Relação do consumo de alimentos com o estado nutricional e a síndrome metabólica em idosos / Relationship of food consumption with nutritional status and metabolic syndrome in elderly

Andressa Baumhardt da Silva, Fernanda Scherer Adami, Djeise Joana Kunzler, Franciele Cordeiro Machado Wermann, Indiara Letícia Soares, Juliana Paula Bruch Bertani, Patricia Fassina

Abstract


Este estudo objetivou avaliar a relação do estado nutricional e síndrome metabólica (SM) com o consumo dos alimentos de idosos atendidos em um Ambulatório de Nutrição do Vale do Taquari, Rio Grande do Sul. Estudo quantitativo de corte transversal, realizado com 64 idosos atendidos pelo Sistema Único de Saúde em um ambulatório de nutrição. Verificou-se no Prontuário Eletrônico do Paciente (PEP), via sistema Tasy® os dados referentes ao primeiro recordatório alimentar de 24 horas registrado para avaliar os alimentos processados, ultraprocessados, sódio e potássio. Além dos dados de idade, sexo, da primeira avaliação de peso, altura, Índice de Massa Corporal, circunferência abdominal (CA) e circunferência do pescoço (CP), diagnóstico de Hipertensão Arterial Sistêmica (HAS), Diabetes Mellitus tipo 2 (DM2), níveis de Pressão Arterial (PA) e exames laboratoriais de glicemia de jejum, colesterol total, lipoproteína de alta densidade (High Density Lipoprotein – HDL) e triglicerídeos. Os resultados foram considerados significativos a um nível de significância máximo de 5% (p<0,05). Constatou-se que 90,6% (n=58) dos usuários apresentaram diagnóstico de HAS, 62,5% (n=40) de DM2 e 71,9% (n=46) de SM. Os resultados apontaram que a presença de SM foi significativamente associada ao sobrepeso/obesidade (p≤0,05). A CA adequada associou-se significativamente à classificação de baixo peso e a CA muito elevada ao sobrepeso/obesidade (p≤0,05). A CP elevada foi significativamente associada ao sobrepeso/obesidade (p≤0,05). Não se observou relação significativa entre a presença de SM em idosos e o consumo de processados (p=0,339) e ultraprocessados (p=0,560). Concluiu-se que a maioria dos idosos apresentou estado nutricional de sobrepeso/obesidade, CA classificada como muito elevada, CP elevada, HAS, DM2 e SM. Os idosos com sobrepeso/obesidade associaram-se a presença da SM, e a CA e CP aumentadas. Em relação ao consumo de alimentos com o estado nutricional e a SM não se observou associação significativa.


Keywords


Síndrome Metabólica. Estado Nutricional. Idoso.

References


ALBERTI, Kurt G.M.M. et al. Harmonizing the metabolic syndrome: a joint interim statement of the international diabetes federation task force on epidemiology and prevention; national heart, lung, and blood institute; American heart association; world heart federation; international atherosclerosis society; and international association for the study of obesity. Circulation, v. 120, n. 16, p. 1640-1645, 2009.

ALBERTI, Kurt G.M.M.; ZIMMET, Paul; SHAW, Jonathan. Metabolic syndrome—a new world‐wide definition. A consensus statement from the international diabetes federation. Diabetic medicine, v. 23, n. 5, p. 469-480, 2006.

American Diabetes Association. Classification and diagnosis of diabetes: standards of medical care in diabetes, v. 41, n.1, p. S13–S27, 2018.

ATHYROS, Vasilios G. et al. The prevalence of the metabolic syndrome using the National Cholesterol Educational Program and International Diabetes Federation definitions. Current medical research and opinion, v. 21, n. 8, p. 1157-1159, 2005.

BEN-NOUN, Liubov L.; LAOR, Arie. Relationship between changes in neck circumference and cardiovascular risk factors. Experimental & Clinical Cardiology, v. 11, n. 1, p. 14, 2006.

BEZERRA, Ana P.M.; OLIVEIRA, Diana M. Síndrome Metabólica: Bases moleculares e fundamentos da interação com obesidade. DEMETRA: Alimentação, Nutrição & Saúde, [S.l.], v. 8, n. 1, p. 63-76, 2013. Disponível em: . Acesso em: 5 mai. 2021.

BRASIL et al. Ministério da Saúde. Plano de reorganização da atenção à hipertensão arterial e ao diabetes mellitus. Manual de hipertensão arterial e diabetes mellitus, 2002.

