atitudes sejam tomadas de acordo com a idade gestacional e que os socorristas devem se atentar ao deslocamento uterino e a posição da paciente durante a RCP. Além disso, a abordagem do assunto serve como fonte de informação para análise de estratégias de ensino na área de saúde e elaboração de meios para o enfrentamento de mortes por PCR.

 


Keywords


Parada cardiorrespiratória, ressuscitação cardiopulmonar e gestação

References


BRAGA, A. et al. Colapso Materno- Conduta da Parada Cardíaca na Gravidez. Femina. v. 40, n. 4. 2012.

CAMPANHARO, V. C. R et al. Ressuscitação Cardiopulmonar na Gestação: Uma Revisão Integrativa. Arquivos Brasileiros de Ciência da Saúde. v. 41, n. 3. P. 181-187. 2016

CARVALHO, R. A.; FONSECA, N. M.; RUZI, R. A. Parada Cardíaca na Gestação. Revista Médica de Minas Gerais. V.19, n.4, p. 63-67. 2009.

JEEJEEBHOY, F. M. et al. Management of Cardiac Arrest in Pregnancy: a systematic review. Ressuscitation. v. 82; n.7. p. 807-809. 2011.

KATZ, V.; BALDERSTON, K.; DEFREEST, M. Perimortem Cesarean Delivery: Were our Assumptions Correct? American Journal of Obstetrics & Gynecology. v. 192, n. 6, p. 1920-1921. 2005.

MALLAMPALLI, A.; POWNER, D. J.; GARDNER, M. O. Cardiopulmonary Resuscitation and Somatic Support of the Pregnant Patient. Critical Care Clinics. v. 20, n. 4, p. 747-761. 2004.

MORRIS, S.; STACEY, M. Resuscitation in Pregnancy.Clinical Revil. v.327, p. 1277-1279. 2003.

RUDRA, A, et al. Amniotic Fluid Embolism. Indian Journal of Critical Care Medicine. v. 13, n. 3, p. 129-135. 2009.

SANT’ANA, L. F. et al. Ressuscitação cardiopulmonar na gravidez. Revista Médica de Minas Gerais. V. 20, p. 60-63. 2010.

SOSKIN, P. N.; YU, J. Resuscitation Of The Pregnant Patient. Emergency Medicine Clínics. v.37, n.2, p. 351-363. 2019.

WIBLE, E. F.; KASS, J. S.; LOPEZ, G. A. A Report Of Fetal Demise During Therapeutic Hypothermia After Cardiac Arrest. Journal Neurocrit Care. v. 13, n. 2, p. 239-242. 2010.




DOI: https://doi.org/10.34119/bjhrv4n5-133

Refbacks

  • There are currently no refbacks.