BRASIL, OPAS. Brasil lança estratégia para melhorar vida de idosos com base em recomendações da OMS. Brasília, DF, 2018. Disponível em: . Acesso em: 20 de out. de 2019.

BRASIL. Ministério da Saúde. Guia Alimentar para a População Brasileira. 2. ed., 1. reimpr. p. 156. Brasília, DF: Ministério da Saúde, 2014.

BRASIL. Ministério da Saúde. Orientações para coleta e análise de dados antropométricos em serviços de saúde: norma técnica do sistema de Vigilância Alimentar e Nutricional - SISVAN. Brasília: Ministério da Saúde, 2011.

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde. Departamento de Análise em Saúde e Vigilância de Doenças não Transmissíveis. Vigitel Brasil 2018: vigilância de fatores de risco e proteção para doenças crônicas por inquérito telefônico: estimativas sobre frequência e distribuição sociodemográfica de fatores de risco e proteção para doenças crônicas nas capitais dos 26 estados brasileiros e no Distrito Federal, v. 1, n. 1, p. 132, 2019.

BRAZ, Erika S. V. et al. Conhecimento de idosos sobre alimentação saudável em uma Instituição de Longa Permanência em Belém-Pará. Braz. J. of Develop., Curitiba, v. 6, n. 2, p. 8685-8693, 2020.

CALIXTO, Sheyla C.S. et al. Prevalência da Síndrome Metabólica em Idosos/Prevalence of Metabolic Syndrome in the Elderly. Saúde em Foco, v. 3, n. 2, p. 119-135, 2017.

CARMO SILVA-JÚNIOR, Antonio et al. Repercussões da prevalencia da síndrome metabólica em adultos e idosos no contexto da atenção primária. Revista de Salud Pública, v. 20, n. 1, p. 735-740, 2020.

COSTA, Manoela V.G. et al. Risco cardiovascular aumentado e o papel da síndrome metabólica em idosos hipertensos. Escola Anna Nery, v. 25, n. 1, 2021.

DA COSTA PIMENTEL, Giselly M.; WANDERLEY, Paloma T.Q.C.; TAVARES, Fernanda C.L.P. Excesso de peso e índice de conicidade em idosos com diabetes mellitus. Revista Da Associação Brasileira De Nutrição-RASBRAN, v. 11, n. 1, p. 59-71, 2020.

DA SILVA ROCHA, Monique. et al. Síndrome metabólica e estado nutricional de idosos residentes em capital do nordeste brasileiro. Research, Society and Development, v. 9, n. 10, p. e8029109161-e8029109161, 2020.

DA SILVA, Luiz A.R. et al. Correlação entre índice de massa corporal e circunferência abdominal em adultos e idosos. Revista Brasileira de Ciências do Envelhecimento Humano, v. 14, n. 3, p.1, 2017.

DA SILVA, Thaís S. et al. Análise da presença de síndrome metabólica em idosos atendidos no Projeto de Atendimento Multidisciplinar ao Idoso (AMI) em Campo Grande, MS. Multitemas, v. 1, n. 1, p. 191-207, 2019.

DE CARVALHO, Maria H.C. I Diretriz brasileira de diagnóstico e tratamento da síndrome metabólica. Arquivos Brasileiros de Cardiologia, v. 84, n. 1, p. 1-28, 2005.

DE HOLLANDER, Ellen L. et al. The association between waist circumference and risk of mortality considering body mass index in 65-to 74-year-olds: a meta-analysis of 29 cohorts involving more than 58 000 elderly persons. International journal of epidemiology, v. 41, n. 3, p. 805-817, 2012.

FREIRE, Joilane A. P. et al. Fatores de risco cardiovascular e prevalência de síndrome metabólica em idosos. Revista Brasileira em Promoção da Saúde, v. 27, n. 4, p. 477-484, 2014.

INSTITUTE OF MEDICINE − IOM. DRI’s − Dietary Reference Intakes for water, potassium, sodium, chloride, and sulfate. Washington, DC: National Academy Press, 2019.

INZITARI, Marco. et al. Nutrição no processo de incapacidade relacionada à idade. O jornal de nutrição, saúde e envelhecimento, v. 15, n. 8, p. 599-604, 2011.

JAMAR, Giovana. et al. Is the neck circumference an emergent predictor for inflammatory status in obese adults?. International journal of clinical practice, v. 67, n. 3, p. 217-224, 2013.

MALACHIAS, Marcus V.B. et al. 7ª Diretriz Brasileira de Hipertensão Arterial. Arquivos Brasileiros de Cardiologia, v. 107, n. 3, supl. 3, p. 1-83, 2016.

MINISTÉRIO DA SAÚDE. Secretaria de Vigilância em Saúde. A vigilância, o controle e a prevenção das doenças crônicas não transmissíveis: DCNT no contexto do Sistema Único Brasileiro-situação e desafios atuais. Brasília: OPAS, 2005.

MONTEIRO, Carlos A. et al. The UN Decade of Nutrition, the NOVA food classification and the trouble with ultra-processing. Public Health Nutrition., v. 21, n. 1, p. 5-17, 2018.

NEVES, Cristiane V.B. et al. Associação entre síndrome metabólica e marcadores inflamatórios em idosos residentes na comunidade. Cadernos de Saúde Pública, v. 35, n. 1, p. e00129918, 2019.

PERLOFF, Dorothee et al. Human blood pressure determination by sphygmomanometry. Circulation, v. 88, n. 5, p. 2460-2470, 1993.

REIS, Greice M.S. et al. Circunferência do pescoço como indicador de excesso de peso em idosas. RBONE-Revista Brasileira De Obesidade, Nutrição E Emagrecimento, v. 12, n. 75, p. 942-947, 2018.

RIGO, Julio C. et al. Prevalência de síndrome metabólica em idosos de uma comunidade: comparação entre três métodos diagnósticos. Arquivos Brasileiros de Cardiologia, v. 93, n. 2, p. 85-91, 2009.

RORIZ-CRUZ, Matheus et al. Cognitive impairment and frontal-subcortical geriatric syndrome are associated with metabolic syndrome in a stroke-free population. Neurobiology of aging, v. 11, n. 28, p. 1723-1736, 2007.

ROSA, Carolina B. et al. Síndrome metabólica e estado nutricional de idosos cadastrados no HiperDia. Scientia Medica, v. 26, n. 3, p. 5, 2016.

SALES, Marcia C. et al. Frequency of metabolic syndrome and associated factors in institutionalized elderly individuals. Clinical interventions in aging, v. 13, n. 1, p. 2453, 2018.

SANTIAGO, Emerson R.C. et al. Circunferência do pescoço como indicador de risco cardiovascular em pacientes renais crônicos em hemodiálise. Nutricion Clinica y dietetica hospitalaria, v. 37, n. 1, p. 41-48, 2017.

SCHNABEL, Laure et al. Association between ultraprocessed food consumption and risk of mortality among middle-aged adults in France. JAMA Internal Medicine, v. 179, n. 4, p. 490-498, 2019.

SIMÃO, Antônio F. et al. I Diretriz brasileira de prevenção cardiovascular. Arquivos brasileiros de cardiologia, v. 101, n. 6, p. 1-63, 2013.

STEWART, Arthur et al. International Standards for Anthropometric Assessment. International Society for the Advancement of Kinanthropometry. 2011. Disponível em: . Acesso em: 5 mai. 2021.

TOMAZONI, Tamires; SIVIERO, Josiane. Consumo de potássio de idosos hipertensos participantes do Programa Hiperdia do município de Caxias do Sul, RS. Revista Brasileira de Hipertensão, v. 16, n. 4, p. 246-250, 2009.

VIEIRA, Edna C.; PEIXOTO, Maria R.G.; SILVEIRA, Erika A. Prevalência e fatores associados à Síndrome Metabólica em idosos usuários do Sistema Único de Saúde. Revista Brasileira de Epidemiologia, v. 17, n.1, p. 805-817, 2014.

WORLD HEALTH ORGANIZATION et al. World health statistics 2019: monitoring health for the SDGs, sustainable development goals. 2019.

WORLD HEALTH ORGANIZATION. Obesity: preventing and managing the global epidemic. World Health Organization, 2000.

XAVIER, Hermes T. et al. V Diretriz brasileira de dislipidemias e prevenção da aterosclerose. Arquivos brasileiros de cardiologia, v. 101, n. 4, p. 1-20, 2013.

ZORASKI, Helena et al. Síndrome metabólica em idosos de Nova Roma do Sul, RS: prevalência e fatores associados. ABCS Health Sciences, v. 1, n. 1, p. 147-155, 2017.




DOI: https://doi.org/10.34119/bjhrv4n5-107

Refbacks

  • There are currently no refbacks.